O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 0,14%, no primeiro decêndio do mês de julho de 2010

http://portalibre.fgv.br/hyperlink.jsp?itemId=8A7C8233298A30440129B6CD034D272E&lumSI=402880811EFA55F4011EFF1D51555DED

IGP-M desacelera na primeira prévia de julho

O IGP-M registrou, no primeiro decêndio de julho, taxa de variação de 0,14%. Em junho, no mesmo período de apuração, a taxa foi de 2,21%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem do primeiro decêndio de junho para o primeiro decêndio de julho:

  • IPA, de 3,14% para 0,19%,
  • IPC, de -0,26% para -0,31%,
  • e INCC, de 2,18% para 0,89%.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 0,14%, no primeiro decêndio do mês de julho. Para o mesmo período de apuração no mês anterior, a variação foi de 2,21%. O primeiro decêndio do IGP-M de julho compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 30 do mês de junho.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,19%, no primeiro decêndio de julho. No mesmo período do mês de junho, a taxa foi de 3,14%.

A taxa de variação do índice referente a Bens Finais avançou de -0,65% para 0,01%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de -2,66% para 0,37%. No estágio dos Bens Intermediários, a taxa de variação passou de 1,37% para 0,18%. A maior contribuição para esta desaceleração partiu do subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de 1,58% para 0,14%.

  • O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de 0,45%. No mês anterior, a taxa foi de 11,26%. Os itens que mais contribuíram para a trajetória de desaceleração deste grupo foram:
  • minério de ferro (75,25% para -0,63%),
  • leite in natura (5,46% para -3,46%) e milho (em grão) (2,20% para -1,91%). Com taxas em sentido ascendente, destacam-se: cana-de-açúcar (-4,35% para 4,32%), bovinos (-0,75% para 1,35%) e café (em grão) (0,42% para 5,68%).

    O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou, no primeiro decêndio de julho, taxa de variação de -0,31%. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de -0,26%.

  • Quatro das sete classes de despesa componentes do índice registraram decréscimos em suas taxas de variação, com destaque para Habitação (0,41% para 0,11%). Neste grupo, as principais contribuições partiram dos itens: tarifa de eletricidade residencial (1,32% para -0,04%), aluguel residencial (0,32% para 0,17%) e material para reparos de residência (1,52% para 0,06%).

    Também apresentaram recuos em suas taxas de variação os grupos:

  • Vestuário (1,12% para 0,06%),
  • Educação, Leitura e Recreação (0,03% para -0,14%)
  • e Transportes (-0,21% para -0,34%).
  • Nestes grupos, vale mencionar os itens: roupas (1,13% para 0,09%), passagem aérea (2,39% para -6,13%) e seguro facultativo para veículos (0,32% para -2,80%), respectivamente.

    Em contrapartida, apresentaram aceleração os grupos:

  • Alimentação (-1,52% para -1,16%),
  • Despesas Diversas (-0,08% para 0,16%)
  • e Saúde e Cuidados Pessoais (0,37% para 0,39%).
  • Nestas classes de despesa, cabe destacar os itens: frutas (-2,55% para -0,09%), cigarro (0,19% para 0,79%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,06% para 0,38%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou, no primeiro decêndio de julho, taxa de 0,89%. No primeiro decêndio de junho, a taxa foi de 2,18%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,61%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,89%. O índice que representa o custo da Mão de Obra apresentou variação de 1,17%, no primeiro decêndio de julho. Na apuração referente ao mesmo período do mês anterior, o índice variou 3,57%…..

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora