GGN

Tarifa de energia ainda precisa subir 27% para cobrir despesas

Marcello Casal Jr - Agência Brasil

Jornal GGN – O recente reajuste da taxa extra a ser cobrada na conta de luz não será suficiente para cobrir as despesas extras geradas com a geração de energia, restando um déficit de R$ 5 bilhões a ser coberto.

Cálculos divulgados pela consultoria MegaWhat Inteligência em Energia mostram que o governo deve arrecadar cerca de R$ 24,03 bilhões, mas os gastos devem ser de aproximadamente R$ 29 bilhões.

Clique aqui e veja como colaborar com o jornalismo independente do GGN

A consultoria ressalta que, para que a arrecadação seja suficiente para cobrir todo o déficit gerado pela seca das hidrelétricas, o valor cobrado na conta de luz deveria ser de R$ 18 por 100 kWh -uma alta de cerca de 27% em relação aos atuais R$ 14,20.

Em entrevista ao portal UOL, a presidente da MegaWhat, Ana Carla Petti, afirma que os números são diretamente impactados pelo chamado risco hidrológico (cerca de R$ 20 bilhões).

“As hidrelétricas têm uma expectativa de geração média de energia em um ano. Mas a geração, em si, acaba variando, por depender dos fenômenos climáticos [chuvas]. Se ela é variável, existe o risco de gerar muito menos energia do que o esperado. Quando isso acontece, as hidrelétricas precisam cobrir esse déficit comprando energia de alguém. Esses são os gastos com o risco hidrológico”, disse.

Leia Também

Maior hidrelétrica de SP já opera no volume morto, diz colunista

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Sair da versão mobile