União Europeia pode suspender carne brasileira

Embaixador em Brasília disse que decisão pode ser tomada se explicações não forem satisfatórias 

 
Jornal GGN – O embaixador da União Europeia (UE) em Brasília, João Gomes Cravinhos, colocou sobre o Ministério da Agricultura a responsabilidade sobre o bloqueio ou não que o bloco poderá impor à importação de carne brasileira.
 
Em entrevista para o jornal O Globo, Cravinhos declarou que a decisão da UE dependerá das informações sobre o funcionamento do sistema sanitário no país: se elas não forem suficientes, o bloqueio será levantado. 
 
Os dados foram solicitados na sexta-feira pela UE ao Ministério, logo quando a denúncia estourou, e deverão ser encaminhados ainda neste final de semana, ou seja, em um tempo bastante apertado. 
 
O embaixador foi convidado para uma reunião com o presidente Michel Temer, na tarde deste domingo. Logo na segunda (20), ele terá uma reunião em Buenos Aires com representantes do Mercosul. Ao Globo ele garantiu que a operação da PF não irá influenciar a pauta do encontro na Argentina, onde serão discutidas cotas e tarifas.
 
 
 
 
Embaixador do bloco diz ao GLOBO que bloqueio ocorrerá se explicações não forem suficientes
 
POR ELIANE OLIVEIRA
 
BRASÍLIA – O risco de o Brasil ser punido com o fechamento de mercados importantes para carnes bovina e de frango, como o europeu, é cada vez maior, por causa da Operação Carne Fraca da Polícia Federal. Segundo o embaixador da União Europeia (UE) em Brasília, João Gomes Cravinho, se as explicações a serem fornecidas neste fim de semana pelo Ministério da Agricultura sobre o funcionamento do sistema sanitário brasileiro não forem suficientes, o bloco poderá suspender as importações desses produtos.
 
— O Brasil é o maior exportador de carne de frango e um dos maiores fornecedores de carne bovina para a União Europeia, mas estamos com um problema que põe em dúvida a credibilidade do sistema sanitário brasileiro. Nossa preocupação é com o consumidor europeu e a suspensão é uma possibilidade — disse o embaixador ao GLOBO.
 
As informações foram pedidas na última sexta-feira, mesmo dia em que foi divulgado o esquema de irregularidades e corrupção que pôs em xeque a qualidade da carne consumida no Brasil e vendida ao exterior. A União Europeia é o destino de 9,3% das exportações de frango do país. Cravinho disse que, além de dados técnicos sobre o funcionamento do sistema e da própria fiscalização, a UE quer saber quanto, neste momento, navios que estão a caminho da Europa levam de carne bovina e de frango do Brasil.
 
— Precisamos saber se é um problema pontual ou se realmente estamos diante de um problema maior. Também precisamos saber se a carne a caminho da Europa pode ser consumida — afirmou o embaixador.
 
Cravinhos foi convidado para uma reunião na tarde deste domingo, no Palácio do Planalto, com o presidente Michel Temer. Ele elogiou o convite de Temer que, em sua opinião, mostra que o governo brasileiro quer um tratamento de alto nível para essa questão.
 
— Se os esclarecimentos não forem satisfatórios, vamos aplicar todos os mecanismos possíveis para defender o consumidor, inclusive a suspensão das importações. Até a última quinta-feira, não podíamos imaginar que isso fosse acontecer.
 
REUNIÃO EM BUENOS AIRES
 
Na próxima segunda-feira, haverá uma reunião, em Buenos Aires, entre representantes do Mercosul e da UE. As conversas serão sobre o acordo de livre comércio que está em negociação. Cravinho garantiu que a operação da PF não vai influenciar os debates:
 
— São duas coisas diferentes. Vamos discutir cotas e tarifas, e não questões sanitárias.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora