Painel do dia

Investimentos estrangeiros na China recuam

A recessão global fez os investimentos estrangeiros na China caírem nos dois primeiros meses de ano, segundo estatísticas do governo. Nesse período, o montante de investimento direto do exterior foi de US$ 13,3 bilhões, 26,2% inferior ao mesmo período de 2008. No ano passado, o volume de recursos somou US$ 92,4 bilhões, um crescimento de 23,6%.

Clique aqui


EUA devem anunciar ajuda às pequenas empresas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar um plano de incentivo às pequenas empresas, disseram funcionários do governo. “Sabemos que as pequenas empresas são o motor do crescimento econômico, e estamos absolutamente querendo fazer coisas para ajudá-los”, disse a chefe do Conselho de Assessores Econômicos, Christina Romer. A ajuda prevê facilidades na obtenção de crédito, ampliando garantias e eliminando taxas de empréstimos.

Clique aqui


AIG pagou US$ 105 bilhões aos credores

A seguradora norte-americana AIG informou na sexta-feira que pagou US$ 105 bilhões aos seus principais credores. Em sérias dificuldades financeiras, a seguradora recebeu US$ 170 bilhões de ajuda do governo, que se tornou o seu maior acionista. O banco Goldman Sachs era o maior credor, com US$ 12,9 bilhões a receber. Em seguida vieram o Bank of America, com US$ 12 bilhões e os bancos europeus Societé Generale (US$ 11,9 bilhões) e Deutsche Bank (US$ 11,8 bilhões).

Clique aqui


Recuperação econômica será “robusta e sustentada”, diz Bernanke

Em uma entrevista à TV norte-americana ontem à noite, o presidente do Fed (Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, defendeu as ações do governo para sanear o sistema financeiro, e disse que a recuperação econômica não deve começar até que o sistema financeiro se estabilize.”Gostaria de dizer ao povo americano que tenho confiança em que a economia se recuperará de forma robusta e sustentada”, disse.

Clique aqui


G20 busca consenso nas discussões

O G20, que se reuniu no final de semana na Inglaterra, deixou suas divergências sobre estímulos fiscais e políticas regulatórias, para aparentar união. Os Estados Unidos estariam pressionando a Europa para que ela realize cortes maiores de impostos e aumento dos gastos públicos. A reunião de líderes acontece no dia 2 de abril.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora