Erro de cálculo deixa trabalhador informal sem auxílio emergencial

Camada mais vulnerável da sociedade é diretamente afetada pela falta de políticas públicas no combate aos efeitos da pandemia

Jornal GGN – A falta de planejamento do governo federal no começo do ano acabou por deixar grande parte dos trabalhadores informais sem uma política pública de apoio, o que já causa aumento da pobreza e queda na renda e, por consequência, no consumo das famílias.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a proposta apresentada pelo Ministério da Economia considerou que a retomada da atividade e queda nos casos de covid-19 vistos no segundo semestre de 2020 eram uma tendência que seria mantida no começo de 2021. Por isso, a proposta não conta com previsão de novas medidas de estímulo.

Nem mesmo a reversão do quadro fez a pasta comandada por Paulo Guedes rever tal posicionamento uma vez que, para a pasta, o emprego já estava voltando – o que não se confirmou.

A recriação do programa de socorro à população carente só teve início após a pressão do Congresso Nacional, e a aprovação de um novo pacote de socorro não deve ocorrer antes de março. O que deve deixar as famílias mais carentes sem nenhum auxílio público por, pelo menos, dois meses.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora