Painel internacional

China pode se tornar a segunda maior economia

New York Times

A China disse na quinta-feira que sua economia cresceu 10,7% no quarto trimestre em comparação com um ano atrás, quando o país continuou a avançar, enquanto muitas outras nações ainda estão tentando atravessar a recessão global. Isso foi acima da taxa de crescimento revisado de 9,1% no terceiro trimestre. Durante o ano todo, o produto interno bruto chinês cresceu 8,7%, superando a taxa referencial de crescimento de 8% que os líderes chineses afirmam ser necessário para manter a estabilidade social. Se a China mantiver a taxa de crescimento, é muito provável que substitua o Japão como segunda maior economia do mundo até o final deste ano. O Escritório Nacional de Estatísticas também anunciou na quinta-feira que a produção industrial em dezembro aumentou 18,5% e as vendas no varejo subiram 17,5%. O índice de preços ao consumidor dezembro cresceu 1,9% e o índice de preços ao produtor 1,7%.

Clique aqui

E mais:

Obama quer reformas para limitar o risco dos grandes bancos

Roubini diz que mercado acionário mundial pode sofrer correção

Banco Mundial eleva projeções, mas alerta sobre riscos

Zelaya obtém passagem livre para a República Dominicana


Obama quer reformas para limitar o risco dos grandes bancos

ABC News

Amanhã de manhã o presidente Obama, dos EUA, vai abraçar as recomendações de regulação financeira de Paul Volker – presidente do Comitê Presidencial de Aconselhamento para a Recuperação Econômica – para limitar a tomada de riscos pelas instituições financeiras, consideradas “grandes demais para falir“. Há alguns dias, como parte do Grupo dos 30, Volker ofereceu 18 recomendações relativas à reforma da regulamentação financeira. ‬‪Entre essas recomendações: ‬‪Enormes, sistemicamente importantes instituições bancárias devem ter restrições na tomada de atividades proprietárias que apresentem riscos particularmente elevados e sérios conflitos de interesse. O patrocínio e a gestão de fundos privados mistos de capital (isto é, fundos de hedge e de private equity em que o capital próprio das instituições bancárias seja misturado com os fundos dos clientes), devem normalmente ser proibidos e grandes operadores deveriam ser limitados por capital estrito e rigorosas exigências de liquidez “.

Clique aqui


Roubini diz que mercado acionário mundial pode sofrer correção

O rali global das ações pode terminar no segundo semestre do ano, em meio à tênue recuperação nas maiores economias do mundo e enquanto as pressões deflacionárias limitam os ganhos nos resultados corporativos, disse Nouriel Roubini. O fracasso em conter as bolhas nos preços de ativos em mercados emergentes, alimentado por políticas monetárias frouxas nos EUA e ao redor do mundo, também pode causar um “desmanchar e uma correção significativa dos preços dos ativos, que será prejudicial ao crescimento econômico global e regional“, disse Roubini hoje em Hong Kong. O Índice Global MSCI subiu 73% em relação à baixa de março no ano passado, somando mais de US$ 27 trilhões para o rali de ativos, ao passo em que a economia global se recupera da pior recessão do pós-guerra. O Banco Mundial, enquanto elevou sua previsão de crescimento mundial em 2010 ontem, alertou que a recuperação pode perder impulso se os programas de estímulo forem retirados e o “alto” desemprego persiste.

Clique aqui


Banco Mundial eleva projeções, mas alerta sobre riscos

The Wall Street Journal

A economia mundial está se recuperando mais rapidamente do que o previsto da mais profunda recessão desde a Segunda Guerra Mundial, disse o Banco Mundial, mas alertou que há o risco de uma desaceleração de duplo mergulho. Lançando as primeiras previsões econômicas mundiais desde junho de 2009, o Banco Mundial foi mais otimista sobre as perspectivas deste ano. Disse esperar que o crescimento global atinja 2,7% em 2010 em vez dos 2% da previsão anterior. A contração em 2009 também foi estimada para ser mais modesta do que o esperado.

Clique aqui


Zelaya obtém passagem livre para a República Dominicana

The Wall Street Journal

O presidente deposto de Honduras, José Manuel Zelaya, terá garantia de passagem livre para a República Dominicana como convidado, para resolver o impasse diplomático que o manteve preso em Honduras, disse o presidente da República Dominicana, Leonel Fernandez, na quarta-feira. Zelaya, que está hospedado na embaixada brasileira em Honduras, seguiria para a República Dominicana nesta terça-feira, afirmou Fernandez. O acordo foi alcançado com o presidente hondurenho eleito Porfirio “Pepe” Lobo, tendo os candidatos derrotados na eleição presidencial de novembro passado assinando o acordo como testemunhas. Lobo toma posse na próxima semana. A garantia de salvo-conduto de Zelaya para fora de Honduras, onde é processado por acusações de abuso de poder, é o primeiro passo para reintegrar Honduras à comunidade internacional que repudiou o golpe, disse Lobo numa conferência de imprensa na quinta-feira. Apesar de as pesquisas mostrando que a anistia a Zelaya continua impopular, Lobo disse que ter um ex-presidente trancado dentro de uma embaixada não é o tipo de imagem que vai fazer o país avançar.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome