Objeções contra gasoduto

Na visão de Miguel Cuervo, da Fundación Crear, da Argentina, as maiores incógnitas para o gasoduto da América do Sul são as seguintes:

A Venezuela sequer cubou (mediu suas reservas). Essa cubagem leva de 5 a 7 anos. Como entrar no projeto sem saber o quanto existe de gás?

Definição do volume máximo de abastecimento.
Bases para a tarifa de transporte.
Fixação do preço do gás na boca do poço.
Aspectos regulatórios, legais, fiscais e institucionais
As objeções mais freqüentes feitas pelo setor privado são as seguintes:

Comprimento e outras condições do traçado.
Custo do investimento.
Preço do gás nos citigates (a central de distribuição em cada grande centro).
Estabilidade da oferta.
Impacto ambiental.
Proteção contra atos de terrorismo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora