Em São Paulo, bares e restaurantes vão à Justiça contra volta de restrições

Segundo a associação, neste período de pandemia, 12 mil bares, restaurantes e similares fecharam na capital e 50 mil no estado.

Agência Brasil

Jornal GGN – A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) vai promover duas ações judiciais contra o governo do estado de São Paulo para suspender a proibição de vendas de bebidas alcoólicas após às 20h e as restrições impostas ao setor, como não liberar mesas nas calçadas.

Segundo a associação, neste período de pandemia, 12 mil bares, restaurantes e similares fecharam na capital e 50 mil no estado.

O governador João Doria impôs, desde sábado, 12, que os bares de São Paulo atendessem os clientes até 20h. Os restaurantes podem funcionar até 22h, mas com venda de bebidas alcóolicas somente até 20h. Além disso, está proibida a permanência de clientes em pé e as mesas devem ter 1,5 m de distanciamento mínimo. Cada mesa pode ter, no máximo, seis clientes. Junte-se a isso a aferição de temperatura e acesso a álcool em gel nos acessos aos estabelecimentos.

A Abrasel entende que o aumento das restrições são improdutivas e consideram uma falsa causa do agravamento da contaminação pelo coronavírus. Além disso, bebidas alcoólicas representam 50% da receita de um estabelecimento.

“Trata-se, além do prejuízo econômico, de intervenção por demais violenta na atividade privada, na liberdade econômica, inclusive na liberdade individual. Há uma certa esfera da vida privada onde o Estado não pode intervir. É característica do Estado totalitário”, destacou a Abrasel, em nota.

Com informações da Folha.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora