Serviços crescem em maio, mas está abaixo de 2019, por Luis Nassif

Vamos ao Raio X da Pesquisa Mensal de Serviços

Os gráficos foram montados em cima do acumulado de 12 meses até maio em relação ao acumulado de 12 meses até abril; e em relação aos 12 meses acumulados até maior de 2020 e maio de 2019.

Por ai, se percebe o enorme estrago provocado pela recessão nos diversos mercados.

No mês, o índice total aumentou 1,8% no mês, mas caiu 1,6% em relação a 2020 e a 2019.

As maiores perdas ocorreram no setor de Serviços Prestados ‘as Famílias. No mês, houve aumento de 4%, mas queda de 24,5% em relação a 2020 e 31,8% em relação a 2019.

Dos 5 grupos que compõem o índice, em relação a 2019 subiram Serviços de Informação e Comunicação (6,2%) e Outros Servi;os (20,4%).

Além dos Serviços Prestados às Famílias, houve queda em Serviços Profissionais Administrativos Complementares e Transportes.

Quando se analisam os subgrupos, percebe-se a queda gigantesca no Transporte Aéreo, Serviços de Alojamento e Alimentação. As altas foram em Transporte Aquaviário, de baixa expressão e Serviço de Tecnologia de Informação e Comunicação, beneficiado pela permanência das famílias nas residências.

O comportamento do turismo

No mês de maio, houve uma recuperação consistente do turismo em relação a abril. No total o turismo no Brasil aumentou 5,9%, com Ceará, Rio de Janeiro e Rio GRande do Sul puxando a fila. Na outra ponta, a maior queda foi do Paraná.

Quando se compara com maio de 2020 e de 2019, percebe-se o tamanho do estrago. Em relação a 2020 há uma melhora sensível em todos os estados. O pânico com a pandemia já estava em andamento. Quando se compara com 2019, no entanto, a queda pe generalizada.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome