“Investment grade” e crescimento

Porque o Brasil ainda não conseguiu o ambicionado “grau de investimento”, que pemitirá baratear o custo dos empréstimos, se todos os sacrifícios já foram feitos na área fiscal?

Explicação do economista Juliana Braga, do UBS, membro do grupo “Tornos e Planilhas” -economistas de mercado e da economia real que se reúnem mensalmente na Agência Dinheiro Vivo:

Outros fatores são analisados pelas agências de classificação, como a relação entre a dívida líquida do setor público e o Produto Interno Bruto, e o histórico de crescimento econômico dos últimos cinco anos. No último item em especial, o Brasil fica bem abaixo dos países que são grau de investimento. O Brasil tem de crescer ou apresentar um desempenho que aponte para tal trajetória antes de se tornar investment grade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora