Dívida Pública Federal cresce 2,53% em fevereiro

Estoque da dívida interna sobe 2,73%, mas dívida externa cai 1,16%, diz Tesouro Nacional

Jornal GGN – A Dívida Pública Federal (DPF) apresentou aumento de 2,53% em fevereiro na comparação com janeiro, passando de R$ 2,749 trilhões para R$ 2,819 trilhões, segundo dados divulgados pelo Tesouro Nacional.  Esta variação deveu-se à emissão líquida, no valor de R$ 39,07 bilhões, e pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 30,51 bilhões.

No mês de fevereiro, as emissões da DPF corresponderam a R$ 55,75 bilhões, enquanto os resgates alcançaram R$ 16,68 bilhões, resultando em emissão líquida de R$ 39,07 bilhões, sendo R$ 39,44 bilhões referentes à emissão líquida da Dívida Pública Mobiliária Federal interna – DPMFi e R$ 360 milhões referente ao resgate líquido da Dívida Pública Federal externa – DPFe.

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) teve o estoque elevado em 2,73% ao passar de R$ 2,606 trilhões para R$ 2,678 trilhões. A Dpmfi é a dívida pública federal interna em circulação no mercado nacional. O motivo da elevação no mês passado foi a emissão líquida de títulos, no valor de R$ 39,07 bilhões, realizada pelo governo, além da incorporação de juros na dívida, no valor de R$ 30,51 bilhões.

As emissões de títulos da DPMFi alcançaram R$ 55,75 bilhões: R$ 29,61 bilhões (53,12%) em títulos com remuneração prefixada; R$ 19,44 bilhões (34,87%) em títulos indexados a taxa flutuante e R$ 6,64 bilhões (11,92%) remunerados por índice de preços. Do total das emissões, R$ 53,73 bilhões foram emitidos nos leilões tradicionais e R$ 0,58 bilhão nos leilões de troca, além de R$ 1,38 bilhão relativo às vendas de títulos do Programa Tesouro Direto e R$ 60 milhões relativos às emissões diretas

A Dívida Pública Federal Externa (DPFe) caiu, em fevereiro, 1,16% em comparação ao resultado do mês anterior, chegando a R$ 141,24 bilhões, equivalentes a US$ 35,49 bilhões, dos quais R$ 127,96 bilhões (US$ 32,15 bilhões) se referem à dívida mobiliária (títulos) e R$ 13,29 bilhões (US$ 3,34 bilhões), à dívida contratual.

No mês de fevereiro, os ingressos na DPFe totalizaram R$ 4,34 milhões, referente a organismos multilaterais. Os resgates da DPFe, por sua vez, totalizaram R$ 366,08 milhões, sendo R$ 203,68 milhões referentes ao pagamento de principal e R$ 162,41 milhões ao pagamento de juros, ágio e encargos. No primeiro bimestre do ano, foram recomprados, em valor de face, R$ 161,79 milhões (US$ 40,72 milhões) em títulos da DPFe. O total financeiro desembolsado neste período foi de R$ 157,27 milhões (US$ 39,59 milhões).

Em relação à composição da DPF, houve leve aumento na participação da DPMFi, passando de 94,80%, em janeiro, para 94,99%, em fevereiro. Em contrapartida, a DPFe teve sua participação reduzida de 5,20% para 5,01%.

A parcela dos títulos com remuneração prefixada da DPF passou de 36,08%, em janeiro, para 36,56%, em fevereiro. A participação dos títulos indexados a índice de preços apresentou redução, passando de 33,63% para 33,05%. Já os títulos remunerados por taxa flutuante passaram de 24,78% para 25,09% do estoque. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome