Painel internacional

Morgan Stanley diz para “ficar com os BRICs”

O Morgan Stanley disse que os investidores deveriam “ficar com os BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China)” e aumentar suas participações (em ativos) na China e Rússia, com o crescimento econômico mais rápido permitindo que os mercados emergentes de ações alcancem os ganhos dos mercados desenvolvidos este ano. “Fique com os BRICs”, escreveram em relatório os estrategistas liderados por Jonathan Garner, referindo-se ao Brasil, Rússia, Índia e China. “O BRIC tende a apresentar o melhor desempenho em anos de não-recessão, como o período de 2003 a 2007, embora tenha tido desempenho inferior em anos de recessão. A corretora elevou sua recomendação deacima da média de mercadopara os ativos chineses e russos em relação ao Índice MSCI de Mercados Emergentes para 2,15%, comparado com 2% e 1,65%, respectivamente. Seus estrategistas também atualizaram as recomendações da Tailândia e Peru de “abaixo da média de mercado” para “dentro da média de mercado, e rebaixou Israel de “ acima da média de mercado” para “ dentro da média de mercado.

Clique aqui

E mais:

FMI diz que crescimento mundial será acima de 3% in 2010

EUA enviam tropas ao Haiti para manter a ordem e distribuir ajuda

Presidente do BC britânico alerta para déficit fiscal

Imóveis de luxo em Hong Kong podem subir 15% em 2010


FMI diz que crescimento mundial será acima de 3% in 2010

New York Times

A economia mundial está se recuperando mais fortemente do que o esperado, e a taxa de crescimento projetada para 2010 provavelmente vai superar a estimativa de 3%, disse o chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, na quarta-feira. Mas disse que a retomada foi irregular e várias regiões estão se recuperando em um ritmo variável. Embora fosse provável que a recuperação nas economias mais avançadas se mantivesse lenta e dependente do apoio governamental, as perspectivas para as economias de mercados emergentes foram consideravelmente melhores, disse em discurso no Fórum Financeiro da Ásia. Ele disse que a recuperação estava sendo liderada pela Ásia entre as economias de mercado emergentes, graças à robustez da demanda interna, a existência de quadros econômicos e uma rápida resposta à crise. O crescimento para a região da Ásia, excluindo o Japão, será superior a 7% em 2010, disse Strauss-Kahn. “Isso significa que muitas economias emergentes serão capazes de deixar as medidas de apoio anticrise mais cedo do que as economias avançadas, com o aperto monetário geralmente precedendo o estreitamento fiscal”, disse.

Clique aqui


EUA enviam tropas ao Haiti para manter a ordem e distribuir ajuda

washingtonpost.com

Centenas de soldados dos EUA apareceram na terça-feira no epicentro do devastador terremoto na capital do Haiti para proteger os comboios e locais de distribuição de alimentos, enquanto outros milhares estão estacionados em navios e helicópteros no litoral, para garantir a ajuda e os esforços de recuperação. Uma semana após o terremoto de magnitude 7 que aleijou esta cidade, muitos haitianos que vivem nas ruas ainda não receberam qualquer comida ou assistência médica do seu governo ou da comunidade internacional, mas há sinais crescentes de que os esforços de ajuda estão ganhando impulso. Como o Conselho de Segurança da ONU aprovou (o envio de) 3.500 tropas suplementares para a missão no Haiti, os militares dos EUA e outras forças estrangeiras começaram a distribuir comida dos aviões, desembarcando tropas por helicóptero em bairros voláteis e trabalhando para preparar outros pontos de entrada para a entrega de ajuda.

Clique aqui


Presidente do BC britânico alerta para déficit fiscal

The Wall Street Journal

O presidente do Banco da Inglaterra, Mervyn King, disse na terça-feira que o governo britânico deve agir rapidamente para superar o déficit fiscal estrutural (cortar gastos públicos) da nação, e que o fracasso pode ter implicações negativas para as perspectivas de longo prazo da economia. King disse que o orçamento da primavera proporcionaria a oportunidade de demonstrar um forte compromisso com a sustentabilidade fiscal de longo prazo, e reiterou que a eliminação do déficit estrutural seria essencial para reequilibrar a demanda na economia do Reino Unido. Os comentários de King vieram no momento em o país se prepara para a eleição nacional, que deve ser realizada em junho. Ao enfatizar tão fortemente a situação fiscal, King está esperando injetar um grau de seriedade no debate político, mesmo quando a época de grandes campanhas promete (uma série de) abordagens políticas. “A incerteza sobre como e quando a política fiscal terá resposta tem uma influência direta na política monetária. E os mercados podem ser implacáveis”, advertiu King, ecoando os comentários do chairman do Federal Reserve (BC dos EUA) Ben Bernanke, de que os desafios de curto prazo não devem ser solucionados apenas para evitar a resolução pontual dos desequilíbrios fiscais.

Clique aqui


Imóveis de luxo em Hong Kong podem subir 15% em 2010

Os preços das casas de luxo em Hong Kong podem aumentar mais que 15% este ano e não há bolhas na cidade e no mercado imobiliário da China, segundo a Cheung Kong, a incorporadora do homem mais rico da Ásia, Li Ka-shing. Os preços das residências de luxo podem aumentar 10% a 15% este ano, e as novas casas para o mercado de massa, entre 15% a 20%, disse hoje Justin Chiu, diretor executivo da Cheung Kong em Hong Kong. As receitas de vendas de casas na China podem ultrapassar 30 bilhões de yuans (US$ 4,4 bilhões) neste ano, disse. Isso se compara com a sua previsão de setembro, de vendas de 1,5 bilhão de yuans em 2009. “Eu realmente não vejo uma bolha (especulativa)“, afirmou Chiu. “Não deveria haver tanta preocupação sobre os esforços do governo em esmagar o mercado. Os comentários de Chiu opõem-se aos do investidor Jim Rogers, que disse ontem que os preços das propriedades na cidade e em Xangai estão em uma bolha e “devem diminuir”. Os preços dos imóveis em 70 cidades por toda a China subiram 7,8% em dezembro, o ritmo mais rápido em 18 meses. Os preços das unidades de Hong Kong tiveram a maior disparada entre os principais mercados de habitação do mundo no ano passado, de acordo com a consultoria de imóveis Frank Knight LLP. Os preços nos últimos seis meses de 2009 aumentaram 30% em Hong Kong e 20% na China, levando Chiu a concluir que especuladores podem estar trabalhando.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora