País à venda

Enviado por: Ruben

Um tsunami está sendo criado, e provavelmente vamos ver uma nova onda de valorização cambial em alguns meses (quiçá semanas). Três notícias dos últimos dias: i) o Citigroup agora publica na bloomberg taxas de empréstimo e captação, de dólares, mas denominadas em reais (qualquer um com conta no citi em qualquer lugar do mundo pode agora fazer um depósito a prazo denominado em reais); ii) o Société Genéralé comprou o Banco Cacique, ou seja, uma plataforma para vender ativos brasileiros para seus clientes (é só mais uma aquisição de uma longa lista neste ciclo, que talvez comece com o UBS comprando o Pactual… certamente não será a última!); iii) A Merrill Lynch vai emitir divida própria denominada em Reais… ou seja, vai captar lá fora a 10.5%, internar o dinheiro e aplicar aqui dentro a 12%. Estamos com 100bi de reservas: onde vai parar a brincadeira?

Curioso que ninguém parece se lembrar mais da lição elementar de economia internacional: não é possível ter política monetária autônoma com câmbio fixo e livre fluxo de capitais. Estamos vendo ao vivo e a cores o que isto significa. Apertem os cintos!

PS: Na época pouca gente entendeu o que era este negócio do UBS comprando o Pactual. Pareciam estar pagando uma fortuna. Qdo o UBS acabou vendendo algumas dezenas de bilhões de ativos brasileiros para seus clientes, cobrando “fees” de 1% ou mesmo 2%, caiu a ficha: em meses já tinham pago todo o investimento… os outros bancos começaram a correr atrás. Literalmente Brasil está à venda… de graça!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora