Governo decide que auxílio emergencial terá quatro parcelas de R$ 200 a R$ 250

Equipe econômica mostra mais preocupação com o equilíbrio das contas públicas do que em auxiliar a população carente

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro decidiu que as famílias mais carentes devem receber quatro parcelas de R$ 200 a R$ 250 de auxílio emergencial entre os meses de março e junho, sendo que os R$ 250 estão condicionados a uma negociação com o Legislativo.

Segundo o jornalista Vicente Nunes, do Correio Braziliense, o valor proposto é o máximo que a equipe econômica de Paulo Guedes considera viável sem comprometer as contas públicas.

Pelos cálculos do governo Bolsonaro, até 40 milhões de pessoas poderão ser beneficiadas, sendo que parte delas está cadastrada no programa Bolsa Família. Para bancar o benefício, os técnicos da Esplanada acreditam que o Tesouro Nacional terá de se endividar em pelo menos R$ 30 bilhões, com teto de R$ 40 bilhões. O complemento necessário virá do orçamento do Bolsa Família, previsto em R$ 34,8 bilhões.

Para que o pagamento seja feito a partir de março, será necessário aprovar a PEC emergencial – e, pelo cronograma da equipe econômica, ela deve ser aprovada ainda na quinta-feira e, na Câmara, dentro das próximas duas semanas. A partir daí, o governo editará uma Medida Provisória definindo o valor efetivo do benefício, mas deixando claro que não há como bancar valores acima de R$ 250.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora