Saída de André Brandão do BB não causa surpresa

Assessores fazem coro de “já vai tarde”, embora ideia inicial fosse manter executivo no cargo até demissão de Castello Branco da Petrobras sair do radar

Andre Brandão. | Foto: Agência Senado

Jornal GGN – Assessores do presidente Jair Bolsonaro mostram uma opinião bem clara sobre a intenção de André Brandão em sair da presidência do Banco do Brasil: “já vai tarde”.

Segundo o jornalista Vicente Nunes, do jornal Correio Braziliense, os assessores dizem que “(o presidente Jair) Bolsonaro nunca gostou muito de Brandão”, e que a ideia era manter o executivo no posto até que a poeira em torno da demissão de Roberto Castello Branco da Petrobras baixasse, mas, “como Brandão antecipou o processo, que saia logo”.

Pelo presidente, Brandão teria sido demitido do BB em janeiro, quando foram divulgados os planos de demissão voluntária (PDVs) e o programa de fechamento de 361 pontos de atendimento, sendo 112 agências, o que gerou desgastes políticos.

Além disso, assessores ressaltam que Brandão só ficou no cargo “devido aos apelos de Guedes e de Campos Neto” – ou seja, Bolsonaro fez uma concessão ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que indicou o executivo para o BB.

Leia Também

André Brandão deixa presidência do Banco do Brasil

Bolsonaro decide demitir presidente do Banco do Brasil

ANABB se manifesta contra demissões no Banco do Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora