O Brasil de André – 1

A respeito das considerações politico-filosóficas de André Lara Rezende, na cerimônia em que recebeu o título de “Economista do Ano”.

O Brasil que os economistas do Real, André entre eles, receberam quando FHC assumiu o Ministério da Fazenda

1) Mudanças no comércio exterior, acabando com a parafernália burocrática, e permitindo a mais empresas o acesso a mercados e fornecedores internacionais.

2) Fim de todas as reservas de mercado, especialmente a da informática.

3) Abertura gradual e previsível da economia, induzindo as empresas nacionais a se tornarem mais competitivas.

4) Mudanças na política cambial, acabando com o sufoco histórico das crises cambiais.

5) Lançamento do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade e Produtividade, que tomou de assalto corações e mentes do setor produtivo, apontando o caminho que deveria percorrer para competir com os importados.

6) Interrupção do paternalismo do BNDES.

7) Fim da ciranda financeira, com o bloqueio de cruzados e com o lançamento do fundão, levando as empresas a perceberem que a única segurança de que dispunham era na sua atividade específica.

8) Lançamento do Código de Defesa do Consumidor.

9) Reinserção do Brasil no mercado internacional de capitais, com o levantamento da moratória e a reaproximação com o Japão.

10) Contas internas equilibradas, contas externas equilibradas, dívida pública irrisória.

11) Um furor reformista que permaneceu, mesmo no governo Itamar Franco.

Faltava apenas resolver a questão da inflação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome