Painel internacional

Índices futuros sobem nos EUA

Os índices futuros das bolsas dos EUA subiam na segunda-feira-feira, após os bancos centrais de todo o mundo se abstiveram de sinalizar se vão elevar as taxas de juros quando a economia estabilizar. O S&P 500 subiu 3,3 pontos a 1,028.50 e o futuro do Nasdaq 100 acrescentou 2,5 pontos a 1,638.00. O índice futuro do Dow Jones Industrial Average subiu 38 pontos. As ações dos EUA avançaram na sexta-feira após a venda de casas existentes subir mais rapidamente do que o previsto, e com o presidente do Federal Reserve Ben Bernanke dizer que a economia global está começando a sair da recessão. Na conferência onde Bernanke falou na sexta-feira, os banqueiros centrais estavam cautelosos sobre as perspectivas de recuperação econômica e não deram nenhuma indicação de aperto. A conferência de Jackson Hole (Wyoming) se encerrou com comentários sugerindo otimismo cauteloso sobre as perspectivas econômicas – o Fed um pouco mais otimista, talvez, e o Banco Central Europeu sublinhou um pouco mais de cautela“, disse Paul Donovan, economista do UBS.

Clique aqui

Bernanke ganha apoio para segundo mandato

The Wall Street Journal

A perspectiva de um segundo mandato para o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, não foi discutida no retiro anual de presidentes de bancos centrais do país e Europa. Mas, em paralelo à reunião, muitos disseram que Bernanke deveria ficar com o trabalho – e acreditam que isso irá acontecer. Com o mandato de Bernanke terminando em janeiro, o presidente Barack Obama deve decidir nas próximas semanas se oferece a ele uma segunda gestão. O voto de confiança nas reuniões de Jackson Hole demonstra que os polegares de seus colegas estão virados para cima.

Clique aqui


China vai ultrapassar EUA em uma década

The Australian

A China deverá ultrapassar os EUA como a maior economia do mundo dentro de uma década. No entanto, o economista-chefe do Deutsche Bank China, Jun Ma, também previu uma desaceleração substancial da economia chinesa, que enfrenta um aumento significativo na inflação. “Nos próximos 10 anos, a China será maior do que os EUA tanto em produto interno bruto como também em importações”, disse. “Os EUA serão mais dependentes da demanda chinesa”.
Ma, que trabalha em Hong Kong, prevê que a economia chinesa, terá de enfrentar um padrão de crescimento na forma de ‘W’ em médio prazo, em comparação com a economia global, que muitos analistas prevêem agora uma recuperação em forma de ‘U’. A economia chinesa voltou ao crescimento acima das expectativas, de quase 9% no trimestre passado, depois de uma desaceleração inicial que assustou os mercados financeiros mundiais e gerou preocupações de que a segunda maior economia do mundo estava perdendo ímpeto.

Clique aqui


Encomendas à indústria da Eurozona aumentam

BBC NEWS

As encomendas à indústria na zona do euro subiram em junho, mostraram os dados oficiais, sugerindo que o setor industrial estaria emergindo da recessão. Os novos pedidos aumentaram 3,1% em comparação com o mês anterior, apesar da queda de 0,4% em toda a União Europeia. Encomendas na França e Alemanha aumentaram, países que emergiram de uma recessão que durava um ano a partir do período encerrado no segundo trimestre. Apesar da subida mensal, as encomendas nos 16 países que usam o euro caíram 25,1% em comparação com junho de 2008.

Clique aqui


Santander quer recomprar 16,5 bilhões de títulos

ELPAIS.COM

O Banco Santander anunciou hoje a recompra de títulos de securitização no montante de 16,5 bilhões de euros, para “melhorar a estrutura de recursos próprios e fortalecer o balanço”, segundo o banco informou hoje à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV). Especificamente, o banco lançou um programa de recompra para os detentores de ativos lastreados por títulos de 27 séries diferentes, emitidas por alguns fundos geridos pela Santander Securitização, no valor de 16,5 bilhões de euros. O montante em dinheiro que deve honrar cada título será igual à soma do preço de compra para cada série de títulos, acrescido de juros vencidos e não pagos a partir da última data de pagamento de juros (este incluído), até a data de liquidação ofertas de venda (excluído).

Clique aqui


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome