Painel internacional

O encontro de ministros do G20

BBC NEWS

Os mais poderosos ministros das finanças do mundo estão se reunindo em St. Andrews, no Reino Unido, para uma reunião destinada a puxar a economia do mundo para fora da recessão. A coordenação da política fiscal será a ordem de trabalhos, bem como a forma de policiar as finanças globais e os sistemas bancários. Protestos estão previstos na sexta-feira e sábado, para pedir mais medidas de combate ao desemprego e mudanças climáticas. O evento de dois dias do G20, que está sendo presidido pelo chanceler britânico (de finanças) Alistair Darling, será assistido por Timothy Geithner, secretário do Tesouro dos EUA, bem como os ministros de finanças das maiores economias da Europa e China, Japão, Índia e Rússia. A coordenação da política fiscal e monetária tentará evitar a criação de novos desequilíbrios entre os diferentes países, semelhantes às que levaram à crise econômica no ano passado. Isso envolve, por exemplo, a pressão sobre os EUA para aumentar a poupança e a China, para aumentar o consumo.

Clique aqui

E mais:

Lula desafia líderes mundiais para conversa sobre clima

O enfraquecimento do mercado de trabalho dos EUA

China estreita laços com o Brasil

A insolvência no Reino Unido

Lula desafia líderes mundiais para conversa sobre clima

Financial Times

O presidente do Brasil desafiou outros líderes do mundo a participarem das conversações sobre o clima no próximo mês em Copenhague, para quebrar o impasse nas negociações de redução das emissões de gases de efeito-estufa. Luiz Inácio Lula da Silva disse ao Financial Times que vai falar com Barack Obama, presidente dos EUA, na próxima semana, para instá-lo e a outros líderes, a irem a Copenhague nos dias 16 e 17 – período final das negociações, e salvá-las do fracasso. “Nós não podemos chegar a um acordo por causa de uma deficiência de liderança global”, disse Lula da Silva. “As discussões foram terceirizadas para os conselheiros, mas é melhor que os que digam ‘sim’ ou ‘não’ sejam os primeiros-ministros e presidentes”. Lula citou Hu Jintao, presidente da China, e Manmohan Singh, primeiro-ministro da Índia, como participantes-chave, e disse que irá participar (da conferência) se outros líderes também o fizerem.

Clique aqui

O enfraquecimento do mercado de trabalho dos EUA

Os empregadores dos EUA provavelmente cortarão o menor número de postos de trabalho em outubro em mais de um ano, com a recuperação econômica abrandando a pior queda do mercado de trabalho desde os anos 1930, disseram os economistas em um relatório de hoje. As folhas de pagamento perderam 175.000 trabalhadores, a menor queda desde agosto de 2008, de acordo com a mediana das estimativas de 84 economistas consultados pela Bloomberg News. A taxa de desemprego ter subido para 9,9%, a maior alta em 26 anos, também mostrou a pesquisa. O quadro do desemprego é um dos motivos pelos quais o Federal Reserve (banco central dos EUA) reiterou esta semana a promessa de manter a sua taxa de juros baixa por um “período prolongado”.

Clique aqui

China estreita laços com o Brasil

China e Brasil recentemente completaram com êxito o primeiro acordo internacional de moedas (swap cambial). O Banco da China processou todas as formalidades exigidas pela legislação local em apenas três dias e destinou milhões de yuans para as contas das empresas chinesas no Brasil. A cooperação recíproca tem aumentado desde que a China e o Brasil forjaram uma parceria estratégica, em 1993. Os chefes de Estado dos dois países assinaram uma declaração conjunta em maio deste ano para elaborar um plano de ação para 2010-2014, que irá reforçar a confiança mútua e aprofundar a cooperação. O acordo internacional de moedas é propício para a expansão da cooperação econômica e comercial China-Brasil. O volume comercial em 2008 estabeleceu uma nova máxima histórica de US$ 48,5 bilhões, crescimento de 63,2% em relação a 2007. A China substituiu os EUA tornando-se o maior parceiro comercial do Brasil em abril de 2009, criando mais espaço para a cooperação bilateral.

Clique aqui

A insolvência no Reino Unido

BBC NEWS

Um número recorde de pessoas foi declarado insolvente na Inglaterra e País de Gales no terceiro trimestre de 2009, segundo dados do Serviço de Insolvência. Houveram 35.242 falências pessoais, 28% acima em relação ao mesmo período do ano passado e 6,6% a mais sobre os três meses anteriores. Isso ampliou o número de registros desde o início deste ano. Mas houve notícias melhores para os negócios, com 4.716 liquidações da empresa, 4,7% menor em relação ao segundo trimestre. No entanto, o número de empresas na Inglaterra e País de Gales indo mal no terceiro trimestre do ano foi ainda 14,6% superior ao mesmo período de um ano atrás.

Clique aqui

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome