Índices econômicos da FGV avançam em outubro

Jornal GGN – Os números relacionados à economia apurados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostraram uma melhora discreta em outubro: o Indicador Antecedente Composto da Economia(IACE) para o Brasil, divulgado pela entidade em parceria com o The Conference Board, registrou um aumento de 1,8% em outubro, alcançando a marca de 87 pontos (2010 = 100). Este resultado ocorre após recuos de 2,1%, em setembro, e 1,9%, em agosto.

Seis dos oito componentes que compõem o índice contribuíram positivamente para o índice em outubro: os índices de Expectativas das Sondagens de Serviços e da Indústria, o Ibovespa, o Índice de Produção Física de Bens de Consumo Duráveis, o Índice de Quantum de Exportações e o Índice de Termos de Troca.

Já o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, também elaborado pela FGV/IBRE e pelo TCB, que mensura as condições econômicas atuais, avançou 0,2% em outubro, registrando a marca de 101,2 pontos (2010 = 100). O resultado sucede um recuo de 0,4%, em setembro, e de 0,7%, em agosto. Quatro dos seis componentes contribuíram positivamente para o indicador em outubro.

“O Indicador Antecedente Composto da Economia, para o Brasil, subiu em outubro após onze meses consecutivos de quedas”, afirma Paulo Picchetti, Economista da FGV/IBRE, em comunicado. “No entanto, as taxas de crescimento tanto do IACE como do ICCE permanecem em território negativo e, juntamente com os fundamentos econômicos persistentemente fracos, sugerem que o quadro recessivo iniciado no segundo trimestre de 2014 provavelmente continuará durante os próximos meses”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora