Projeção do crescimento do PIB chega a 2,4%

Da Agência Brasil

 
Daniel Lima
 
Brasília – Os analistas e investidores do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central (BC) estão mais otimistas com o crescimento da economia e da produção industrial este ano. A nova projeção de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) para 2013 chega a 2,4%, contra os 2,35% da estimativa anterior.
 
Os números estão no boletim Focus, divulgado semanalmente pelo BC. A projeção de inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) permanece em 5,82% e a taxa de câmbio, no final do ano, deverá cair para 2,35%, em relação à estimativa de 2,36% da pesquisa anterior.
 
O crescimento dos preços administrados foi mantido em 1,8%. A taxa básica de juros deverá ficar em 9,75% ao ano, em dezembro, com a dívida líquida do setor público caindo de 35% para 34,75% em comparação ao PIB.

 
A produção industrial estimada em 2,1% na pesquisa anterior passou para 2,12%. No setor externo, o Focus indica que o déficit em conta-corrente do Brasil chegará a US$ 78 bilhões, com a balanço comercial registrando saldo de US$ 2 bilhões em comparação aos US$ 2,5 bilhões da estimativa anterior.
 
O investimento estrangeiro direto previsto pelo mercado financeiro será US$ 60 bilhões, preveem os analistas e investidores.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Olha isso aqui:
    Note

    Olha isso aqui:

    Note mensuelle – Amérique Latine

    Amérique Latine

    A l’instar d’autres émergents, plusieurs pays latino-américains ont vu leur croissance s’affaiblir depuis le début de l’année. Le cas le plus marqué est celui du Mexique. Ce pays, qui avait enregistré une croissance de 3,9% en 2011 et 2012 n’a connu qu’une croissance de 1,1% depuis le début de l’année. Face à la tendance générale au ralentissement, l’Argentine fait figure d’exception : elle a connu un rebond depuis le début de l’année, avec une croissance de 5,1% sur le premier semestre. 

    Le Brésil, quant à lui, a eu un deuxième trimestre meilleur que prévu sur le plan de la croissance. Mais les tensions inflationnistes persistent et ce d’autant plus que la dépréciation du réal intervenue au cours des derniers mois pourrait raviver la hausse des prix. Le relèvement du taux directeur devrait peser négativement sur la croissance. A l’approche de l’élection présidentielle d’octobre 2014 les autorités chercheront à optimiser les marges de manœuvre budgétaires étroites dont ils disposent pour soutenir l’activité économique.

     

    faten BOUKHCHANA
    Carlos QUENAN
    Juan Carlos RODADO

     

    Carlos Quenan foi meu professor de Economia no Instituto da América Latina. Não sei se ele continua por la; sei que é consultor do grupo Natixis, de onde saiu essa nota. 

  2. isso não é projeção de

    isso não é projeção de crescimento, mas sim de empacamento!!!  a media da Dilma e dos ultimos anos do Lula não é superior a esse patamar, enquanto que outros paises do Brics tem medias melhores!!!!  e o sinal de falta de planejamento para além da proxima eleição!!!!

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome