Tesouro Nacional, BNDES, investimento do setor privado, investimento público, controle da liquidez

06/08/2010

Creio que o aporte do Tesouro Nacional ao BNDES está demosntrando que é possível aumentar os investimentos do setor privado, desde que tenhamos juros compatíveis com a média dos juros internacionais.

O aporte do Tesouro Nacional ao BNDES está permitindo melhorar as contas públicas, o controle da liquidez, o crescimento da taxa de investimento em relação ao PIB, garantindo as condições para uma acentuada redução dos juros da Selic.

Na prática o aporte ao BNDES está ocupando o lugar das PPPs e garantindo a expansão da taxa de investimento do setor privado.

Dados do BNDES demonstram que o setor privado vem respondendo de forma vigorosa, o BNDES PSI desde seu lançamento, em julho de 2009,  teve R$ 36,6 bilhões em desembolsos e R$ 55,6 bilhões em operações contratadas, sendo R$ 48,1 bilhões contratados para a produção e aquisição de máquinas e equipamentos.

Um dos setores mais afetados pela crise de liquidez do final de 2008 foram justamente as micro, pequenas e médias empresas(MPMEs). A expansão do número de operações do BNDES com MPMEs nos últimos 12 meses foi de 112%.

Os repasses para MPMEs representaram 20% do total das liberações nos últimos 12 meses, mas considerando-se apenas os três primeiros meses de 2010, a participação elevou-se para 39%, contra os 24% registrados entre janeiro e março de 2009 (de R$ 4,34 bilhões para R$ 9,85 bilhões, com alta de 127%).

Sem o aporte do Tesouro Nacional muitos destes investimentos não teriam sindo viabilizados, em função das altas taxas  de juros da Selic praticadas pelo copom, o que teria obrigado o Governo do Presidente Lula aumentar os gastos em investimento para compensar a queda do investimento do setor privado.

Como já sabemos o custo dos investimentos do setor público é mesmo da rolagem da dívida pública, pois para realizar os investimentos públicos o Governo destina parte do orçamento que poderia ser utilizada para resgatar a dívida público e/ou lança título públicos no mercado para bancar os investimentos aumentando a dívida pública.

Com o aporte do Tesouro Nacional o BNDES o Governo do Presidente conseguiu recuperar o crescimento da taxa de investimento com apoio do setor privado e com um custo muito menor do que seria um eventual aumento dos investimentos públicos.

Além de viabilizar o aumento da oferta de bens e serviços, aumentar a arrecadação, o aporte do Tesouro Nacional esta conseguindo canalizar parte do capital do sistema financeiro diretamente para o investimento, e diminuindo a necessidade do Bacen enxugar a liquidez do sistema.

Precisamos lembrar que sem o aporte do Tesouro Nacional, este capital continuaria no sistema, e como não poderiam ser canalizados para o investimento em função dos altos juros da Selic praticados pelo copom, a maior parte deste capital teria que ser enxugado pelo Bacen,  aumentando o compulsório ou o volume das operações compromissadas, o que também representaria um enorme custo para o Tesouro nacional, muito maior que o aporte ao BNDES.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome