Oito materiais para entender Paulo Freire

No mês do nascimento do educador, o Instituto Paulo Freire selecionou, a pedido do Centro de Referências, textos, áudios e vídeos sobre o pernambucano

Por Dafne Melo do, Centro de Referências em Educação Interal

Dia 19 de setembro de 1921, nascia em Recife (PE) Paulo Freire, patrono da educação brasileira e um dos pedagogos mais prestigiados do mundo.

Apesar do reconhecimento, a vasta obra de Freire ainda é pouco estudada no Brasil. Na data de seu aniversário, Instituto Paulo Freire – a pedido do Centro de Referências em Educação Integral– selecionou, a partir de seu Acervo, alguns materiais que permitem entrar em contato com a obra do educador. Confira abaixo a seleção de materiais, todos disponíveis online.

 

Saiba +Paulo Freire em seu devido lugar

1. “Paulo Freire e todos nós: algumas lembranças sobre sua vida e seu pensamento”, Carlos Rodrigues Brandão.

Nesse artigo, que leva o subtítulo “Lembranças sobre sua vida e seu pensamento”, o professor da Universidade de Campinas (Unicamp), Carlos Rodrigues Brandão, faz um relato pessoal e afetivo do educador, traçando um perfil de sua personalidade e abordando aspectos importantes de sua obra, como a ideia da consciência humana como uma construção e a centralidade do diálogo em seu método pedagógico. 

2. ”Freire: tudo sobre o homem e o educador“, Maria José Ferreira. 

Nesse pequeno texto, Maria José faz uma breve resenha do livro Convite à leitura de Paulo Freire, de Moacir Gadotti, um dos grandes parceiros de Freire durante a vida. “Pelos 15 anos de convivência, e possivelmente pela amizade pessoal que os une, temos no livro acima um dos mais completos sobre Paulo Freire”, escreve.

3. O Método Paulo Freire e as contribuições político-pedagógicas para a educação brasileira, Margareth Neves Desmarias. 

A monografia se dedica a analisar as contribuições político-pedagógicas do pernambucano para a educação brasileira, destacando o Método Paulo Freire. O texto descreve suas propostas, traçando as bases nas quais se assentam. A autora também salienta o aspecto revolucionário da concepção metodológica proposta por ele, posto que institui uma nova relação entre educador e educando.

4. Educação e conscientização, Paulo Freire. 

Trata-se do capítulo IV da obra Educação como prática da liberdade, de 1967. Nele, o autor fundamenta historicamente sua concepção de educação, vista sempre em uma relação indissociável da conscientização política. Dessa forma, o processo de ensino-aprendizagem envolve a transformação de homens e mulheres em sujeitos de transformação social. As pessoas devem saber ler não apenas letras, mas ler o mundo, a partir de uma perspectiva crítica e autônoma.

5. Paulo Freire: uma biobibliografia, Moacir Gadotti (organização).

Essa obra reúne diversos estudiosos da obra do educador, bem como dezenas de pessoas que conviveram com ele. A característica do livro é buscar relacionar sua biografia com sua bibliografia, ou seja, descrever as imbricações entre o que Freire escrevia e o que fazia: entre teoria e práxis. Extratos da obra também estão disponíveis em formato audiolivro.

6. Pedagogia do Oprimido (audiolivro), Paulo Freire.

Uma das obras mais famosas e traduzidas do educador está disponível no Acervo em formato de audiolivro, lido pelo seu filho, Lutgardes Costa Freire. O livro foi escrito no Chile, em 1968, quando Freire estava no exílio, durante a Ditadura Militar brasileira. No Brasil, foi lançado apenas 6 anos depois. O trabalho é fruto das reflexões e da prática de Freire, a partir de sua experiência com a alfabetização de adultos. O educador escreve sobre a concepção “bancária” da educação como um instrumento da opressão e propõe uma ruptura a partir de um novo modelo, pautado por uma educação conscientizadora e libertadora. Os áudios podem ser baixados separadamente e o livro, inteiro, em formato mp3, aqui.

7. Paulo Freire Contemporâneo, Toni Venturi.

O documentário, feito para a TV Escola, é assinado pelo cineasta Toni Ventura, que dirigiu filmes como Cabra CegaDia de Festa e Latitude Zero.  Em 50 minutos, somos apresentados às ideias, vida e obra do educador pernambucano, por meio de depoimentos de seus familiares, amigos e estudiosos. O filme aborda a perseguição a Freire e ao seu método, no período da ditadura militar, e também resgata experiências contemporâneas herdeiras do pedagogo.

https://www.youtube.com/watch?v=U6HTx9FsWhs align:center]

8. Educar para Transformar, Tânia Quaresma.

O vídeo-documentário percorre os cenários urbano e rural, mediante várias linguagens, trazendo a vida e a obrado pedagogo. Usando linguagens como o rap, hip-hop, grafite e cordel, o vídeo reúne ainda depoimentos de familiares, amigos e estudiosos, que ajudam a construir um panorama sobre a história de Paulo Freire, registrando e divulgando um legado expressivo de nossa cultura. O vídeo faz parte de um conjunto de ações do Projeto Memória 2005.

[video:https://www.youtube.com/watch?v=WJryIAcbRRE align:center

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

12 comentários

    • Que É Das Outras Sete?

      Boa noite.

      “Partindo de Paulo Freira, mais oito materiais para entender nosso atraso, nossa pobresa…”.

      Já vislumbramos uma delas, a pobreza, no que concerne à escrita na língua pátria. Mostre-nos as outras sete, por favor…

  1. O problema é que esse método

    O problema é que esse método só funciona em democracias como a cubana em que , se o cara derespeitar o professor, poderá ir passar o resto da vida cortando cana. Além disso, quando se vai pesquisar, todos os funcionários só podem dizer que a educação não tem problema ou vão morrer na cadeia

    • Golbery falou e não disse

      Basta entrar numa escola cubana – qualquer uma – e ver a alegria das crianças saudáveis, risonhas e bem vestidas para perceber que você não sabe do que está falando!

      Não tente verificar porque quem vai passar o resto da vida cortando cana é você!

  2. há um monte de análises críticas a Paulo Freyre

    é só ir aos buscadores.

    E a wikipedia brasileira não é confiável. Até quando viveremos na adoração? (confesso que tenho dúvidas quanto a P. Freyre, Anarquista Lúcida foi quem deu melhor colaboração, e sou grato a ela, sugiro lê-la, tá no arquivo dela).).

    • do pouco que sei e por um sociólogo tri erudito q conhece as

      experiências noutros países. Não tenho paciência de voltar ao tema.

      Pedagogos não são meus favoritos.

      Ôps: Freire.

      • “É nóis” !

        É nóis !  Ops .. rs.

        Taí o que você queria. E Anarquista já resolveu. Ela é demais, sabe muito. De vez em quando dá umas aulas sobre Língua Portuguesa que são maravilhosas.

        Pena os “faladores” sem embasamento. Mas faz parte. São as “redes”..

  3. Paulo Freire

    Bom material. Freire é um dos mais respeitados educadores do mundo. Sua obra é um orgulho para nós. Seu legado parece não acabar. E tem gente que fala em “método”….affe, trata-se de uma filosofia.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome