Bolsonaro diz que “há algo muito errado” em país gastar com educação

As mudanças da "Lava Jato da Educação" podem ir além de apurações de desvios: podem impactar no modo de ensino de escolas e professores

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro considerou que “há algo muito errado” com o Ministério da Educação (MEC) gastando R$ 130 bilhões, uma significante quantia em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), superior à média de países desenvolvidos.

Por isso, para ele, considerando que a educação brasileira gasta muito, é preciso a “Lava Jato da Educação”.

“Brasil gasta mais em educação em relação ao PIB que a média de países desenvolvidos. Em 2003 o MEC gastava cerca de R$30 bi em Educação e em 2016, gastando 4 vezes mais, chegando a cerca de R$130 bi, ocupa as últimas posições no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA)” [sic], publicou Bolsonaro em suas redes sociais.

O cenário que poderia ser visto de maneira positiva por diversos especialistas é para Bolsonaro algo negativo: “Há algo de muito errado acontecendo: as prioridades a serem ensinadas e os recursos aplicados. Para investigar isso, o Ministério da Educação junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União criaram a Lava-Jato da Educação”, defendeu.

Jair Bolsonaro também admitiu que a Lava Jato da Educação pode gerar greves e movimentos coordenados, mas que para ele são ruins, “prejudicando o brasileiro”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora