Novo auxílio emergencial deve ficar abaixo de R$ 300

Equipe econômica do governo Bolsonaro considera pagar menos e favorecer apenas metade dos que recebiam socorro financeiro em 2020

Jornal GGN – Embora o ministro da Economia, Paulo Guedes, tenha admitido a volta do pagamento do auxílio emergencial mediante um plano de equilíbrio fiscal, ele não deve ser pago da mesma forma como ocorreu em 2020.

Segundo o jornal Correio Braziliense, a ideia da equipe econômica é ajudar apenas metade dos brasileiros que estavam recebendo o socorro federal e, possivelmente, por um valor abaixo dos R$ 300 pagos no fim de 2020.

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), admitiu tal possibilidade, mas afirmou que irá lutar por um “valor digno”, e prometeu avançar com o chamado “protocolo fiscal” exigido pelo ministro da Economia. Guedes considera a redução do valor viável, uma vez que parte das pessoas inicialmente atendidas voltou ao programa Bolsa Família e outra parte retomou o trabalho.

Sobre o valor a ser pago, tem quem fale em um benefício de R$ 200, o mesmo valor que o governo pretende conceder no Bolsa Família. Tanto o governo como o Congresso Nacional apontaram interesse em renovar o auxílio sem estourar o teto de gastos, mas ainda não sabe de onde virão os recursos necessários.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora