Painel internacional

Economistas defendem novo mandato para Bernanke

Ben Bernanke merece outro mandato de presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), baseado em seu sucesso no combate à crise financeira, disse Paul Krugman, economista da universidade de Princeton e vencedor do Prêmio Nobel. “Ele ganhou o direito a um segundo mandato”, disse ontem, em uma entrevista em Kuala Lumpur (Malásia). “Ele transformou o Fed em um intermediário financeiro de último recurso. Quando o sistema bancário não conseguiu entregar capitais onde foi necessário, ele colocou o Fed nos mercados”. O debate sobre o destino de Bernanke, 55, está se intensificando, enquanto ele se aproxima do final de seus quatro anos de mandato como presidente em 31 de janeiro. Embora Krugman e o economista Nouriel Roubini expressaram apoio ao ex-economista de Princeton outros, incluindo Anna Schwartz, disseram que a falta de transparência exacerbou a crise financeira. Schwartz defende a substituição de Bernanke por causa de erros na política monetária e fracasso em articular os objetivos do banco.

Clique aqui


Goldman Sachs eleva previsão para China

O banco Goldman Sachs elevou a previsão de crescimento econômico da China este ano para 9,4%, citando a “forte dinâmica” e a probabilidade de que o governo vá atrasar sua política de aperto (monetário). A estimativa anterior era de ganho de 8,3% em relação ao ano anterior, disse o economista Michael Buchanan, do banco em Hong Kong, em um relatório enviado hoje por e-mail. A economia pode se expandir 11,9% no próximo ano, disse ele. O produto interno bruto da China se expandiu 7,9% no segundo trimestre ante o mesmo período de 2008, recuperando-se do crescimento mais fraco em quase uma década, com o estímulo de 4 trilhões de iuanes (US$ 585 bilhões) e o nível recorde de empréstimos surtindo efeito.

Clique aqui


Bases e bazucas

Economist.com

Quando o governo colombiano revelou em 26 de julho que três lançadores de foguete anti-tanque suecos, vendidos à Venezuela em 1998, foram encontrados em um acampamento do grupo guerrilheiro FARC, esperava que os vizinhos partilhassem a sua indignação. Em vez disso, os dirigentes do Brasil e Chile aparentemente se alinharam ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para expressar a preocupação sobre o acordo que permitiria aos Estados Unidos o uso de várias bases navais e aéreas colombianas. Frustrado pela reação, o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, interrompeu suas curtas férias do meio do ano em uma de suas fazendas para uma turnê relâmpago em sete países sul-americanos (incluindo o Brasil e Chile). Seu objetivo é convencê-los de que a verdadeira ameaça na América do Sul vem dos traficantes insurgentes e seus aliados, e não dos Estados Unidos.

Clique aqui


China baixa o tom das acusações de roubo

The Wall Street Journal

Os funcionários do governo chinês recuaram na segunda-feira das alegações de que executivos da mineradora Rio Tinto custaram ao país mais de US$ 100 bilhões pelo roubo de segredos estatais, dizendo ser a opinião pessoal de um trabalhador. O Segredo On-Line da China, um site em língua chinesa afiliado à Administração Nacional para a Proteção de Segredos de Estado (NAPSS, na sigla em inglês), publicou um ensaio de Jiang Ruqin durante o fim de semana que dizia que a Rio Tinto tinha empregados envolvidos em uma fraude mais de seis anos, que acarretaram às siderúrgicas chinesas um pagamento elevado de minério de ferro de 700 bilhões de iuanes, ou US$ 102 bilhões.

Clique aqui


Aumentam os pedidos à indústria japonesa

BBC NEWS

As encomendas à indústria de base no Japão subiram em junho, mostram os números, mas os fabricantes do país estão rebaixando suas perspectivas. Os pedidos de máquinas – visto como chave, porém volátil, indicador de investimentos corporativos – aumentou 9,7% de maio para junho, para 732,8 bilhões de ienes (US$ 7,5 bilhões). Este foi o maior aumento em quatro meses, e acima das previsões de 2,9%. Mas analistas alertaram contra o otimismo excessivo, enquanto um levantamento dos fabricantes assinalaram perspectivas menores. Os fabricantes esperam queda nas encomendas no trimestre que se encerrará de setembro, em comparação com os três meses antes, mostrou uma pesquisa do governo.

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora