FHC é a Dilma do neoliberalismo

Quando terminaram as eleições de 2002, o candidato derrotado José Serra queixava-se a amigos da suspeita de ter sido boicotado por Fernando Henrique Cardoso. Sua hipótese é que FHC temia um governo bem sucedido, que pudesse realçar ainda mais o desastre do seu governo. E por isso apostara em Lula.

As futuras gestões de Serra na Prefeitura e no governo de São Paulo mostraram que, se havia algum temor da parte de FHC, foi evidentemente exagerado.

***

Desde que deixou o governo, esta tem sido a eterna revanche de FHC. Seu sonho seria o país submergir ante um governo completamente desastroso que permitisse, por via da comparação, melhorar a avaliação sobre o seu governo.

***

Nesse sentido, o governo Dilma Rousseff veio a calhar: ela está para o desenvolvimentismo como FHC esteve para o chamado neoliberalismo. Ambos comprometeram seus respectivos projetos políticos.

FHC impediu a continuidade do seu modelo econômico, os tais 20 anos de predomínio tucano, conforme imaginava Sérgio Motta, devido à completa ignorância sobre os diversos aspectos da constituição do tecido econômico e social do país.

Dilma comprometeu o modelo desenvolvimentista devido ao uso exagerado das intervenções no domínio econômico.

***

FHC só via o mercado e se escondia na presunção de que se deixasse tudo solto, a mão invisível do mercado tudo resolveria.

Dilma só entendia o intervencionismo e se escudava na convicção de que manietando todas as ações de mercado, a verdade prevaleceria.

***

FHC escondeu quatro anos de mediocridade controlando o câmbio até o limite da quebra do país. Dilma administrou seus dois últimos anos controlando tarifas até  limite da irresponsabilidade.

***

Há uma diferença abissal entre ambos: ao contrário de Dilma, FHC nunca demonstrou a menor vontade em transformar a realidade, em melhorar o país, em desenhar o futuro, mesmo sendo de uma família de militares que faz parte da história do país.

Da formação militar familiar  não apreendeu os conceitos de planejamento estratégico, mas desenvolveu o estilo das decisões fechadas. Ou melhor, das não-decisões privadas, já que seu governo foi caracterizado pela inapetência de gestão e pobreza de participação.

***

De seu lado, a formação de guerrilha de Dilma moldou seu espírito militar, impermeável a qualquer forma de participação externa, de empresários, trabalhadores ou movimentos sociais.

***

FHC tornou-se um símbolo do mercado apenas pela necessidade de um contraponto ao símbolo Lula. Sua obra mais lembrada, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) só saiu por imposição do FMI, quando acudiu uma economia em frangalhos.

Sem o creme de leite da propaganda política, há uma estabilidade da economia garantida pelo plano Real – e que seria levada adiante com FHC ou Itamar Franco. E, depois disso, quatro anos de apreciação irresponsável do câmbio e de taxas de juros irresponsavelmente elevadas, que elevaram a dívida pública de menos de 20% para mais de 50% do PIB , mesmo com toda a privatização e com a remonetização – desastre de tais dimensões que torna quase irrelevante o congelamento de tarifas da era Dilma.

Com todo seu esforço, o FHC que ficará para a história será o do apagão e o da desmoralização das políticas de desregulação do Estado, assim como Dilma será reconhecida como a presidente que desmoralizou as teses desenvolvimentistas na economia.

Mesmo com todo esforço, Dilma jamais conseguirá superar FHC no quesito irresponsabilidade econômica.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

119 comentários

    • Já jogou faz um bom tempo!

      Eu também alias.

      Meu único alento é que com Marina Silva ou Aécio Neves, estaríamos liquidando nosso futuro, o que Dilma não conseguirá fazer, mesmo com todas suas trapalhadas…

  1. Lá vem fhc se novo, pra

    Lá vem fhc se novo, pra estragar o domingo; acredito que esse senhor assim como o senador mineiro e o senador paulista, aliás,péssimos senadores, não tem nenhum projeto, só tem e tiveram a vontade de sentar naquela cadeira, para que e por que? nem eles sabem, um só sentou ali depois do episódio mal explicado do ricupero, uma ajudinha divina, que veio dos céus.

  2. ironia = FHC e Dilma são da

    ironia = FHC e Dilma são da elite econômica e cultural do país. Entre eles, esteve Lula, que veio da parte mais pobre do país e, por esforço próprio e não contando com um berço de ouro ( o caso de FHC e Dilma ), se tornou um dos principais presidentes da república, o que melhor conseguiu juntar crescimento econômico e distribuição de renda. Enfim, isso demonstra como a elite política-econômica do país é míope – o que é grave, pois personagens como Lula são a exceção da exceção numa sociedade imensamente desigual como a nossa. 

  3. Domingão

    Acordei de madrugada para assistir a Formula um. Sem audio.

    Depois Moto GP, e caminhada nas praias de Santos.

    Agora a chance de bater em fegacê, o vice de ÇERRA45 na eleição de 2038….Viiiiiiixe!

    Não vem ao caso, pela irrelevância. Deixar um reles vice estragar o dia, ninguém merece. 

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  4. As críticas sobre FHC são pertinentes, mas …

    Dilma é 100 vezes melhor. Sem comparação. É uma patriota. Atacam-na muitas vezes de forma vil e machista, como no caso da Copa do Mundo, no jogo inaugural. Mas ela é forte.

    • quanta bobagem
      ,Dilma  patriota??? Ela nunca passou de uma soldada, cega por uma doutrina dogmática e falida a qual ela é impelida a tentar enfiar goela abaixo do povo brasileiro. Sofre ao chamar um tucano ortodoxo para ministro da fazenda para tentar consertar o estrago causado pela fracassada “nova matriz econômica”. Enfraquecida pela falta de fidelidade das alianças costuradas a base do pior do fisiologismo.ela sem sombra de dúvida é péssima e mediocre. 

  5. A diferença entre FHC e Dilma

    A diferença entre FHC e Dilma é que ela ainda não terminou o mandato! Vai se recuperar e ficar na história como uma boa governante! FHC nunca vai poder se recuperar!

    • brincando com o povo

      Só pode estar zoando com a cara de todos nos né amigo, otima governanda há vá.

      Pergunda para os minhares de brasileiros desempregados, se voltariam a votar em alguem do PT?

      • Resposta

             Por tua petulância de querer falar por uma nação, como veredito final, digo: Votei, voto e votaria, até porque este partido é o bum que necessitava este país, mal necessário, pois antes, não sei porque não houve tanto argumento de corrupção, será porque heim ? alguém ficou de fora e se aborreceu? como dizia no passado: Um cão danado, todos a ele, não sabendo que os cães silenciosos são mais, muito mais perigosos, tão certo assim, vejam como a polícia federal tem trabalhado incansavelmente. Me convença com argumento mais sólido, e te abraçarei.

  6. Discordo da simplificação na

    Discordo da simplificação na hora da crítica a Dilma. Não foram nem as tarifas, nem o intervencionismo. Foi o câmbio (problema arrastado desde o governo Lula, matou a dinâmica econômica, levou o país do superávit de 30b em 2006 ao déficit em conta corrente de 100b em 2014), o PT corrompido (que minou o apóio das bases e dos independentes que defendiam o PT como bastião da ética política), a má gestão das obras da Copa (que deram motivos para o disconformismo de 2013 se expandir) e desde o 2do governo, a política de austeridade do Levy-Tombini. Dilma acabou com as expectativas. As tarifas e o intervencionismo, o país aguentaría. A destruição das expectativas, não.

    • A política cambial desastrosa

      A política cambial desastrosa adotada pelo Lula não é exclusividade nem invenção dele: é uma repetição do que FHC fez durante seu primeiro mandato e parte do segundo, depois da maxi desvalorização de janeiro de 1999. A âncora cambial desde o início do Plano Real foi usada para combater a inflação, matando a indústria até que uma crise externa forçasse a desvalorização. 1999, 2002, 2008, a história se repete. 

      A sorte do Lula foi o fantástico crescimento da China, que provocou o boom das commodities no mundo inteiro. Com isso, volumes exportados cada vez maiores a preços crescentes em USD (mesmo sem aumentar em BRL) conseguiram por vários anos camuflar a destruição do parque industrial brasileiro, primeiro impossibilitando o acesso ao mercado de exportação de produtos manufaturados, depois vendo o mercado interno invadido por produtos importados mais baratos do que os nacionais. Não fosse a China e o superciclo das commodities (que acabou e não volta mais), a crise cambial teria estourado muito mais cedo…

      Do resto, concordo plenamente com seu comentário.

      • Concordo com o fato de FHC

        Concordo com o fato de FHC ter inaugurado esse desastre que é o câmbio barato, mas lembre que Lula pegou o dólar a R$3,70 (como se hoje estivesse a R$7). Ou seja, ele não herdou o câmbio barato, ao contrário, o dólar estava no ponto mais alto dos últimos 20 anos. E sem o custo de ser seu governo quem provocou a maxi desvalorização. Se ao invés de promover esse “milagre” de aumentar o salário em dólares, o consumo de importados, as remessas de lucros ao exterior e as viagens a Miami, tivesse mantido esse dólar “caro”, teriam continuado os saldos positivos na balança comercial, os superávits em conta corrente, e teria dado tempo à industria de se recuperar da debacle dos anos ’90s. Mas o populismo cambial fala sempre mais alto na América Latina. Creio que resulta irresistível para os governantes promover esse “milagre” econômico que tão bem recompensa em termos de popularidade de curto prazo. Pena que a longo prazo o preço seja tão alto para todos.

        • Com certeza

          Estou plenamente de acordo com o aspecto do populismo cambial (que FHC fez questão de alardear também, com aquela falácia do Real mais forte que o Dólar, lembra?), ao qual nenhum dirigente parece ser capaz de resistir.

          Acrescenta a isso a política monetária que é o melhor exemplo de um samba de uma nota só, reforçado pela indicação de Henrique Meirelles à frente do Banco Central : inflação alta? taca-lhe aumento de juros. Os capitais estrangeiros agradeceram e fizeram a festa com operações de carry-trade, o que fez com que o BRL apreciasse ainda mais.

          Tenho absoluta certeza e que o Lula não tinha a menor noção dos riscos envolvidos com os juros nas alturas e o câmbio apreciando, por falta de conhecimento técnico. Pelo contrário ele via a inflação baixar, o poder aquisitivo da população aumentar em dólar, a nova classe média viajando para Miami, só alegria. Os efeitos deletérios só chegaram mais tarde.

          Duvido que apareça outra oportunidade de ouro como a primeira década deste século, que infelizmente foi desperdiçada, como todas as outras antes dela…

    • Concordância

           Diante de toda esta realidade palpável em detrimento ao acolhimento das mentiras FHCianas, elevo ao grau máximo estas apresentações, comprovando o que a trancos, barrancos e críticas descabidas contra a unificação brasileira, reduzindo os descalabros até então existentes, apresentando agora sim um país e não só uma metrópole onde se escondiam as tenebrosas mazelas.

    • Será que este sorriso é…

      Olha o sorriso do homem, será que é porque está muito feliz porque o pais está uma droga e ele está vendo uma chance de dar uma rasteira na sua parceira para voltar a presidência ou será porque sua família está muito rica depois que foi presidente…

       

      Att;

  7. Ele não tem jeito mesmo, com

    Ele não tem jeito mesmo, com sua vaidade e rancor. Parece que agora mudou o mote: Esqueça o que fiz e não faça o que digo. Mas nós, cara pálida, vimos o que você fez no seu reinado, sabemos quem você é, sabemos onde você mora em Paris.  E ainda tem a pachorra de mandar recadinhos em viagens internacionais. Realiza, FHC, seu sonho  cabou.

  8. Acho que o erro do FHC foi as

    Acho que o erro do FHC foi as privatizações… pois sua inabilidade de administrá-las fez com que as vende-se e o hoje a Vale é lider em minério de ferro brasileiro, ou seja, está exportando os minérios brasileiros e enchendo os bolsos do empresariado americano. Vendeu em 10% do valor que valia, estava tentando realizar ao mesmo com a Petrobrás, não sei se é inocência ou simplesmente uma garantia de aosentadoria. Pois a Petrobrás hoje tem tecnologia que nenhum uma petroleira tem, e ajuda muito bem nas contas do Estado, já a Vale que poderia complementar que junto a Petrobrás está entre as 12 maiores do mundo, foi vendida a preço de banana comprementendo a renda do Estado e ainda pior, deixando de ivestir seu bilhão de lucros no povo brasileiro; fazendo com que o país se endividassem com o mesmo empresariado americano que comprou as empresas americanas. POrtanto, ao meu ver, a função do FHC foi vender o patriônio do país e do povo e comprometer a renda do Estado para investir em seu povo. Para mim isso não tem nada de inocente e é tendencioso. Ou seja, venderam o país e oficializaram a república das bananas por um trocado nas Ilhas Cayman! Vejam, recentemente Arminio Fraga, foi flagrado com 4 milhões de doláres em uma conta em seu nome no HSBC da Suiça e a conta era Filantrópica, ou seja, 4 milhões de nome de uma empresa filantrópica em seu nome em um paraíso fiscal. O restante deve ter sido encoberto… Afinal a contrário de LULa e Dilma que desmascararam a maioria dos grupos crimonosos inciados no governo PMDB e PSDB que ao contrário do que pensam não têm nada de inocentes junto ao PT que se uniu a roubalheira!

  9. Nassif não consegue se

    Nassif não consegue se recuperar de sua enorme decepção com Serra, e a  Dilma paga por isso.

    PS. E o engraçado é ver os coxinhas chamando o Nassif de blogueiro chapa branca.

  10. CERTO OU ERRADO? EIS A QUESTÃO!

    É incrível como todos tentam defender o indefensável. Não se trata de partido, de ideologia, apenas trata-se do que é CERTO e do que é ERRADO! É CERTO o país sofrer tamanho saque por políticos que nomeamos, tirando o que é nosso para o curto mandato deles? É CERTO estarmos passando por esta crise e culparmos o MUNDO? É CERTO queremos centralizar tudo no Governo, sendo um Governo Corrupto? Engraçado como todos tentam explicar algo que, me desculpem, não enxergo, não entendo e acredito que nunca entenderei. Se for pego roubando onde trabalho e for desligado por justa causa, será muito difícil eu conseguir um novo emprego. Quando tiramos um presidente do poder (Fernando Collor) por “Roubo” e depois o elegemos ( O Grande POVO BRASILEIRO) como Senador da República, é CERTO? Teria vários exemplos, exemplos inclusive, do nosso dia a dia. É CERTO fazermos nossas compras no Supermercado e largarmos o carrinho atrás dos carros do outros? É CERTO encostarmos, mesmo que sem querer, a porta na porta dos outros e deixarmos quieto, apenas tirando o carro do lugar e parando em outro. É CERTO as pessoas pegarem em seus colos crianças maiores que elas para garantir seu lugar na Fila de atendimento Prioritário? É CERTO quase nenhum Brasileriro saber cantar o Hino Nacional, porque isso não existe mais nas escolas? Pois é, a crise que perdura neste País desde o seu Decobrimento e continuará a perdurar é simples: FAZER O CERTO e NÃO FAZER O ERRADO! Aí pergunto, o que está aí acontecendo é CERTO ou ERRADO? Bom pensamento!

  11. A culpa é do FHC

    Não tendo algo de positivo para falar da Dima então que tal o velho e repetitivo chavão da Culpa é do FHC. Não há como comparar a Mediocridade e incompetência de  dilma com FHC.Não vou entrar no merito da vaidade e do ego de FHC mas  no seu legado em relação a estabilização da ecônomia.Qual será o Legado de dilma?quem é dilma? . Sua trajetória sempre foi de nomeações e sua única experiência administrativa real foi ser proprietária de uma loja de R$1,99 a qual conseguiu  a façanha de quebrar por má gestão. A frustação  neste artigo é evidente.Como defender Dilma? como defender o projeto de poder do PT com tantos fracassos e mentiras que foram construidas com demagogia, fisiologismo e aparelhamento. A meritocrácia e eficiência enterradas na lama da burocracia  e favorecimento de ideologias arcaicas  e fracassadas. Quanta falta de vergonha na  cara. Saia para rua e converse com alguem que trabalha num chão de fábrica e defenda suas opiniões. Fale com quem trabalha de verdade . Justifique   seu governo sem este Blá, blá , blá de FHC que ja não cola.

  12. O perfilador

    Nassif, você de temps em tempos mergulha em tamanha confusão mental que nem dá vontade de ler o que você escreve. Estou para ver um sujeito, ao mesmo tempo mais culto e mais míope do que você. Sua memória é curta ou então você não registra adequadamete os fatos.

    Lula chegou ao poder devido a um erro de planejamento do PSDB. O Lula vinha sendo utilizado frequentemente como uma espécie de 2 de páus em todas as eleições. Era o Lula versus “o cara que a gente quer que ganhe”. E o Lula ia perdendo sucessivamente, até que o PSDB resolveu querer o pateta do Serra. A escolha deste fala mansa foi tão absolutamente errada que o Lula ganhou, por acidente.

    Sobre FHC: o cara é extremamente vaidoso. Fala como se fosse o dono da verdade, expõe, engana e convence, principalmente esta classe de vagabundos que se denomina empresariado, e que o apoia apenas porque coloca nele a expectativa da completa destruição de toda a legislação trabalhista.

    FHC é inteligente, esperto, sagaz, percebe o futuro com facilidade, mas tem o seu calcanhar de Aquiles: a dualidade. Ao mesmo tempo em que patrocina o clima de “quanto pior melhor”, não perde oportunidade para dizer que o impeachment atentaria contra a democracia.  Ou ele assume que quer derrubá-la para chegar ao poder, através de seu partido, ou se cala e deixa que os acontecimentos falem por si. Elogiá-la, absolvê-la, isso é inaceitável. Inclusive, ao mesmo tempo que cita em tom jocozo o encontro com o Papa, alegando que foi para pedir absolvição de seus pecados, declara ser ela uma pessoa “honrada”. Entende o que digo, Nassif?

    Concordo com o que disse sobre os governos FHC e Dilma. Contudo você personaliza e foca os acontecimentos de uma forma tal que leva seu leitor a pensar que eles comandaram alguma coisa. E é aí que você erra feio.

    Tanto os atos de FHC quanto os de Lula e de Dilma são consequências. Consequências temporais das filosofias que defendem ou defenderam. São muito mais comandados do que comandantes, os dois.

    Explico:

    1) FHC, a seu tempo, não fez mais do que refletir os efeitos de uma sociedade globalizada. Só que esta sociedade e estes efeitos eram pertencentes à época em que aconteceram. Hoje, nem fazem mais sentido. Após o atentado às torres gêmeas em Nova York a globalização iniciou sua rápida trajetória para à morte como filosofia. Agora não temos mais um parque industrial para ser pressionado pelo dumping, importar não reduz mais os preços no mercado. E a moeda estrangeira também não auxilia este cenário. O plano real de FHC hoje, faria água em poucos meses. Na verdade é muito mais complicado do que isto, mas sei que você é inteligente e já deve ter entendido o ponto, então vamos economizar toques de tecla. Para o momento atual, FHC seria um eunuco diante dos acontecimentos.

    2) Agora vamos analisar Dilma. É impossivel falar em Dilma sem retornar à toda esta baboseira gosmenta que podemos chamar de filosofia bolivariana do comunismo aplicado à América do Sul. A história começa mal, se considerarmos que seus maiores expoentes, Guevara e Fidel, eram médico e advogado. Elite, ainda mais naqueles tempos. O comunismo em si, já foi filosófica e historicamente derrotado na era Reagan. Até na China existem lojas McDonald’s. Ocorre que, o comunismo é um vírus que tem mais ou menos a mesma força da fé evangélica. Contamina cérebros menos favorecidos e lá se aloja para sempre, durante a existência de seu hospedeiro. E ambos tem uma característica comum, formam grupos, numerosos grupos de zumbis mentalmente dominados. E isso é o PT. Mais uma vez, para economizar toques de tecla, direi que não existe elite suficiente no país (e nem no mundo) para suportar o parasitismo que se estabelece em um governo que se diga comunista ou até socialista. O ideal comunista não é auto sustentável, ponto. O resto, você pode muito bem concluir por si mesmo.

    E estes são Dilma e FHC. Ela produto de uma filosofia retrógrada e falida, ele, produto de uma moda, de um pensamento passageiro que varreu o planeta no ano 2000. E é só isso, a história deles nem enche uma folha de A4. 

    Por favor Nassif, abra seus olhos e sua mente. Precisamos de um futuro. O passado não resolve mais nada.

    • Posso até concordar em partes

      Posso até concordar em partes com sua análise do governo FHC, mas afirmar que o PT é comunista e que Lula e Dilma são bolivarianos está tão longe da realidade que chega a ser risível. 

      Ou você também acredita que o programa Mais Médicos foi criado para que a quinta coluna cubana pudesse implantar o comunismo no Brasil?

      O muro de Berlim caiu em 1989, 26 anos atrás. O discurso deveria evoluir também…

  13. Esse tal de Neoliberalismo…
    Já vi, eu sei…e recebi um monte de planos mirabolantes na minha cabeça, 1989, 1990, 1991…que perduram até hoje…sem nunca ter votado em Collor.

  14. Dilma é uma pragmática

    Fracassadas as teorias ideológicas de mercado, primeiramente Lula e depois Dilma abandonaram o viés ideológico na administração pública. Lula teve mais sorte com a conjuntura internacional favorável, mas formou com Dilma uma dupla que restituiu a importância do Estado no desenvolvimento nacional. Juntos recuperaram boa parte da infraestrutura sucateada por fhc. Energia, aeroportos, portos,rodovias, saúde , educação técnica e universitária, combate à corrupção, politica habitacional, saneamento. Dilma é uma pragmatica experimentalista de espirito democratico que governa conforme as distribuições das forças politicas permitem.Sem arroubos ideológicos, Dilma restituiu o desenvolvimentismo possível.    

    • O mal governo é do PT

      Ninguém governa sozinho, o PT deveria ter tomado as medidas preventivas para minimizar prejuízos e danos, como por exemplo, criar um colchão de liquidez com arrecadação de um imposto de importação sobre as commoditties, alertado diversas vezes, não fez a economia na hora que dava, chorar agora é hipocrisia e desfaçatez.

       

  15. A diferença entre FHC e

    A diferença entre FHC e Lula/Dilma é que uns de ‘ESQUELDA’  e FHC ” É DE LA GAUCHE’  Ou. sejam SON LA MESME BOSTE

  16. Sua análise está errada. Você

    Sua análise está errada. Você  se esqueceu da bagunça histórica  que o Brasil estava. FHC acertou mais do errou. Isso é visível. Você  se quer analisou as implicações estruturais do país em cada época.

  17. LULA e a marolinha…

     Quem deixou nosso país nessa situação foi o Governo Lula. Ele foi avisado em 2008 que a crise internacional poderia afetar o nosso país, não ouviu ninguem e continuou com toda a gastança que todos nós conhecemos, segundo ele era apenas uma marolinha. A marolinha se transformou em uma tisunami e estourou no colo da Presidente Dilma. Adivinhem quem vai pagar por isso ? 

  18. Que materia ótima!!!! Pior que não!!

    Acho que agora que a matéria foi públicada, esta na hora de procurar algum estagiário para por a culpa não é?

    Provavelmente ele deve ter trocado várias partes do texto e depois o publicou sem autorização, isto sempre acontece não é verdade.

    Diante de uma matéria muito abaixo da mediocridade como esta o se pode dizer?

    Que estamos num país que vive uma crise inventada por ele mesmo, ou seja, pelos nossos governantes , inclusive a nossa “presidenta” guerrilheira e que ainda há pessoas que se dizem jornalistas imparciais, que se dizem sérios, que dizem representar o pensamento livre da soiciedade, fazer algo assim.

    Depois que do trauma do maior estelionato eleitoral de todos os tempo, como diz o nosso amigo Lula-la, depois de um estrago nunca antes feito em nosso país, depois do Real um plano que o PT lutou até o fim contra e que deu certo, agora estar correndo risco, depois da volta da inflação a patamares que a população não lembrava mais, depois da venda do país ao PMDB, depois de que mais…?

    Não tem mais depois…  Valeu pela ótima matéria Nassif! Você assim como o Lula é ” o cara”.

     

    • Raul, já vinha gente burra,

      Raul, já vinha gente burra, mas que nem o amigo, estou para ver. A culpa do estagiário é ter permitido o seu comentário. Onde você leu que a crise é inventada, burraldo? Os dois maiores estelionatos eleitorais de todos os tempos foram a reeleição de FHC, prometendo não mudar o câmbio, e a de Dilma.

      Você é tão burro que só consegue pensar de forma binária: quem critica A é porque elogia B e vice-versa. Quando o blogueiro critica os dois, dá curto-circuito no seu cérebro de tatu,

      • Impressionante

        JBzinho, ficar culpando qualquer “ex” presidente, seja FHC, BHC, IFC, JBL, ou seja lá quem for por uma crise atual, que o partidão esta no quarto mandato, que espero que caia antes, realmente é “prova” de muita inteligencia mesmo.

         

        Vocês da seita do “partidão” vivem procurando culpados, olhem-se no espelho.

  19. FHC É

    Cavaleiros do impeachment

    demétrio magnoli

     

    Na madrugada, os oportunistas votaram. Dos 51 deputados federais do PSDB que participaram da sessão coruja da Câmara de quarta-feira consagrada à análise do veto presidencial à flexibilização do fator previdenciário, apenas um conservou-se fiel à regra instituída por FHC. Samuel Moreira (SP), o deputado coerente, explicou-se apelando ao óbvio: “Criar mais despesas para a Previdência não é prudente no momento em que o país está vivendo, com os cofres públicos dilapidados”. Sob o encanto do impeachment, todos os demais revelam-se dispostos a queimar o navio para limpar um de seus porões. O principal partido de oposição, que não tinha rumo nos tempos áureos do lulopetismo, segue sem bússola na hora da mudança.

    Meses atrás, José Serra disse que “impeachment não é programa de governo”. O alerta não foi ouvido por um setor crucial do partido que abrange Aécio Neves e a bancada tucana na Câmara. Seduzidos pelo canto das ruas, os cavaleiros do impeachment reduziram a política à sua menor dimensão, substituindo o imperativo de derrotar uma narrativa sobre o Estado e a sociedade pela meta exclusiva de derrubar a presidente. No caminho, enfiados em armaduras medievais, atrelaram o PSDB ao jogo de conveniências do PMDB de Michel Temer, Renan Calheiros e Eduardo Cunha. De fato, em nome de um objetivo que depende de outros, renunciaram a fazer o que está a seu alcance.

    O fator previdenciário não se confunde com o ajuste fiscal de Dilma Rousseff, essa desastrada tentativa de cobrir o rombo orçamentário pela via da tributação aleatória. Uma coisa é votar contra os remédios falsificados que se fabricam pela improvisação no laboratório recessivo de Joaquim Levy. Outra, bem diferente, é retroceder à época da irresponsabilidade fiscal crônica anterior ao Plano Real. Na madrugada do oportunismo, os deputados tucanos desperdiçaram a oportunidade de desmascarar a narrativa lulopetista, revezando-se ao microfone para explicar que o veto presidencial é a homenagem prestada compulsoriamente pelo vício à virtude. Mas, no lugar de confrontar o FHC do fator previdenciário à Dilma do colapso fiscal, escolheram perder duas vezes, nas esferas do voto e dos princípios. Os cavaleiros do impeachment não passam de moleques brincando de Idade Média.

    Certo ou errado, justo ou inevitável, o impeachment situa-se fora do território controlado pelos tucanos. O impedimento presidencial depende de decisões prévias de instituições de Estado (TCU, TSE, STF) e, em seguida, de uma maioria qualificada no Congresso que só se formará pela ruptura do PMBD com o governo. Os cavaleiros do impeachment não têm poder para obter uma coisa nem a outra. Mas se desqualificam perante a opinião pública ao cortejar inutilmente os caciques peemedebistas envolvidos nos escândalos de corrupção.

    A obsessão dos cavaleiros do impeachment envia a mensagem errada à sociedade brasileira. No fundo, eles estão dizendo que o problema chama-se Dilma, quando a presidente é apenas a manifestação terminal de um sonho retrógrado chamado lulopetismo. Dilma passará, cedo ou tarde, recolhendo-se ao lugar apropriado: uma nota de pé de página no livro da história, destinada a ilustrar a simbiose teratológica do anacronismo ideológico com a incompetência e a arrogância. O lulopetismo, porém, tem raízes profundas, fincadas no solo do patrimonialismo, do corporativismo e de um neonacionalismo de araque, salpicado do autoritarismo típico da esquerda latino-americana. Os cavaleiros do impeachment desviam-se do alvo certo, enquanto exibem às ruas suas espadas reluzentes.

    “Programa de governo”, disse Serra, em meio ao alvoroço da molecada. Na crise do lulopetismo, os tucanos têm a chance de desenhar na lousa vazia algumas ideias básicas sobre o futuro. Mas, pelo visto, seu futuro é mesmo uma lousa vazia. Viva Samuel Moreira!

     

    • Pobre diabo
      Quer dizer que o ídolo desse sujeitinho é FHC , patrono da bandalheira da compra da reeleição e da verdadeira suruba que foram as privatizações ?
      E Lula é um bandido por ter ( mesmo com muitos erros , ao meu ver ) buscado exatamente a quebra do paradigma patrimonialista que sempre grassou na historia do pais ?
      Ah , Magnolli , vai catar coquinho , cara ! (para não dizer coisa pior , me igualando à sua prepotência e indignidade ! ).
      Pobre mídia de um país , que incensa um pobre diabo desses na sua mediocridade acadêmica !
      Será que não temos coisa melhor , mesmo como contraponto teórico à filosofia do petismo ? Ou outra alternativa à aguentar um traste desses ?

  20. Congratulações

         Passo a passo, vamos colocando as peças nos devidos lugares, estava totalmente nublada a minha visão de pessoa comum, ao ver tão enaltecido o ex presidente, sociólogo FHC, mas como a vida é constituida de momentos, começo a sair da letargia, me belisco para saber que estou vivo em meio a humanos, afirmando o meu ponto consciente, de que todo ensaio, não desviara de um mesmo enredo atual, com algumas resalvas, não adianta de nada apenas criticar, mais exigir; Educação, educação e mais uma ves educação, somente assim com certeza, as gerações por vir daqui a tres décadas poderá modificar esta terrível contaminação de corrupção e imoralidade, unindo o país de norte a sul sem a discriminação insensata ora existente.

  21. Correção da taxa de câmbio

    “Brasil tem reservas suficientes para não haver nenhum problema”, afirma Dilma sobre dólar

    Blog do Planalto—–Sábado, 26 de setembro de 2015 às 14:19

    A presidenta Dilma Rousseff assegurou a jornalistas, neste sábado (26), que o Brasil tem reservas suficientes para lidar com as oscilações do dólar e que o país tem uma posição firme e clara sobre a questão.

    Presidenta conversa com jornalistas neste sábado (26), em Nova Iorque. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

    “O Brasil hoje tem reservas suficientes para que não tenhamos nenhum problema, nenhuma disruptura por conta do dólar”, afirmou a presidenta. Ela disse haver preocupação por parte do governo porque há empresas que têm dívidas em dólar.

    Dilma ressaltou a atuação que o Banco Central teve na semana passada para conter a alta brusca da moeda norte-americana. Na quinta-feira (24), o presidente do banco, Alexandre Tombini, declarou que as reservas internacionais “são um seguro, podem e devem ser utilizadas”.

    “O governo terá uma posição bem clara e firme como foi essa que o Banco Central teve ao longo do final da semana passada”, declarou a presidenta.

    Na manhã deste sábado, Dilma se reuniu com os líderes da Alemanha, Índia e Japão, membros do G4, para discutir a reforma no Conselho de Segurança da ONU.

    URL:

    http://blog.planalto.gov.br/brasil-tem-reservas-suficientes-para-nao-haver-nenhum-problema-afirma-dilma-sobre-dolar/

  22. Ao meu maior amor, meu inimigo.

    Inimigos justificam vidas, justificam atos, justificam insensatezes. No eterno condão de se comparar, estende-se às raias da loucura o bordão “tá ruim mas já foi pior”. Volta-se ao passado para se justificar o presente. Cria-se uma “polaridade bipolar”. Tempos de esquizofrenias políticas. Precendentes são abertos em nome da compensação de tudo que já passou. Claro, afinal o passado foi muito bem combinado entre as partes interessadas.

    Naquela tarde de 1980, quando a anistia se fez “ampla, geral e irrestrita” a sujeira fez do tapete seu confidente. Ali, o militar assassino e o guerrilheiro pseudo-libertário selaram um pacto, celebrado pelo sistema financeiro global. Não se passaria o país a limpo, nem ontem e nem hoje. O passado gerou juros exorbitantes, seja pela “incapacidade” de auditar a dívida pública, seja por coronelizar o país em poucos “déspotas políticos”, ou bancadas vorazes que sobrepõem o interesse econômico sobre as putrefatas ideologias partidárias, que não servem pra mais nada.

    As distâncias ideológicas deram lugar à sede pelo empoderamento. A instituição da reeleição foi uma das piores decisões políticas. Ela favoreceu o empoderamento exagerado. Os brasileiros torcem para quem está ou não no poder, quando deveria exigir da totalidade dos partidos políticos o cumprimento de um projeto maior, com visão de longo prazo. 

    De fato, não deveria interessar tanto quem está no poder, mas sim se nós, povo, estamos sendo bem atendidos. Mas a mídia “golpista” e a mídia governamental estão juntas quando reforçam e reivindicam interesses de poder. E assim ficamos todos curto-circuitados em disputas e questões tangenciais.

    Isso tudo porque a política ficou maior que o país. Empoderamos demais pessoas que eram simples representantes de nossos direitos e deveres, e que passaram a arrotar majestade. Subsidiamos benefícios, mordomias, vantagens para quem de fato não resolvem nossos problemas de saúde, educação e infraestrutura.

    Está na hora de rever o pacto federativo, reduzir a representatividade política e exigir eficiência administrativa. Mas enquanto você souber o nome dos jogadores de seu time mas não saber os nomes de seus ministros, deputados e senadores, então endossará o coro de que enquanto não nos politizarmos de verdade, assumindo atitudes políticas e saindo dessa verborréia opinatória e improdutiva, continuaremos a torcer para esta ou aquela agremiação partidária.

  23. Ainda faltam dois ajustes na economia

    Os governos do PT promoveram vários ajustes macroeconômicos, mas ainda faltam dois ajustes que são fundamentais para um longo ciclo virtuoso de crescimento do PIB, uma taxa de câmbio equilibrada, e uma taxa de juros próximo da média do juros internacionais.

    A presença de surpresa do Presidenta Central na divulgação do relatório de inflação no dia 24 de setembro de 2015, e a declaração que “Todos os instrumentos estão no raio de ação do Banco Central caso seja necessário” pode ser um indicativo para um novo patamar da taxa de câmbio no Brasil, suficiente para corrigir o déficit em conta corrente, para aumentar exportações de manufaturados, e permitir a substituição de parte dos importados pela produção nacional.

    Vamos ver como se comporta o Presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, daqui para frente.

    Para manter a inflação dentro da meta estipulada pelo CMN,  será necessário impedir um aumento de mais de 10% do dólar nos próximos 12 meses, apenas a venda de swaps cambias não conseguirá impedir um aumento dólar acima de 10% nos próximos 12 meses, será necessário também vender parte das Reservas Cambiais no mercado à vista.

    A afirmação do presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, na audiência pública no Senado,  de que a taxa básica de juros, a Selic, em 14,25% ao ano, é “de passagem” e será reduzida quando as expectativas de inflação cederem, pode ser indicativo que o Copom irá iniciar um processo de redução dos juros da Selic no início de 2016.

    Nas últimas duas semanas o Presidente do Banco Central deu duas declarações  que apontam na direção de uma estabilidade cambial, e redução dos juros da Selic.

     

    • Ainda falta…


      Desindexar de vez muitas coisas que ficaram para trás.

      Essa parte o plano Real não conseguiu deixar terminado, e há muita realimentação inflacionária só por causa disso.

      Ou não?

      • A desindexação é um processo que está em curso

        Já ocorreu uma desindexação dos contratos e dos títulos públicos em relação ao câmbio, e uma redução parcial dos contratos e dos títulos públicos aos índices de preços.

        Com uma taxa de câmbio que não coloque em risco o equilíbrio das contas externas, e uma taxa de juros próximos a media dos juros internacionais caminharemos mais rápido para a desindexação total dos contratos e dos títulos públicos.

        A participação de títulos públicos pré-fixados era de 56% em janeiro de 1995, caiu para menos de 9% no final de 2002, e agora representam quase 50%.

  24. Ótimo texto, Nassif, mas vou

    Ótimo texto, Nassif, mas vou discordar do final. Dilma conseguiu ser pior do que FHC na minha opinião, FHC foi irresponsável, acabou desmoralizado e com a Lei de Responsabilidade Fiscal imposta pelo FMI. Foram mais de 10 anos de certa estabilidade nas contas públicas e nesse período a ideia de responsabilidade ficou mais presente na cultura de gestão pública, algo que na era FHC ainda não fora consolidada.

    Ao jogar tudo para o alto Dilma detonou uma década de esforço, mesmo com todos os avisos, a experiencia macabra de FHC de colocar o interesse político sobre o público e seus resultados já eram bem conhecidos, portanto a irresponsabilidade de Dilma, Lula e o PT é maior.

  25. Então!!

    Realmente a política brasileira é composta de falastrões e comentários tendenciosos por parte dos formadores de opiniões, mas já que o assunto é dar uma opinião, quero informar que a única coisa que vi de verdade neste país nos últimos 30 anos foi a derrubada da inflação na época do plano real e só por isto, entendo que o FHC foi melhor que seus substitutos na presidência da república…  Fica fácil pessoas que nunca viveram de um salário mínimo ou de uma aposentadoria miserável ficar comentando ajustes micros e macroeconômicos num país onde a maioria das pessoas não sabem a diferença de valores entre 50 mil, 100 mil, um milhão ou um bilhão de reais porque dificilmente ganharão isto numa vida inteira. Eu ainda me lembro, que meu saudoso pai infelizmente não conheceu a estabilidade do real e tinha que pegar seu salário mínimo no final da tarde para ir correndo até a cidade fazer a compra do mês no mesmo dia, no passar da noite a inflação consumia parte do seu salário… Caros, entendo que a Dilma não errou sozinha e que o FHC não foi uma maravilha tão grande, mas em meus conceitos, o pior foi o LULA que transformou benefícios como a bolsa família, para instituir uma forma legal de compra de votos, sem falar que toda a quadrilha dos mensalões e da Petrobras se formou durante seu governo com os principais líderes do seu partido. Muita coisa me deixa enojado na política e uma delas é ver que hoje o pessoal do governo Dilma em todos os comentários fala de que estão sendo transparentes quanto a crise, ou seja, estão querendo parecer bonzinhos e honestos, mas se esquecem de dizer que mentiram na época da campanha quando disseram que estava tudo lindo e maravilhoso para ganhar as eleições (nem vou enumerar as mentiras que falaram porque daria um livro)… Também não entendo como o governo Dilma tem a “cara de pau” de pedir respeito porque sua eleição foi feita pelo poder do voto do povo e portanto, é legítimo, se a eleição foi baseada numa porção de mentiras??? O que acontece quando alguém mente numa entrevista de emprego para conseguir a vaga, não seria demitido assim que mostrar incompetência? Porque temos que aguentar um governo que vence a eleição mentindo nos debates e nas campanhas??? È muito injusto este poder inatingível que os governos têm nas mãos para fazer o povo de bobo…

    Caros, não sou a favor da volta da ditadura, mas acho que o nosso país precisa urgentemente de reduzir o número de deputados e senadores, acho que funcionaria bem melhor se em vez de mais de 500 deputados, tivéssemos somente 111 (para não dar empate) e 1 senador por estado e nada mais e toda eleição destes órgãos deveriam ser abertas para que o povo realmente possa saber o que seu candidato está realmente defendendo… Brasília é uma verdadeira bagunça, está mais para um buraco negro onde ninguém consegue culpar ninguém…

    Esta é apenas uma opinião de um brasileiro cansado de ver tanta notícia ruim e comentários tendenciosos pelos formadores de opinião…  Se depender dos políticos, primeiro, vão pensar neles, depois, neles novamente e por último neles também… 

  26. Dilma errada

    FHC no poder foi igualzinho à Dilma – mas essa Dilma é a Dilma Pena, ex-presidente da Sabesp. Um e outro não fizeram os investimentos que deveriam fazer, propiciaram lucros enormes a rentistas dos EUA e, em face de uma crise anunciada, obedeceram a “ordens superiores”…

  27. Respostas as crises cambiais

    FHC respondeu as crises cambiais ficando de joelhos diante do FMI e com juros da Selic em 45%.

    Vamos ver como se comportará a Presidente Dilma, mas pelo visto responderá vendendo parte dos  dólares das Reservas Cambiais no mercado à vista, e com redução dos juros da Selic.

     

     

      • Em 2008 o Presidente Lula respondeu a crise cambial

        Vendendo parte das reservas Cambiais no mercado a vista e reduzindo os juros da Selic de 13,75% para 8,75%.

        Em 2011 A Presidenta Dilma respondeu a uma crise cambial com redução dos juros da Selic de 12,5% para 7,25%

        Desta vez a Presidenta Dilma deixou a taxa de câmbio subir até R$ 4,00 reais por dólar, mas a presença de surpresa do Presidente do Banco  Central na divulgação do relatório de inflação no dia 24 de setembro de 2015, com a declaração que “Todos os instrumentos estão no raio de ação do Banco Central caso seja necessário”  e a

        afirmação do presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, na audiência pública no Senado,  de que a taxa básica de juros, a Selic, em 14,25% ao ano, é “de passagem” e será reduzida quando as expectativas de inflação cederem, pode ser indicativo que o Copom irá iniciar um processo de redução dos juros da Selic no início de 2016.

        apontam na direção de uma estabilidade cambial em um patamar próximo dos R$ 3,80 por dólar,  e redução dos juros da Selic nos próximos meses.

        Vamos aguadar os próximos meses para confirmar se vamos sair deste processo com uma taxa de câmbio no Brasil, suficiente para corrigir o déficit em conta corrente,  aumentar exportações de manufaturados, e permitir a substituição de parte dos importados pela produção nacional, gerando emprego e renda.

        Mas de qualquer maneira estamos muito longe de ficarmos de joelhos e pires na mão diante do FMI, principalmente em função do Presidente Lula ter desdolarizado a dívida interna e reduzido substancialemente a dívida externa.

        Hoje quase 50% dos títulos públicos são títulos pré-fixados pagando entre 10% e 16% de juros nominais ao ano, no final de 2002, os títulos pré-fixados representavam menos de 2% dos títulos públicos e ainda havia cerca de 25% dos títulos da dívida interna atrelada ao câmbio e uma enorme dívida externa.

        O que provocava um aumento exponencial da dívida pública a cada aumento do dólar no Brasil, hoje ocorre justamente o contrário, já que o aumento do dólar provoca inflação dos preços internos e redução dos juros reais pagos nos títulos pré-fixados que estão no mercado.

         

         

         

  28. Tá meio esquisisto esse

    Tá meio esquisito esse negócio. Vargas e Joao Goulart foram desenvolvimentisitas e derrubados por golpe. Por acaso o problema estava na política econômica …?

    Todos os governos desenvolvimentistas foram implacavelmente atacados. JK escapou porque favoreceu o capital estrangeiro.

    O problema do governo Dilma é de  natureza política: o espetáculo midiático do mensalão criou a condição para que se pregasse na testa do PT – e não de Dilma – o selo de corrupto. As jornadas de junho de 2013 consagraram esta tese. Tese que Dilma e as esquerdas conseguiram de alguma forma neutralizar nas eleições de 2014. O olho no olho do processo eleitoral, o espaço contínuo na mídia que em tempos normais não existe,  deu possibilidade para a sociedade avaliar melhor quem era realmente corrupto ou não. 

    Com a queda da popularidade do PT e Dilma, a elite, e também as classes médias que nunca gostaram desses negócio de inclusão social, trataram de pular fora do barco.

    Desde 2013 se fala mal do governo e se fala em crise, aí não tem jeito, a crise vem mesmo.

    Os pequenos pecados da Dilma no campo econômico não tem nenhuma relação com a situação atual. Se responsabilidades há, estão todos no campo político, na falta de costura política.

    Não sei, sinceramente, qual governo passaria por, a) uma campanha midiática difamatória, sistemática e implacável,  e b) escandâlos de corrupção, sem crise.

    Os governos latinoamericanos desenvolvimentistas que resistiram às ofensivas da direita,  mobilizaram o povo. Na Bolívia os índios marcharam sobre La Paz forçando o congresso a editar medidas vitais para o governo. Na Venezuela e Argentina dia sim, e outro também, os apoiadores estão na rua.

    E no Brasil …? Onde está o povo? Onde estão os beneficiários dos governos de 12 anos do PT? 

  29. Ridículo essa matéria!!! O
    Ridículo essa matéria!!! O Fernando Henrique Cardoso foi um grande estadista, um Republicano exemplar. Como esquecer quem implantou o Plano Real, as pessoas esquecem que quando foi eleito presidente o Brasil tinha recém declarado moratória… Como compará-lo a uma semi analfabeta, acéfala política e econômica? A única coisa inteligente que esse Governo fez foi por meio de uma carta, assinada pela presidente, agradecer o legado econômico deixado pelo Fernando Henrique Cardoso. Aliás o atual governo soube muito bem surfar na estrutura econômica implantada pelo Fernando Henrique Cardoso… Um absurdo a forma caricata que algumas pessoas tratam uma pessoa tão proba, nteligente e competente.

    • Acho que só aqui no blog do
      Acho que só aqui no blog do Nassif que aparecem admiradores do FHC. Eu dou até uma colher de chá pros mais novos, que não viveram aquele período. Agora, os mais velhos só posso enxergar oportunismo ou a cegueira ideológica neoliberal, não é possível.

      Engraçado que mesmo nas manifestações a pedido do impeachment dos últimos dias, mesmo estando presente a fina flor da ignorância da classe média brasileira, podia-se ver gente pedindo a volta dos militares, do Sarney, tinha gente defendendo o Cunha, alguns até pedindo a volta da monarquia!

      Só não tinha nenhuma plaquinha com Volta FHC! Isso mostra que mesmo a classe média que se informa pelo PiG não tem saudade dessa tralha.

    • O grande estadista!

      Vamos continuar agradecendo, aliás para esse agradecimento já existem os livros:  “A Privataria Tucana” e  “O Quarto Poder”, de Amauri e o segundo de PHA. Entretanto devo esclarecer que Itamar Franco, antes de morrer, declarou que deu o Plano Real para FHC assinar e errou, porque FHC se apossou dele. Então não dê esse crédito a ele porque você erra!

      FHC foi um grande estadista a serviço dos EUA.

  30. Política economica do PT?
    A única coisa que o PT soube fazer para estimular a economia foi dar isenção de imposto para carro, para a linha branca… como se isso fosse a solução eterna. Os pensadores de economia do PT são um fiasco… assim como em outras áreas.

  31. FHC é a Dilma……

    Ah, não por favor, bater em mulher até politicamente não vale, porque vocês ainda não estabeleceram que esta mulher está a serviço do país e do povo brasileiro . FHC nunca esteve com a cabeça aqui e sim nos EUA , no mercado financeiro vendendo o nosso patrimonio. Dilma  luta contra a corrente ,não é uma farsante,  com o discurso fluido dos demagogos, Dilma não tem culpa se o nosso parlamento é um antro de interesses e que o PMDB é o partido que sustenta e chantageia o governo. Dilma não tem culpa do que realmente é grave no nosso país , a corrupção que ela jurou derrubar pedra sobre pedra e que este parlamento condenavel, cheio de corruptos , “achacadores”estão lá embuidos de fazer sangrar o governo, cumprindo a promessa dos perdedores. A culpa deste parlamento é mais nossa que de Dilma, nós elegemos. Ela peca porque se encolhe diante da furia , quando deveria arregaçar as mangas e por sangue nos olhos de indignação, mas em que mídia ela teria franquia para mostrar ao povo quem lhe acua , chantageia, se ela precisa da corja para  honrar os votos recebidos? Dilma está cercada de ministros opacos quando precisa de aguerridos, Dilma está cedendo aos chantagistas do pmdb, dando ministerios para esta corja em troca de apoio. Fatiará CGU que perderá assim a sua autonomia , para não ser golpeada , Dilma está resistindo de todas as formas, alterando seus planos de governo quando deveria cobrar impostos mais altos de milionários e banqueiros, peitar a casa grande. Mas quem lhe dará apoio para esta guerra quando se está sendo chantageada e desacreditada pela mídia e pela oposição rastaquera?Dilma enfrenta uma guerra insana mais do parlamento que sua , mais da mídia que sua , mais politica que economica e se ela perder não há esperança , não há comemoração,será vencida pela escória .

  32.  Na era F.H.C. a crise era

     Na era F.H.C. a crise era insustentável, com desemprego histórico, privatarias indecentes que todos conhecemos,salários aviltantes e de pires na mão perante o mundo, com a grande mídia tratando de minimizá-los, sendo conivente com toda a bandalheira, o raciocínio é simples: Partindo da premissa, que toda corrupção encarquerada na estrutura do governo petista agora está sendo debelada, mesmo com ela, conseguiu tirar milhões de brasileiros da pobreza, pagou a dívida com o FMI, criou 22 milhões de empregos em 12 anos e colocou o Brasil como um país respeitado por todo o planeta Terra, e o principal, é fiscalizado diurturnamente pela velha mídia tucana, tendo de fazer tudo correto, a lógica é que sobrará muito mais dinheiro pra que se faça muito mais e melhor, simples assim.(esse é o desespero da oposição, com certeza)

  33. Errado Nassif.
     
    FHC será

    Errado Nassif.

     

    FHC será sempre lembrado como o PAI DO PLANO REAL.

    Dilma será lembrada pela quebra da Petrobrás e pelo Impeachment

    • Lembranças de FHC

      Eu lembro de FHC como o pedinte de empréstimos ao FMI em três ocasiões…; lembro da questão da compra da emenda da reeleição….; lembro de ter chamado aposentados aos 50 anos de vagabundos…; lembro da privataria tucana…..

  34. FHC é a Dilma……

    Ah! não ,por favor, vocês ainda não estabeleceram que esta mulher está a serviço do país e do povo brasileiro . FHC nunca esteve com a cabeça aqui e sim nos EUA , no mercado financeiro vendendo o nosso patrimonio. Dilma  luta contra a corrente ,não é uma farsante,  com o discurso fluido dos demagogos, Dilma não tem culpa se o nosso parlamento é um antro de interesses e que o PMDB é o partido que sustenta e chantageia o governo. Dilma não tem culpa do que realmente é grave no nosso país , a corrupção que ela jurou derrubar pedra sobre pedra e que este parlamento condenavel, cheio de corruptos , “achacadores”estão lá embuidos de fazer sangrar o governo, cumprindo a promessa dos perdedores. A culpa deste parlamento é mais nossa que de Dilma, nós elegemos. Ela peca porque se encolhe diante da furia , quando deveria arregaçar as mangas e por sangue nos olhos de indignação, mas em que mídia ela teria franquia para mostrar ao povo quem lhe acua , chantageia, se ela precisa da corja para  honrar os votos recebidos? Dilma está cercada de ministros opacos quando precisa de aguerridos, Dilma está cedendo aos chantagistas do pmdb, dando ministerios para esta corja em troca de apoio. Fatiará CGU que perderá assim a sua autonomia , para não ser golpeada , Dilma está resistindo de todas as formas, alterando seus planos de governo quando deveria cobrar impostos mais altos de milionários e banqueiros, peitar a casa grande. Mas quem lhe dará apoio para esta guerra quando se está sendo chantageada e desacreditada pela mídia e pela oposição rastaquera?Dilma enfrenta uma guerra insana mais do parlamento que sua , mais da mídia que sua , mais politica que economica e se ela perder não há esperança , não há comemoração,será vencida pela escória .

    • FHC é a Dilma

      Katiusca, seu texto apresenta uma análise correta do momento que vivenciamos. Infelizmente, Dilma é humana e peço a Deus, de verdade, que ela sobreviva. Não só por ela, mas pelo nosso País, pois este momento tenebroso está expondo partidos e políticos pustulentos e hipócritas, que nunca pensaram no povo! Não vejo, infelizmente, muita exceção. Até não os cito porque posso quebrar a cara. O que estamos assistindo mostra que a classe política brasileira, em todos os níveis, se assemelha mais à máfia que a um grupo que busca um futuro melhor para nós. Além do mais, a parcialidade da justiça nos deixa a impressão de que, além de não termos políticos honestos, não temos também juízes confiáveis. Se houver o desastre, que, pelo menos, reste povo para refazer, de outro jeito, ou de um jeito melhor, um país que nos deixe morrer em paz sem muita preocupação com nossos descendentes. E dizem que Deus é brasileiro! Acho que ele deve ficar indignado com esta acusação! Que Ele nos perdoe e nos tire dessa lama.       

  35. Tá bom. Mas onde entra o
    Tá bom. Mas onde entra o Lula, o PT e suas heranças na historia?

    Por qual motivo escolheram a Dilma? Por que devia ser a primeira presidenta?

    A lógica de decisão da candidata seguiu a mesma do Joaquim Barbosa no Supremo.

    “é hora de colocar um negro lá”

    Você foi um ufanista fervoroso, Nassif.

    Criticar a Dilma deixando de fora seus criadores deve aliviar sua consciência.

    Apesar de TODOS os equivocos, tivesse assumido na maré alta chinesa passaria para a história como a estadista que peitou o rentismo baixando os juros.

    Que garantiu as bases para um desenvolvimento econômico sólido.

    Mas, o que recebeu?

    Uma máquina travada por sanguessugas, uma infraestrutura acanhada, sistema educacional falido, criminalidade nas alturas.

    Queria muito dela, nao?

      • O FHC, por sua vez, recebeu
        O FHC, por sua vez, recebeu algo extraordinário do Itamar?

        Que, por sua vez, recebeu algo sensacional do Collor?

        Parceirinho ufanista lulista:

        Nós estamos falando de 12 anos de poder sendo que boa parte dele ocorreu durante o último grande crescimento da economia mundial.

        (imagina o Lula e sua patotinha recebendo o país em 1990)

        A oportunidade de ouro foi jogada pela janela.

        Destruiram a esquerda e a indústria nesse periodo.

        Aperte o cinto daqui em diante.

  36. Não mesmo Nassif, viajou sobre o pensamento econômico da Dilma:

    Dilma comprometeu o modelo desenvolvimentista devido ao uso exagerado das intervenções no domínio econômico.

    Dilma só entendia o intervencionismo e se escudava na convicção de que manietando ​todas as ações de mercado, a verdade prevaleceria.

    Quem dera se a Dilma fosse tão intervencionista assim, já teria criado estatal para controlar nossas ferrovias, e incentivaria a criação de empresas 100% públicas para o transporte urbano em nossas cidades. Algo que o país necessita urgente para evoluir na questão da mobilidade. Dilma insiste na fracassada política de concessões…

    Quando PT tenta agradar a burguesia se ferra. O único erro econômico da Dilma foi essas desonerações, os empresários beneficiados baixaram os preços??? Aumentaram os seus lucros, essa gente não tem moral para reclamar dos impostos. Se Dilma não tivesse desonerado a taxa de juros estaria lá embaixo…

    Na época do Delfim Netto, o Brasil pecou por ter financiado seu desenvolvimento com muitos recursos externos.Uma ironia que hoje, mesmo menos dependente do dinheiro estrangeiro, o Brasil não consiga deslanchar um processo de desenvolvimento nacional (o que existe é movido pelo consumo e pela melhoria da distribuição da renda). Ex: remover a lei do FHC que não distingue mais o que é empresa brasileira e estrangeira.

  37.  A era fhc foi imbatível em

     A era fhc foi imbatível em tudo  de pior que esse país vivenciou. Tivemos um país totalmente colonizado, prostrado, curvvado, um presidente que se prestou a ser o cachorino de clinton, um mauricinho que nunca teve coragem para nada, apenas se dedicou a ele mesmo. A Dilma está errando, mas, parece,  não texistir homem que resolva o problema., Dilma está refem do mercado desde que o capital conseguiu colocar esse levy goela abaixo. Apartir dai, esse homem incompetente, trabalha apenas contra o país e pró mercado.

  38. Diferença

    FHC só crise: inflação alta, salário mínimo baixo, endividamento do país e venda de empresas nacionais sem arrecadação para solucionar finanças. Dilma: No 1° governo, não deu continuidade ao crescimento do governo Lula, no 2° governo, está providenciando resolver a crise que apareceu mas não querem deixar, pelo menos está continuando com a política social.

  39. Comparação sofrível com base em critérios ruins

    Luis Nassif,

    Antigamente eu me preocupava em expor as minhas críticas aos seus posts. Hoje em geral aproveito a oportunidade mais para fazer um apanhado. Não vai ser o caso dessa vez. De todo modo a preocupação acabou quando vi que há comentários que dizem o que eu queria dizer e com muito mais propriedade. Já ia mandar este post quando ao chegar lá no final da página vi o comentário de Criminal Minds, enviado domingo, 27/09/2015 às 14:23. Não é a minha, mas disse bem o que eu também poderia dizer nos quatro parágrafos iniciais. Parece que como em inglês primeiro é o adjetivo e depois o substantivo diria que os quatro primeiros parágrafos são minds e os outros são criminals. E voltando para as suas comparações considero que elas são em geral capengas. Não há porque culpar você, pois esse é um mal das comparações.

    No caso você trata mal Fernando Henrique Cardoso e trata mal a presidenta Dilma Rousseff. Dá para falar mal de Fernando Henrique Cardoso sem dizer nada disso que você disse dele que são aspectos ainda a confirmar. E dá para falar mal da presidenta Dilma Rousseff sem usar os critérios que você usou se os pode chamar de critérios.

    Para acusar Fernando Henrique Cardoso basta chamá-lo de aculturado e confirmar essa acusação pela forma como ele abraçou a Globalização. Abraçou-a porque ela era a última moda no mundo ocidental e ela havia compreendido a globalização dentro dos ensinamentos marxista do espraiamento, da intensificação e da superação do capitalismo. Acreditando que as duas culturas caminhavam juntas: o ensinamento de Karl Marx e a cultura ocidental capitalista, idealizou a globalização como o futuro.

    A presidenta Dilma Rousseff pode ser acusada por apoiar a sua concepção de política na percepção popular e também da esquerda radical e aqui faria sentido buscar no passado de guerrilheira dela algo que a prejudique no momento atual e que é essa visão presente com frequência aqui no blog que a política é feita por um bando de corruptos. Sim este é um mal de que a presidenta Dilma Rousseff sofre, mas isso não a deixa muito longe de Lula, afinal, embora não seja no passado de guerrilheiro, foi no passado da sua vivência popular que reside a declaração de Lula referente aos 300 picaretas.

    Dizer que “FHC escondeu quatro anos de mediocridade controlando o câmbio até o limite da quebra do país”, é esquecer que o câmbio foi instrumento essencial para assegurar a confiança inicial do real que permitiu a eleição de Fernando Henrique Cardoso, que o câmbio foi peça fundamental para garantir a governabilidade nos dois primeiros anos do real, que a o câmbio foi o elemento chave na aprovação da emenda da reeleição porque além da compra dos votos havia a ameaça do plebiscito por saber que o real contava com o apoio popular e esse apoio seria transferido via ameaça de plebiscito para apoiar a Emenda da Reeleição, ameaça que evidentemente não era Constitucional, mas era uma forma que os grandes jornais utilizavam para prestar solidariedade ao governo de Fernando Henrique Cardoso, e o deixar mais livre da pressão do parlamento, e que o câmbio foi peça fundamental para que Fernando Henrique Cardoso fosse reeleito.

    E dizer que “Dilma só entendia o intervencionismo e se escudava na convicção de que manietando todas as ações de mercado, a verdade prevaleceria” e que ela “administrou seus dois últimos anos controlando tarifas até limite da irresponsabilidade” é esquecer que houve o terceiro trimestre de 2013 que alterou toda a previsão econômica no qual se ancorava o gerenciamento da economia no ano de 2014 quando se iniciaria a retomada americana e automaticamente os efeitos da elevação do juro pelo FED.

    Até que haja um estudo mais detalhado, mesmo que este estudo venha a indicar que o que ocorreu no terceiro trimestre de 2013 foi algo natural dado a política econômica posta em prática nos anos anteriores, tratar o terceiro trimestre de 2013 como algo natural é, diante da fartura de dados mostrando uma situação incomum, uma atitude que poderia ser classificada como infantil.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 27/09/2015

    • A fragilidade ideológica de FHC o fez aculturado

       

      Luis Nassif,

      Muito provavelmente o caráter aculturado de Fernando Henrique Cardoso resida na fragilidade da ideologia que ele professa. Não vejo nada de consistente que Fernando Henrique Cardoso tenha trazido para compor o nosso conhecimento acadêmico.

      A fragilidade ideológica de Fernando Henrique Cardoso ficou exposta na frase que é utilizada contra ele, mas que provavelmente ele não a expressou: “esqueçam o que escrevi”. Ele provavelmente nunca disse essa frase, mas ele está sempre mudando de opinião exatamente porque não é possível sustentar-se naquilo que ele se expõe em entrevistas, artigos e livros.

      Se pegarmos todas as entrevistas de Fernando Henrique Cardoso, vamos verificar que metade dela é recheada por ditados populares. É o conhecimento popular sendo utilizado para apoiar as afirmações que não têm sustentação teórica. Assim, se alguém pegar uma entrevista dele e a descontextualizar, seja por exemplo imaginar que uma entrevista que ele deu em época de esplendor seja transporta para uma época de crise, ou o contrário, a fala dele não faz nenhum sentido.

      Eu não lembro em que jornal você trabalhava quando Fernando Henrique Cardoso deu uma entrevista aparentemente bombástica concedida ao então melhor jornal do Brasil, o Jornal do Brasil. Foi em fevereiro de 1986, véspera do Plano Cruzado. Lembro que quando li a entrevista fiquei com a percepção de que daquela vez Fernando Henrique Cardoso estava dizendo alguma coisa.

      Alguns anos depois quando tive oportunidade de ler novamente a entrevista e algumas repercussões dela, eu voltei a sentir a decepção que Fernando Henrique Cardoso sempre me causou. Decepção não é propriamente o termo pois eu sempre tive uma avaliação ruim de Fernando Henrique Cardoso.

      De todo modo, quando voltei a ler a entrevista aumentou a minha avaliação negativa de Fernando Henrique Cardoso pois a entrevista estava acompanhada das repercussões que a entrevista dele gerou, e onde o que mais se via eram desmentidos de Fernando Henrique Cardoso, dizendo que as pessoas estavam interpretando-o de modo equivocado, ou que o que ele queria dizer não fora propriamente o que as pessoas estavam dizendo que ele falou e ia nesse diapasão por longo período.

      Aliás eu nunca vi uma análise sua sobre essa entrevista de Fernando Henrique Cardoso ao Jornal do Brasil em fevereiro de 1986, na anti-véspera do Plano Cruzado. E na época Fernando Henrique Cardoso tinha um título pomposo que era líder do governo no Congresso, uma figura que até o advento da Nova República não existia e que Tancredo Neves inventara para massagear o ego de Fernando Henrique Cardoso, ou talvez, para cobrir as pernas do pavão.

      Talvez o que seja um grande avanço em Fernando Henrique Cardoso e é onde ele é o oposto da presidenta Dilma Rousseff é a capacidade de compreensão do processo democrático como sendo algo essencialmente fisiológico. Concepção do processo democrático que é inaceitável para a presidenta Dilma Rousseff.

      Esta compreensão do processo democrático como sendo algo essencialmente fisiológico e que faz a democracia representativa ser superior à democracia direta uma vez que pelo fisiologismo os grupos minoritários se protegem da vontade autocrática dos grupos majoritários não foi só aprendido na vivência política dele. A formação dele nos Estados Unidos ajudou a que ele visse a democracia como um processo e não como ato isolado e como processo, ela possibilitava a realização do fisiologismo, aqui entendido como os esforços de barganha realizados na composição de interesses divergentes e não como atos ilícitos para os quais já há a denominação correspondente na legislação penal.

      E talvez possa ser atribuído como uma grande falha do sociólogo não ter trazido para a academia esse conhecimento que ele adquiriu seja na formação dele nos Estados Unidos seja na vivência dele na política. Aliás ele fez pior ao participar da fundação de um partido com o objetivo de retirar o fisiologismo da política. Para que isso ocorra a política teria que deixar de ser democrática para ser autocrática.

      Já a presidenta Dilma Rousseff adquiriu essa couraça de tecnocrata que vê a luta política como algo ignominioso que ocorre em oposição ao bem geral do país, ao interesse maior da nação como se o técnico tivesse condições de dizer em cada caso concreto qual seria ou seriam os interesses maiores da nação.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 28/09/2015

  40. Diz a canção We Are The

    Diz a canção We Are The World: nós somos o mundo. 

    Eu digo que é necessário que nós venhamos a ser o mundo. 

    Se negamos prefigurar o mundo não somos nada, não passamos de um sopro. 

    O caixa 2 de campanha assegurava ao neoliberalismo deixar o mundo vagar. 

    O PT conectou a simultaneidade digital dos bancos públicos para a sociedade; e, como no giro do mundo, ordenava o movimento político.

    Com a decisão do STF de proibir financiamento privado de campanha haverá duas opções em 2018.

    1 – Conjugar a vida com o mercado de capitais. 

    2 – We are The World.

  41. em tudo , o imperdoável foi o

    em tudo , o imperdoável foi o comportamento do PIG que para evitar que Lula fosse o candidato  esconderam o quanto foi necessário a incompetência dilmesca.

  42. Discordo da crítica à Dilma

    Seu livro Cabeças de Planilha, Nassif, mostra que FHC se cercou de bandidos que pilharam o país de forma acintosa. Havia até um tal que levava cavalos de raça para passear de avião, tão rico que ficou com o butim.

    Não há nada parecido nos 2 governos Dilma, em termos de mal-caratismo e desonestidade. O que houve foram erros e limitações da equipe de governo e da própria Dilma, e uma brutal anomia das esquerdas e movimentos sociais, que estão mais para Carlos Lupi que para Lula.

    Que lideranças e que setores da economia, que defendem o desenvolvimentismo, se ergueram contra as medidas econômicas de Dilma no 1º mandato? Na minha visão, todo mundo apostou junto. Se não deu certo, todo mundo errou junto.

    E digo mais: fazer e errar não é problema. Ajuste fiscal não é problema (Aécio prometeu em campanha fazer pior).

    Não fazer, roubar e mentir para o povo como fizeram os tucanos da era FHC é que é intolerável nos dias de hoje.

  43. Que ressentimento é esse Nassif…

    Teremos a maior retração econômica desde a década de 30 neste e no próximo ano e você me vem com uma peça panfletária dizer que: “Mesmo com todo esforço, Dilma jamais conseguirá superar FHC no quesito irresponsabilidade econômica.”….!!!

    FHC foi o ministro da fazenda do plano econômico que tirou o país do atoleiro da hiperinflação, realizou a consolidação desse mesmo plano em seus dois mandatos, foi o único presidente nos últimos 20 anos a tocar pelo menos alguma coisa das reformas que todos nós sabemos que devem ser feitas…. E o Nassif simplesmente finge que não sabe de nada disso ao dizer que “ao contrário de Dilma, FHC nunca demonstrou a menor vontade em transformar a realidade, em melhorar o país, em desenhar o futuro”…

    O Nassif continua minando sua própria credibilidade ao pretender que não conhece absolutamente nada da história recente do país, tanto que disse: “FHC impediu a continuidade do seu modelo econômico”. Como assim se o primeiro mandato do governo Lula foi exatamente a continuidade desse modelo? Como assim se o período em que a política econômica do PT pode ter sido considerada mais bem sucedida foi exatamente sob o Palocci?????

    Por favor, Nassif, não faça como o PT sempre fez no poder e não tente nos considerar completos idiotas prontos para serem manipulados por esse tipo de falsificação histórica. Você perde credibilidade com isso.

  44. Pobre senhora.
    A nossa

    Pobre senhora.

    A nossa presidente se transformou na Geni da Nação.

    Somos um povo formado por muitos individuos que não respeitam nem as minimas regras de convivencia, não obedecem sinais de transito, corrompem por todos os cantos prefeitos, guardas e fiscais, sonegam impostos, vendem votos, vendem a patria, se engalfinham por derrotas no futebol, espancam homossexuais, não permitem  pobres em shoppings, votam mal, não participam da politica se não em interesse proprio, não entendem o sofrimento dos mais necessitados, não protegem os bens naturais comuns, não entendem o valor da agua, transformam com queimadas imensas florestas em cinzas, cheiram cocaina para pilotar caminhões nas estradas, se embebedam e atropelam crianças e velhos nas calçadas, matam pelos motivos mais futeis, exploram o nome de Deus por todos os lados, votam em Malufs, Eduardos Cunha, Sarneys, Barbalhos, Magalhães.

    Evidentemente tantos desatinos não poderiam gerar bons resultados, dai a necessidade de se encontrar uma Geni, para jogar nos ombros dela todos os males da nação.

    Encontraram a Geni certa, uma pessoa que apesar de todas as qualidades, tem uma terrivel dificuldade para se comunicar.

    Precisa usar 10 palavras para afirmar algo que poderia ser dito com apenas uma.

    Assim, sua maior qualidade, a seriedade, virou seu maior defeito. Não é pessoa talhada para uma “conversa” com individuos da categoria de um Eduardo Cunha, mas esperamos isso dela.

    E ela não é capaz nem de nos explicar a urgencia de se romper com a eterna necessidade dessa “conversa” morbida, podre, que corrompe a politica e a todos.

    Jogamos sobre a nossa Geni ate as consequencias da maior seca da historia, que obrigou a elevação da tarifa de energia eletrica.

    Infelizmente, ela não é capaz de se defender ate de uma acusação tão simples de rebater.

    Seu criador misturaria logo a falta de chuva com a falta de sorte do goleiro do Corinthians e  povo imediatamente entenderia a questão.

    Nunca vimos antes na historia um produto  perder de um dia para o outro metade de seu valor.

    Aconteceu com o petroleo, justamente no momento em que o pais colocava toda sua força para explorar grandes jazidas descobertas no mar.

    Nesse mesmo momento, nosso maior cliente, a China, se empobrece.

    Alem de todos os mal habitos de muitos brasileiros narrados no primeiro paragrafo, todas essa fatalidades ocorreram ao mesmo tempo.

    Assim,nada melhor do que encontrar uma Geni para nos livrar de qualquer culpa.

    • Antônio…

      Não é bem assim, várias coisas eram altamente previsíveis. A gastança já mostrava que iria causar problemas no final de 2013. A grande dificuldade é que qualquer um que critica o governo é chamado de direitista-elitista-golpista-que-não-gosta-de-pobre. Se não se sabe ouvir críticas, persiste-se no mesmo erro até o limite do desastre. Seguem alguns pontos que óbvios, neles cito algumas passagens do que você disse, para ser mais claro:

      “Nesse mesmo momento, nosso maior cliente, a China, se empobrece.” – não só o capitalismo, mas qualquer sistema complexo, seja biológico, químico, físico, etc., funciona em ciclos. O ciclo da China iria se fechar em algum momento, todos nós sabíamos disso, mas agimos de maneira inconsequente achando que commodities iriam ser nossa tábua de salvação para o resto dos tempos. Repetindo: nada mais previsível que a dminuição da velocidade da China, e ela foi até mais suave do que eu imaginava (até agora).

      “Nunca vimos antes na historia um produto  perder de um dia para o outro metade de seu valor.” – o governo agiu como se o pré-sal fosse um bilhete da loteria. Destruiu nossa própria indústria do etanol por conta disso. Mais uma vez, governos previdentes, quando se tem estadistas no comando, sabem que a maré muda de maneiras imprevisíveis. Não existe bilhete na loteria. A história nos ensina isso. Mas o ufanismo nacionalista não escuta a voz da cautela e da economia de recursos nos bons tempos para que nos tempos difíceis não soframos tanto. É a velha história da cigarra e da formiga, todo mundo sabe que o inverno vai vir, e por isso ter responsabilidade fiscal é extremamente importante!!!!!, mas infelizmente não temos uma estadista no poder. Dilma é compeltamente imediatista, não pensa em longo prazo.

      “Jogamos sobre a nossa Geni ate as consequencias da maior seca da historia” – a seca apenas se somou à intervenção indevida de Dilma no setor elétrico. As empresas de energia ficaram sem colchão de amortecimento depois que Dilma resolveu destruir a margem de lucro delas. Resultado: com essa visão ultrapassada e intervencionista, acabamos tendo que pagar com o dinheiro do erário o prejuízo aí realizado. Para que não repitam o mesmo erro: nada mais previsível que a imprevisibilidade do clima, a metereologia precisa de supercomputadores e é a ciência onde surgiu a teoria do caos não é à toa. A desculpa do clima é só eufemismo para governos imprevidentes, perdidos em um mundo de complexidade muito maior que o “otimismo” eleitoreiro permite ver. 

      • Caro Felipe,
        Se voce sabe

        Caro Felipe,

        Se voce sabe tanto sobre o que vai acontecer com  as chuvas, a China, o preço do petroleo, lhe aconselho a abrir uma tendinha, daquelas com bola de cristal.

        Vai ganhar muito dinheiro e resolver todos os problemas do Brasil.

        Segundo voce, ja que pode chover é melhor ficar em casa, não sair a rua, para não se molhar.

        Não devemos  fazer  negocios que estão dando lucro, porque o cliente pode passar por algum problema, alguma crise.

        Não sei se a sua bolinha de cristal lhe diz tambem que não é muito conveniente colocar tanto dinheiro na “industria do etanol”, porque essa turminha da cana, quando os preços estão bons la fora, não estão nem ai para o nosso abastecimento.

        E que “grande gastança” o governo fez, alem de colocar luz eletrica onde não existia, construir casas para os pobres e hidreletricas para todos?

        O maximo foi, quando a crise internacional se agravou,  tendar proteger empregos isentando de certos impostos algumas grandes industrias, a fim de amenizar o sofrimento de milhões de trabalhadores. E por um tempo funcionou.

        Na verdade o problema é que a direita ( e não sei se voce faz parte dela ) argumenta que os sucessos do governo Lula foram conquistados apenas pelo ceu de brigadeiro internacional, naquele periodo.

        Ja, quando se coloca que a razão da maior parte dos problemas atuais são oriundos da crise internacional, o cenario externo não é mais levado em conta,passa ser considerado questão menor.

        E quanto ao “setor eletrico”, o papel de qualquer governo é o de lutar sempre pela menor margem de lucro das concessionarias de serviço publico. Jamais essas empresas vão usar o seu “colchão” numa hora de crise. So os que aceditam em Papai Noel esperam isso delas.

        • Antônio 2

          Não só eu, que sou um mero observador, como muitas outras pessoas já alertavam para o desequilíbrio fiscal no final de 2013. Sobre as pedaladas fiscais então… muita gente deu o grito com antecedência. Cheguei a dizer em rodas de amigos, ainda em 2013, que por conta da eleição em 2014, a Dilma ia deixar a bomba continuar crescendo até ficar praticamente incontrolável em 2015. Não precisa de bola de cristal para certas coisas, você achava que a China ia continuar crescendo a mais de 10% ao ano ao longo de décadas? Sobre o clima, te dou mais uma dica: os alertas sobre aquecimento global não são brincadeira, as coisas vão piorar. E depois que a bomba estoura vão dizer que não viam os sinais…….. claro! qualquer crítica é ao governo é automaticamente descartada como oriunda de direitistas-que-não-gostam-de-pobre (veja que Gabeira, Cristovam Buarque, Marina, por exemplo, são de esquerda e foram esculachados pelo PT quando começaram a abrir os olhos para o que ocorria). E não, eu não sou de direita. E por isso mesmo considero que a esquerda deve pular fora do barco do PT, um partido que não passa de simples picaretagem e manipulação ideológica nos dias de hoje. A esquerda brasileira vai ter que se refundar. Não apenas pela concepção equivocada que ela tem do estado (dar eficiência ao estado não é neoliberalismo não, sabia?), como pela visão completamente equivocada em economia.

        • Antônio 2

          Não só eu, que sou um mero observador, como muitas outras pessoas já alertavam para o desequilíbrio fiscal no final de 2013. Sobre as pedaladas fiscais então… muita gente deu o grito com antecedência. Cheguei a dizer em rodas de amigos, ainda em 2013, que por conta da eleição em 2014, a Dilma ia deixar a bomba continuar crescendo até ficar praticamente incontrolável em 2015. Não precisa de bola de cristal para certas coisas, você achava que a China ia continuar crescendo a mais de 10% ao ano ao longo de décadas? Sobre o clima, te dou mais uma dica: os alertas sobre aquecimento global não são brincadeira, as coisas vão piorar. E depois que a bomba estoura vão dizer que não viam os sinais…….. claro! qualquer crítica é ao governo é automaticamente descartada como oriunda de direitistas-que-não-gostam-de-pobre (veja que Gabeira, Cristovam Buarque, Marina, por exemplo, são de esquerda e foram esculachados pelo PT quando começaram a abrir os olhos para o que ocorria). E não, eu não sou de direita. E por isso mesmo considero que a esquerda deve pular fora do barco do PT, um partido que não passa de simples picaretagem e manipulação ideológica nos dias de hoje. A esquerda brasileira vai ter que se refundar. Não apenas pela concepção equivocada que ela tem do estado (dar eficiência ao estado não é neoliberalismo não, sabia?), como pela visão completamente equivocada em economia.

        • Antônio 2

          Não só eu, que sou um mero observador, como muitas outras pessoas já alertavam para o desequilíbrio fiscal no final de 2013. Sobre as pedaladas fiscais então… muita gente deu o grito com antecedência. Cheguei a dizer em rodas de amigos, ainda em 2013, que por conta da eleição em 2014, a Dilma ia deixar a bomba continuar crescendo até ficar praticamente incontrolável em 2015. Não precisa de bola de cristal para certas coisas, você achava que a China ia continuar crescendo a mais de 10% ao ano ao longo de décadas, eternamente? Sobre o clima, te dou mais uma dica: os alertas sobre aquecimento global não são brincadeira, as coisas vão piorar. E depois que a bomba estoura vão dizer que não viam os sinais…….. claro! qualquer crítica é ao governo é automaticamente descartada como oriunda de direitistas-que-não-gostam-de-pobre (veja que Gabeira, Cristovam Buarque, Marina, por exemplo, são de esquerda e foram esculachados pelo PT quando começaram a abrir os olhos para o que ocorria). E não, eu não sou de direita. E por isso mesmo considero que a esquerda deve pular fora do barco do PT, um partido que não passa de simples picaretagem e manipulação ideológica nos dias de hoje. A esquerda brasileira vai ter que se refundar. Não apenas pela concepção equivocada que ela tem do estado (dar eficiência ao estado não é neoliberalismo não, sabia?), como pela visão completamente equivocada em economia.

      • É preciso buscar mais bem entender o que criticamos

         

        Felipe Lopes (segunda-feira, 28/09/2015 às 11:01),

        Às vezes nós julgamos pela aparência e não aprofundamos no nosso julgamento. A moeda valorizada foi um erro que por sinal a presidenta Dilma Rousseff tentou consertar, mas num ambiente de QE em que as moedas dos países desenvolvidos ficam cada vez mais fraca torna-se uma tarefa impossível. O ministro Guido Mantega é uma referência quando se pesquisa sobre guerra cambial (Currency War)

        E é preciso compreender que apesar do erro de ter permitido a valorização do real, foi a moeda valorizada que possibilitou a compra de reservas elevadas e que dá segurança no momento em que a expectativa de subida do juro americano leva a desvalorização para as moedas de periferia. E é bom lembrar que no tocante a desvalorização da moeda, o Brasil já corrigiu o problema enquanto México, África do Sul estão com a moeda valorizada tanto assim que apresentam déficit na Balança Comercial. E o México foi um país que sempre nos antecipou. À desvalorização do peso mexicano em 1982, seguiu a do cruzeiro em 1983. À desvalorização do peso mexicano em 1994 seguiu a do real quatro anos depois. Agora nós nos antecipamos ao México. E essa antecipação é qualidade e não defeito.

        A gastança que percebíamos que iria nos causar problema no final de 2013 foi que permitiu a economia brasileira se recuperar depois de quatro trimestres de crescimento de 0,1% em relação ao trimestre anterior do quarto trimestre de 2011 até o terceiro de 2012. E na sequência o país cresceu com aumento de investimentos. Assim, no quarto trimestre de 2012, primeiro trimestre de 2013 e segundo trimestre de 2013 houve crescimento dos investimentos. Tudo acontecia com aumentos crescentes do PIB e aumentos expressivos dos investimentos. Só que tudo desmoronou no terceiro trimestre de 2013. Sim, o governo deveria ter previsto a queda do terceiro trimestre de 2013. Sim, é verdade, mas quem foi que tinha essa capacidade de previsão. Ainda mais que toda a política posta em prática no primeiro governo da presidenta Dilma Rousseff se iniciara ainda em 2010, pois nos dois últimos trimestres de 2010 o crescimento do PIB trimestral fora bem inferior aos dois últimos trimestres de 2009, sinalizando para a tendência decrescente do crescimento.

        Você diz, em relação ao governo da presidenta Dilma Rousseff: “Destruiu nossa própria indústria do etanol por conta disso”. Não custa lembrar que a indústria de etanol no Brasil ao contrário do que você diz não só não está destruída como é pujante. Este ano aumentou bastante a produção de álcool uma vez que no mundo todo a indústria açucareira está em recessão e aqui no Brasil quando o açúcar está em baixa há condições de redirecionar a produção porque há consumo de álcool. Depois é bom lembrar que houve melhora do preço do combustível no primeiro governo da presidenta Dilma Rousseff. Não houve foi no governo do presidente Lula. E mais importante, a industrial do etanol utiliza as melhores terras brasileiras. Favorecer essa indústria é desfavorecer a cadeia alimentar do brasileiro. Essa é uma análise que precisa ser feita por técnicos com conhecimento específicos bem profundos e só com base nos estudos deles é que temos espaço para uma manifestação mais embasada e não uma manifestação corriqueira que qualquer criança pode fazer. Não podemos deixar que esses estudos sejam feitos por técnicos da industrial sucroalcooleira, pois esses evidentemente vão defender os interesses que representam. São estudos que devem ser feito por técnicos da Embrapa e da Universidade brasileira e de institutos de pesquisas.

        A política da energia elétrica era uma espécie de QE de país em desenvolvimento. O FED irrigava a economia com dinheiro. O Brasil irrigava a economia com energia competitiva. Além disso no período anterior os vários órgãos brasileiros manifestavam em sentido conflitante sobre o preço de energia, pois os Procons entraram na justiça questionavam certos itens nos preços da tarifa vindos da época do apagão. O TCU, a Anel e o Poder Judiciário em primeira instância cada uma tomava uma decisão em um sentido e o governo quis aproveitar a oportunidade para regularizar a situação e evitar o acúmulo de pendências. E não foi entendido. Nenhum jornal aborda esse problema mas se você fizer consulta nos jornais nos períodos anteriores vai poder ver a série de decisões conflituosas que eram reportadas pela imprensa.

        A política de desoneração da Folha de Pagamento também tinha o viés de melhorar nossa competitividade, não só porque reduzia custo na Folha de Pagamento como se podia aplicar uma alíquota menor para o industrial exportador e ao mesmo tempo o atacadista importador seria obrigado pagar mais imposto de importação, via o imposto na Folha de Pagamento.

        Administrar não é algo fácil, mas basta você observar a inflação, para perceber que ali onde governo nenhum acertou, o governo da presidenta Dilma Rousseff fez verdadeira proeza. Muito provavelmente para países em desenvolvimento a inflação ideal sob o aspecto econômico seja de 6% ao ano. Não é bom para o mandatário, pois a população não apoia governantes que deixam a inflação assumir valores mais altos. Pois bem, durante os 4 anos do primeiro governo da presidenta Dilma Rousseff, embora se trata de um feito que não seja bom politicamente, a inflação variou entre 0,5% – 6,0% + 0,5%. A presidenta Dilma Rousseff talvez seja a única presidenta que possa hoje dizer e que talvez dirá por muito tempo e com total precisão que “nunca d’antes”.

        Não sou economista. Tudo isso que eu disse era constatável por qualquer observador mais atento. Duvido que você vai encontrar qualquer referência sobre o que eu disse na grande imprensa. E normalmente a imprensa por necessidade de sobrevivência vai aonde o povo está. A notícia que a imprensa transmite não é necessariamente a verdadeira. É a notícia que tem mais receptividade com o grande público. Triste é ver alguém se manifestando usando o mesmo jargão da grande imprensa.

        Clever Mendes de Oliveira

        BH, 30/09/2015

  45. Há hora para tudo

    A elite está usando a oposição para jogar toda a causa da crise econômica mundial no lombo da Dilma. 

    Usa a oposição para desconstruir o governo Dilma levando a um caos político. 

    A hora é de denunciar esta irresponsabilidade

    A hora é de denunciar este golpe branco. 

    Não é hora de fazer tão esdrúxulas comparações. 

     

  46. Concordo, mas com ressalvas:

    Concordo, mas com ressalvas: os erros(derivados de ações deliberadas), equívocos(derivados de ações não deliberadas, mas circunstanciais ou contingenciais) e omissões da presidente advieram da VONTADE de acertar. Procuravam sempre o bem do país. Seu estilo pessoal ou suas idiossincrasias são variáveis periféricas. 

    O contrário penso acerca do Sr, Fernando Henrique Cardoso: algum dos seus atos foram – deliberadamente – contra os interesses do país. Nesse sentido, ele não errou ou se equivocou, mas delinquiu. 

    O ministro Gilmar Mendes, um dos escudeiros do ex-presidente, gosta de alardear que o dito petrolão talvez seja o maior escândalo de corrupção do mundo. Modesto, o prezado. Se algum dia no futuro revermos o que ocorreu no processo das privatizações ocorridas nos governos do seu amado guia a soma do mensalão mais petrolão seria troco de moedas. Pinçaria apenas a Vale para uma auditoria.

    Pelo ângulo pessoal, o popularmente conhecido como FHC,  é dado como um egocêntrico vaidoso e que sofre de uma “invejite” aguda em grau terminal do Lula da Silva. um ex-operário semi-analfabeto, cuja sina foi ofuscar o brilho do sociólogo que se fez famoso montado nos feitos dos outros(Plano Real). 

    Hoje o “Iago” da política nacional irá a TV afirmar “que Dilma está pagando pela herança maldita de Lula”. 

    Como se vê, é possível um verme falar.

     

     

  47. A economia é um sistema

    A economia é um sistema caótico com base em vários centros de operações dos especuladores que comandam armadilhas suficientes para segurar o crescimento, sabotar o governo pela imprensa e aliciar a lealdade de deputados e ministros.

    Ou seja: a economia é  como se o diabo reivindicasse a fraqueza como sendo sua e construísse várias trincheiras em torno do gorverno.

    Ela ataca valores para qualquer um que queira utilizá-los para passagem ao dinheiro mal assentado nas cabeças.

    Assim alguns espertinhos dizem que a economia é ciclica como as estações do ano e, no mesmo texto, colocam a Dilma diretamente como causa da política econômica mal feita.

    Eles entram aqui entre a frágil ignorância e a ajuda de Deus e despejam escarnios sobre a presidente, assim como jogam baldes de desânimo num povo que tem uma lider forte como a Dilma.

    Os economistas, profissionais da trapassa, deveriam ser críticos só de si mesmos.

    • Miguel

      Eu disse que a economia é cíclica e por isso nos períodos de bonança devemos ser previdentes para com os tempos difíceis. Em 2005 o Palocci sugeriu um plano para zerar o déficit público em 10 anos. Foi prontamente rejeitado pelos desenvolvimentistas. Perdemos o tempo de bonança por conta disso. Hoje, exatos 10 anos depois, chegou o momento da crise e estamos com as calças arriadas. Se a cegueira ideológica não fosse tão grande, e se tivessem escutado o Palocci, o PT seria reeleito na presidência até 2050. Nossa direita é péssima em direitos civis e programas sociais, mas nossa esquerda é horrorosa em economia.

      • Discordei de se prever o

        Discordei de se prever o ciclo implicito de bonanças e tempos dificeis, sem explicar primeiro a origem da geração de valores.

        Este senso de distinção da origem do valor está 50 anos a frente da literatura econômica:

        1 – O governo se projetar um desenvolvimento o fará por meio das riquezas, de onde se origina o estado do valor como o realizar.

        2 – A economia não se expressa a partir do endividamento final do PIB, mas com base nas reproduções de movimentos pelo valor do trabalho.

        3 – Não há espaço, portanto, para o dinheiro ser outra coisa que não o papel neutro ante a passagem para gestão da circularidade; e [numa medida de alternância entre o valor trabalhado com a obra projetada] o dinheiro pode ser o resultado do processo de produção, ao ponto de completar o governo e sociedade em partes iguals de produtos teóricos.

    • Economia

                Se o problema de Dilma são as taxas que ela baixou, como dizem, irresponsávelmente, e que não chega perto dos danos causados pelo neo-liberalismo de FHC, então o problema não está no aumento de tributos, mas sim na falta de taxação de latifundiários e grandes fortunas.

                  Quem me dera entender de econômia, mas o básico é que pobre assalariado, profissonais liberais  e empresas pagam impostos, latifundiário e grandes fortunas não!

  48. Os desafios da Dilma

    Temos que avaliar o desempenho da Dilma em função dos desafios que teve que enfrentar.

    Os desafios da Dilma foram: 1) o fim do ciclo das commodities, 2)o prolongado período de valorização do câmbio, com o consequente processo de desindustrialização, agravamento das contas externas e falta de investimentos da indústria nacional, 3)a constante ameaça  da fuga de capitais devida ao esperado aumento de juros nos EUA,  4) a permanência da crise de 2008 e 5)a crise fiscal, que vem  se configurando desde a Constituição de 1988, retardada pelo boom das commodities.

    A esses problemas econômicos, temos que acrescentar a crise política causada pela oposição ao não aceitar a derrota nas eleições.

    Quanto à crise fiscal, achei interessante a entrevista do economista Eduardo Gianetti ao Estadão. Ele menciona que em 1988 a carga tributária era de 24% do PIB. Hoje está em 36% do PIB. Adicionando à carga tributária os 8% de déficit nominal chegamos a 44% do PIB. Essa é a porcentagem do produto nacional que passa pelo setor público.

    Segundo Gianetti,  chegamos ao esgotamento da expansão fiscal. Expansão essa devida não somente aos benefícios garantidos pelo contrato social da Constituição de 88, como aposentadoria do setor rural, o SUS, o Bolsa Família, mas também devido a outros gastos, que não têm nada a ver com o contrato social, como o Bolsa BNDES e a previdência do setor público.

    E conclui que há alguma coisa profundamente errada nas finanças públicas brasileiras. Mas não menciona, na escalada dos gastos públicos, a parte que cabe aos juros pagos pelo governo para se financiar.

  49. Como é que você sabe o que

    Como é que você sabe o que FHC sonha ou o que FHC pensa, Nassif ? Você entra na cabeça de FHC ? Agindo dessa maneira você mesmo se desrespeita, cai no descrédito. Quando penso que você já demonstrou toda sua parcialidade, você vem e se supera.  Essa foi demais. Você é o único articulista que sabe o que o ser humano sonha. A propósito, aproveite e diga para o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, o que os investidores estão sonhando para amanhã na Bovespa, pois isso ajudará em muito para que o Banco Central tome as medidas corretas para diminuir a desconfiança com relação ao desgoverno que aí está. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome