Investimento direto no país chega a US$ 6,6 bilhões em maio

 
Jornal GGN – O volume de investimentos diretos no país chegou a US$ 6,6 bilhões no mês de maio, dos quais US$ 6 bilhões em participação no capital, incluídos US$ 675 milhões decorrentes de reinvestimento de lucros, e US$ 618 milhões em operações intercompanhias. Em doze meses, os ingressos líquidos dos investimentos diretos no país somaram US$ 83 bilhões, equivalentes a 3,81% do PIB (Produto Interno Bruto). Os números foram divulgados pelo Banco Central.
 
Já o volume de investimento direto no exterior chegou a US$ 857 milhões, compreendendo US$ 867 milhões em participação no capital, incluídos US$ 311 milhões decorrentes do reinvestimento de lucros, e retornos no valor de US$ 10 milhões, proveniente de operações intercompanhias.
 
Ao longo do período, os investimentos em carteira passivos apresentaram ingressos líquidos de US$ 3,1 bilhões em maio, compostos por ingressos líquidos de US$ 794 milhões em ações, US$ 1,3 bilhão em fundos de investimento, e US$ 1,1 bilhão em títulos de renda fixa. Os investimentos em títulos de renda fixa negociados no país somaram ingressos líquidos de US$1,1 bilhão. As operações com títulos soberanos negociados no exterior totalizaram amortizações de US$ 47 milhões. Os demais títulos de renda fixa de longo prazo negociados no exterior apresentaram amortizações líquidas de US$ 27 milhões, enquanto os de curto prazo registraram ingressos líquidos de US$ 63 milhões.

 
Os outros investimentos ativos elevaram-se US$ 237 milhões, compreendendo uma expansão de US$ 785 milhões em depósitos de propriedade de empresas não financeiras, e redução de US$ 1,6 bilhão em depósitos mantidos por bancos brasileiros no exterior. Os créditos comerciais e adiantamentos registraram um aumento de US$ 988 milhões em maio.
 
Os outros investimentos passivos registraram amortizações líquidas de US$ 250 milhões. Os ingressos líquidos decorrentes de créditos comerciais e adiantamentos atingiram US$ 915 milhões, concentrados em operações de curto prazo. Os empréstimos totalizaram saídas de US$1 bilhão.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora