Democracia e coerência

Enviado por: Carlos Lourenço

(…) Diz que Mantega foi massacrado porque a city cobraria coerência das ações de outro nível de governo com o PAC. Que eu saiba tal coerência jamais ocorreu em ambiente democrático. Ainda bem, pois não é necessária. Quase todos os instrumentos para aceleração do crescimento estão nas mãos do Governo Federal. O que é preciso é apoio político dos governadores para a aprovação das medidas no Congresso.

Serra, que, de fato, é dos economistas mais brilhantes do Brasil e não um macaqueador de modelinhos, já deixou sua opinião sobre PAC e juros, em nota logoapós a decisão do COPOM. É eloquente e correta.

A questão do microcrédito é outra e não vejo como possa servir de liame lógico entre PAC e a “defesa” do Banco Central.

O Banco Central (leia-se: COPOM) não sabe muito de política monetária. Há relativo consenso de que desde 2004, sucessivas barbeiragens do COPOM abortaram tímido ciclo expansivo sem necessidade. Assim, uma economia com risco país de 1700 pontos paga as maiores taxas de juro do planeta.

Mesmo o..”mercado” estimava o IPCA de dezembro em 4%, logo, abaixo do centro da meta. A decisão de cortar 0,25% da taxa básica foi, portanto, outra barbeiragem.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora