Inflação prevista pelos consumidores fica estável

 
Jornal GGN – A inflação mediana prevista pelos consumidores brasileiros para os 12 meses seguintes ficou estável em 10% em setembro, de acordo com pesquisa elaborada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado interrompe uma sequência de sete altas consecutivas em 2015, mantendo o indicador no nível recorde da série iniciada em setembro de 2005.
 
Em relação à frequência dos valores mais citados pelos consumidores ao prever a inflação futura, as previsões de 10% nos 12 meses seguintes mantiveram-se, pelo terceiro mês consecutivo, como as mais citadas, por 26,7% dos consumidores, contra 27,1% em agosto. Valores mais altos apresentaram uma queda moderada como, por exemplo, previsões de inflação em 12,0%, que registraram 11,6% das citações, um decréscimo de 0,3 p.p. em relação ao mês anterior.
 
“O resultado da pesquisa mostra, pela primeira vez no ano, uma estabilidade na expectativa de inflação do consumidor. Se, por um lado, tal resultado pode gerar certo alívio aos formuladores de política macroeconômica, por outro, continua preocupando, uma vez que a expectativa estabilizou-se em um patamar bastante elevado. A pesquisa também mostra que a elevada expectativa de inflação é generalizada entre as faixas de renda, o que implica em maiores dificuldades para o controle da inflação”, afirma o economista Pedro Costa Ferreira, da FGV/IBRE, em comunicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome