IBRE divulga Sondagem de Investimentos da Indústria

 

05-Jul-2010 |  | 
 

A Sondagem de Investimentos da Indústria realizada entre os meses de abril e maio de 2010 consultou as empresas industriais a respeito de dois assuntos relacionados aos investimentos em capital fixo: i) o principal motivo para os investimentos realizados em 2009 e previstos para 2010; e ii) sobre os fatores que estão limitando a realização de investimentos neste ano.

PRINCIPAL MOTIVO PARA A REALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS

No quesito que procura avaliar as motivações para a realização de investimentos, pela primeira vez as empresas foram consultadas a respeito dos gastos realizados no ano anterior. Até 2009, as empresas vinham informando somente a tendência prevista para o ano corrente.

O principal motivo para a realização de investimentos em capital fixo em 2009 foi o aumento da eficiência produtiva, citado por 32% das empresas. A seguir, a expansão da capacidade de produção, indicada por 29% das empresas e a substituição de máquinas e equipamentos, por 21% das empresas; 18% das empresas informaram estar sem programa de investimentos no ano passado.

Para 2010, a ampliação da capacidade produtiva foi a motivação mais citada para a realização de investimentos, por 40% das empresas, o segundo maior percentual da série iniciada em 1998, inferior apenas aos 50% apurados em abril-maio de 2008. O aumento da frequência de empresas indicando esta motivação para a realização de investimentos está geralmente associada às boas perspectivas de crescimento do setor industrial.

O segundo motivo para a realização de investimentos produtivos em 2010 é o aumento da eficiência produtiva, assinalado por 28% das empresas. Já o fator substituição de máquinas e/ou equipamentos registrou a maior freqüência da série histórica (18%).

A proporção de empresas que afirmam estar sem programa de investimento no corrente ano é de 14%, o menor percentual da série, empatado com os valores registrados em 2007 e 2008.

FATORES LIMITATIVOS À REALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS

A percepção das empresas industriais em relação ao ambiente para a realização de investimentos modificou-se bastante em relação ao ano passado. Entre 2009 e 2010, o percentual de empresas que afirmam encontrar dificuldades para realizar investimentos em capital fixo reduziu-se de 87% para 33%.

Entre as empresas que percebem entraves à realização de investimentos, o fator mais lembrado foi a limitação de recursos próprios, mencionado por 42% das empresas, um salto de 7 pontos percentuais (p.p.) em relação ao ano passado e a maior proporção da série histórica iniciada em 2004.

Embora tenha sido indicado por 26% dos informantes, o fator carga tributária registrou o mais baixo percentual da série histórica como entrave aos investimentos. O custo de financiamento também foi apontado por 26% das empresas, proporção inferior aos 28% do ano passado.

O fator limitativo incertezas acerca da demanda, que havia sido mais citado em 2009, por 50% das empresas, foi indicado por apenas 20% este ano, o segundo menor percentual da série (18% em 2008). As citações à limitação de crédito como um fator limitativo aos investimentos também diminuíram em relação a 2009, de 28% para 25% dos informantes.

 

  IBRE divulga Sondagem de Investimentos da Indústria [10.pdf – 185Kb]

 

http://portalibre.fgv.br/main.jsp?lumPageId=402880972283E1AA0122841CE9191DD3&lumItemId=8A7C8233298A30440129A2392EF16A9A

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora