Valor da produção agrícola pode atingir R$ 271 bilhões em 2013, prevê ministério

 

O prognóstico para o valor bruto da produção agrícola (VBP) apurado nas principais culturas brasileiras atingiu R$ 271 bilhões, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O valor é 10,2% superior ao visto em 2012, quando a sinalização foi de R$ 246 bilhões, e considerado o maior da série histórica, iniciada em 1989.

 

Os números foram influenciados pela melhora registrada na maioria dos produtos acompanhados entre 2012 e 2013. Os maiores aumentos esperados do valor bruto devem ocorrer na batata-inglesa (29,3%), feijão (14,5%), fumo (15,6%), laranja (28,8%), milho (11,9%), soja (18,3%), tomate (76,2%) e trigo (18,9%). Com elevações pouco abaixo destas estão o arroz, banana, cana de açúcar e mandioca.

 

Segundo o ministério, “esses resultados decorrem de combinação de melhores preços e quantidades maiores do que as observadas no ano passado”. Dentro do grupo de produtos analisado, aqueles que representam a maior parte do VBP são café, cana-de-açúcar, laranja, milho e soja – o equivalente a 73% do valor bruto gerado em 2013 pelas principais lavouras. No caso de milho e soja, os resultados do bom desempenho são creditados à produções recordes e preços favoráveis dos produtos agrícolas neste ano.

 

Quanto aos dados regionais, houve certa estabilidade na região Norte, e aumentos de valor nas demais regiões. O aumento do VBP no Nordeste está estimado em 13,3%, com destaque para os aumentos de valor no Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte e Sergipe. Nestes estados o desempenho da banana, mandioca e feijão foram destaque.

 

No Sul e Centro Oeste, o ministério afirma que o aumento se deve aos resultados favoráveis especialmente de milho e soja – no caso específico do sul, outras lavouras também ajudaram na composição do valor de produção, como batata inglesa e fumo. No Sudeste os resultados da cana de açúcar e laranja em São Paulo, e do café, cana-de-açúcar, milho e soja em Minas Gerais ajudaram no valor da produção.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome