Fotografando as ferrovias

the talk of the town

Podiamos usar a rede pra mostrar com FOTOS como andam as obras. Se cada um em sua regiao tirar uma foto e mandar pra um lugar na web, quem sabe a midia acorda.

Comentário

Por “um lugar na web”, entenda-se: o Portal (copie e cole: blogln.ning.comi) que permite anexar fotos e vídeos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

12 comentários

  1. the talk of the town e outros
    the talk of the town e outros interessados:

    Carlos Latuff e Tatiana Calmon disponibilizam no YouTube diversos vídeos em defesa das ferrovias, denunciando depredações e abandonos após a terrível privatização.
    Alguns vídeos são muito tristes e emocionantes. Minha mãe chorou de saudade e de pena pelo que fizeram com nossas ferrovias.
    Colocarei aguns vídeos, mas existem muitos em nome dos dois que citei.

    http://www.youtube.com/watch?v=IjDqFN8oMIU
    http://www.youtube.com/watch?v=7QnH4h0r7ac
    http://www.youtube.com/watch?v=uMSFVtWCLhE
    http://www.youtube.com/watch?v=uVdPtVAjwcA
    http://www.youtube.com/watch?v=nBW2o8-ek54

    Bjus
    Bianca

  2. Pessoal,

    Sou também um
    Pessoal,

    Sou também um apaixonado por trens, quando menino, (faz tempo) – meu pai nos levava à Santos, à partir da Estação da Luz, pela São Paulo Railway – belíssima viagem, após Paranapiacaba, tuneis da Serra do Mar, o sistema de cremalheiras.

    Há uns 10 anos atrás, levei meus filhos à Paranapiaca, para visitar o Museu Ferroviário, que na época, funcionava por obra e empenho de um grupo de ferroviários aficionados por trens, deu vontade de chorar, quando ví o abandono daquilo tudo.

    Mas uma alento: A Editora Edioruo, Segmento-Duetto Editorial lançou uma coletânea – que chama-se CAMINHOS DO TREM – em 6 revistas – você nas bancas, porém já saiu a numero 5. Creio que você ainda consiga os numeros atrasados, entre no site: http://www.historiaviva.com.br
    Um abraço

  3. Nassif,
    Não tenho fotos, vou
    Nassif,
    Não tenho fotos, vou ver se consigo.
    Por enquanto vai um testemunho: A Norte-Sul já está funcionando a partir do Tocantins, da cidade de Colinas- trecho recentemente inaugurado por Lula, com viagem inaugural de transporte de 900 T de soja.
    Deve chegar a Palmas (região central) no início do ano que vem.
    A meta traçada por Lula é terminar o trecho no estado até o final de 2010. Acho ainda bastante ambicioso, mas parece que os trabalhos estão sendo realizados em três turnos.
    No post anterior ficou faltando a informação sobre a ferrovia Leste-Oeste, que teve o projeto de construção antecipado ( segundo me informaram, já está no início do processo de licitação) que ligará o litoral da Bahia ao Mato Grosso, cruzando a Norte-Sul no Tocantins. No percurso passará tb por polos de produção agrícola, como o próprio TO e a região oeste da Bahia (cidades de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães)

  4. Ferrovias do Paraná.
    Grandes
    Ferrovias do Paraná.
    Grandes vítimas do neoentreguismo que ora se desmorona mundo afora, as casas de funcionários e as estações centenárias à beira da ferrovia Curitiba-Paranaguá estão apodrecendo em pé.Tentarei arranjar fotos deste atentado ao bem público (e histórico).
    A alegação da empresa é de que comprou o direito de uso da linha e não os imóveis ao seu lado – que deveriam ser de responsabilidade do governo. No tempo da RFFSA moravam famílias que se incumbiam de cuidar das estações, carpinagem e manutenção dos dormentes e dos trilhos. Com a expulsão destas famílias, veio o abandono que propiciou depredações, assaltos a trens de passageiros e montanhistas que, como eu, acampavam e interagiam com os trabalhadores locais.
    A empresa (ir)responsável saiu em uma reportagem da Isto É Dinheiro com exemplo de gestão, modernização, empreendedorismo e montes de outras qualidades. Apenas qualidades? Isto sim, É Dinheiro!
    Tempos depois, por falta de manutenção, caiu parte de uma ponte histórica somados a vários descarilamentos com passivos ambientais.
    Num outro caso, o da Ferroeste que foi doada pelo governo FHC/Jaime Lerner, o “ganhador” sequer pagou a irrisória quantia da concessão de uma ferrovia recém construída: usou, abusou e lucrou com o bem público, depois de depredada e endividada acabou voltando ao governo. Temo que o atual governo arrume-a para o próximo doá-la novamente, pois no pleito de 2010 estaremos recheados de candidatos neoentreguistas que, infelismente, os curitibanos tanto gostam.

  5. Aqui no RJ os investimentos
    Aqui no RJ os investimentos são somente para o Metrô. Fala-se até em fazer metrô sob a Baía de Guanabara da cidade do Rio de Janeiro para a cidade de São Gonçalo, que é um lugar muito carente, desprovido de maiores investimentos. Porque não estender o trecho que já existe na cidade de Guapimirim, passando por Magé até São Gonçalo, no lugar de colocar metrô sob a água? Seria um trecho que iria beneficiar muitas localidades carentes interligando os dois lados da Região Metropolitana.
    Atenção governantes! Pensem mais, planejem melhor esta obra e gastem menos!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome