Guedes mente, O Globo consente, e sua agência de checagem se cala

Entrevista do ministro da Economia apresenta uma série de exemplos de fake news, da inflação ao "compromisso com a saúde"

Reprodução

Alguns exemplos de fakenews, na entrevista do MInistro da Economia Paulo Guedes a O Globo

  1. Peguei uma inflação alta e entregarei uma inflação mais baixa.

Em janeiro de 2019, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado) anual do IBGE estava em 3,78%. Atualmente, está em 6,10%.

O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) da Fundação Getúlio Vargas, foi de 7,54% em 2018. Em 2020 foi de 23,14%¨. Este ano, até abril acumula variação de 9,89%;

  1. Peguei o país crescendo 1% e o entregarei crescendo 3%.

O PIB de 2018 foi de 1,12%. O de 2020, -4,1%.

  1. Peguei o país com 12 milhões de desempregados e o entregarei com dez.

O desemprego estava em 12,4% em dezembro de 2018. E em 14,4% em fevereiro de 2021.

  1. “É uma oportunidade. Ele é a vítima da nossa legislação trabalhista. Quando você bota lá o salário mínimo, um rapaz filho de uma classe média, que estudou em uma boa universidade, fala duas línguas, ele consegue emprego com salário mínimo.”.

A maior inovação teórica das últimas décadas: o salário mínimo se transformou em salário máximo. E retirada da legislação trabalhista melhora salário.

  1. A segunda medida, estamos chamando de Bônus de Inclusão Produtiva (BIP). Da mesma forma que se dá R$ 200 para uma pessoa que está inabilitada receber o Bolsa Família, por que não poderia dar R$ 200 ou R$ 300 para um jovem nem-nem? Ele nem é estudante nem tem emprego. Ou seja, é um dos invisíveis. Agora, esse jovem vai ter que bater ponto e vai ser treinado para o mercado de trabalho.

Esse modelo exige uma interação ampla com as políticas sociais, com sistema SESI SENAC, com base de dados única. Guedes chuta a proposta sem ter a menor noção sobre como articular os diversos setores e como atuar em cima de políticas sociais destruídas pelo atual governo.

  1. O maior exemplo de compromisso com a saúde é que eu falei que tem que criar voucher. Acho natural que, com as novas tecnologias, as pessoas queiram viver 100 anos. O grande desafio é como ajudaremos nesse sentido as camadas mais frágeis. Por que um sujeito rico se interna no (hospital) Albert Einstein e o pobre tem que ficar numa fila do SUS durante dez dias? Se o pobre tiver um voucher e não tiver vaga no SUS, ele vai na rede privada. São soluções privadas efetivas para problemas públicos gravíssimos.

O dia em que um voucher permitir a um pobre se internar no Albert Einstein, nem todo o orçamento do país cobrirá os gastos com saúde. Guedes é mentiroso compulsivo, porque sabe disso. A vantagem do SUS é a universalização a um custo baixo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora