Sabesp tem lucro 11,5% maior no segundo trimestre

Jornal GGN – A Sabesp (Companhia de Água e Saneamento do Estado de São Paulo) registrou um aumento de 11,5% em seu lucro líquido durante o segundo trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, para um total de R$ 337,3 milhões.

Segundo os dados divulgados ao mercado, a receita operacional líquida da empresa – que considera a receita de construção – totalizou R$ 2,8 bilhões, um acréscimo de 2,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Há mais de um ano, a empresa vem concedendo descontos na tarifa de água de consumidores que fazem economia no consumo. Ao mesmo tempo, o faturamento com construção avançou 33%, para R$ 904,8 milhões, ao passo que os custos e despesas caíram 11,2%, a R$ 1,46 bilhão.

Os custos e despesas, os quais consideram os custos de construção, totalizaram R$ 2,4 bilhões, um acréscimo de 1,5% quando comparado aos R$ 2,3 bilhões apresentados no mesmo período do ano passado.

O EBIT (lucro antes de juros e imposto de renda) ajustado, no montante de R$ 472,5 milhões, aumentou 7,6% em relação aos R$ 439,1 milhões apresentados em igual período do ano anterior. Já o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, no montante de R$ 756,6 milhões, aumentou 14,3% ante os R$ 661,7 milhões apresentados no ano passado (acumulando assim um total de R$ 3,355 bilhões nos últimos 12 meses). A margem EBITDA ajustada resultou em 26,8% no segundo trimestre, ante os 24% obtidos em 2014 (30,6% nos últimos 12 meses). 

“Mesmo diante do cenário hídrico adverso e da redução significativa do consumo, a Sabesp conseguiu entregar operacional e lucro líquido acima do esperado pelo mercado. As campanhas para redução de consumo e concessão de bônus, seguiram refletindo na queda do volume faturado (-7,5%) e da receita com prestação de serviços (-7,9%)”, dizem os analistas da Concórdia Corretora, em relatório.

Ao comentar sobre o lucro da empresa, a corretora diz que “o controle sobre custos e despesas e os reajustes tarifários implementados nos últimos doze meses” foram importantes para a performance apresentada, mas também “contou muito a redução de provisões e o ganho em variação cambial na comparação com o segundo trimestre de 2014”.

“Gostamos da postura da companhia em buscar recomposição de tarifas, mesmo diante da aplicação da política de bônus, e avaliamos positivamente o controle dos gastos, mas ainda seguimos receosos com o quadro atual de parte de seus principais sistemas e dos desafios para se executar projetos que melhorem a condição do abastecimento em São Paulo”, alerta a corretora.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 comentários

  1. Cadê a crise???

    Eu só leio sobre aumento do lucro dos bancos, da sabesp, do salário do judiciário, da verba do fundo partidário, dos juros da dívida. Realmente, crise só aqui em casa…

  2. Quero morrer afogado nesses

    Quero morrer afogado nesses números!

    Alguém por favor me dê informações sobre como me tornar acionista dessa empresa que registra lucros líquidos em altos níveis?

  3. Enquanto isso o rio tiete
    Enquanto isso o rio tiete continua imundo. Fazem coleta de esgoto e não tratam.pagamos esgoto para que o mesmo seja despejado nos rios. Essa é a vida tratada com respeito.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome