Especialistas discutem a importância do ensino de literatura nas escolas

Por Juliana Sada, do Centro de Referências em Educação Integral

Qual o papel da literatura na formação das crianças e adolescentes? O que a leitura pode acrescentar aos alunos? Como trabalhar as diferentes obras literárias em sala de aula? Os jovens gostam de ler?

Diante dos desafios trazidos pela literatura aos educadores, o Centro de Referências em Educação Integral entrevistou especialistas durante oficina promovida pela Fundação SM sobre o tema. Para os entrevistados, a leitura traz enormes potenciais ao desenvolvimento integral das crianças e adolescentes, contribuindo de maneira decisiva no processo educativo.

Leia + Livros que toda criança e adolescente devem ler

Para Gabriela Rodella, especialista em ensino de literatura e doutora pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, a leitura do texto literário tem que estar presente no currículo escolar. “A partir dessa leitura você pode construir diferentes interpretações que vão formando uma comunidade de leitores que passam a compartilhar suas impressões e aprendem juntos a ler o texto”, indica.

Isso só é possível, segundo a editora Claudia Mesquita se o professor tem e apresenta verdadeira paixão pela literatura. “Ele precisa conseguir atrair seu aluno para esse universo tão rico que a literatura propicia; ele precisa saber do que está falando, ele precisa ler.”

Gabriela  ainda aponta a importância de trazer às escolas as obras de interesse dos meninos, convidando-os processualmente às do cânone escolar. “Ninguém nem discute a leitura que eles fazem e isso é um problema porque aí a prática da literatura fica fora da escola. O que eles leem fica fora da escola e o que a escola quer eles não leem”, justifica, indicando que para mudar esse cenário e convidar os estudantes às obras de importância para escola, é preciso trazer a discussão à sala de aula. “Não será ignorando o que eles leem que iremos conseguir construir essa ponte”, complementa.

Assista o vídeo completo com as entrevistas:

https://www.youtube.com/watch?v=V52FgE7RJ5Q align:center

As especialistas estiveram presentes no 6º Fórum Extraordinário da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, que aconteceu em maio deste ano, em Florianópolis.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 comentários

  1. E os demais

    Eu devo ser muito cru. Alguém acredita que não encontraremos especialistas dizendo da importância do ensino de Português, matemática, história, geografia, química, física, biologia, sociologia, filosofia, ingles, princípios de contabilidade, economia, economia doméstica, elouquência,etc., etc., etc., e apresentando todos os motivos possíveis e imagináveis se justificando?

    • Literatura é leitura

      Literatura infantil nacional é rica. Emília no país da gramática, Reinações de Narizinho. Pelo jeito leram o post e não assistiram ao vídeo…

      A falta de reflexão e compreensão do ser humano, o ódio, a violência, a superficialidade do mundo moderno tudo isso pode ser discutido em sala de aula a partir da leitura de textos literários. Qual o problema dos Best Sellers? Não levam à reflexão. Texto fácil, facilmente consumido.

      Que tal dar uma olhada na proposta antes de acusá-la de futilidade de especialista?

      Pra quem quiser saber mais, deixo o link. Planos de aula criados de acordo com esses pressupostos:

       

      http://issuu.com/pipacomunica/docs/cadernosderesidenciapedagogicavol08/1

       

  2. Okay mas não dá mais para
    Okay mas não dá mais para empurrar goela abaixo 10 livros do Álvaro Azevedo e outros para a criançada.
    Coisa muito velha.

    Menos livros de época. Apenas os mais importantes.

      •  
        Leia Issac Asimov hoje e

         

        Leia Issac Asimov hoje e depois releia seu comentário.

         

        Leia drácula. kkkk, eu Li. Vai ler lá para ver se é bom. Não, não é bom. É algo que FOI muito bom 3 séculos atrás. Hoje beira o ridículo.

         

        Uma coisa é o livro ter reconhecido o seu valor literário no decorrer da história. Outra é o livro ser bom hoje. Hoje!!!

        Ter valor literário, ser bem escrito não quer dizer que o livro é bom hoje.

        É uma realidade muito distante dos dias atuais.

        Já passamos por 3 revoluções tecnológicas e os autores brasileiros de HOJE, pararecem não ter percebido.

        Continuam a escrever sobre as mesmas coisas que Alvaro de Azevedo escrevia.

         

        Mas… isso não deve ter nada a ver.

        • Destruamos todos os

          Destruamos todos os clássicos. São muito velhos. Perderam atualidade. Leiamos apenas o que está sendo escrito agora. Literatura boa é somente a literatura atual que tenha incorporado as últimas novidades tecnológicas.Ora, ora, sr. Athos, βαλλ`εισ κὁρακας. Creio que o sr. nunca leu um bom livro. Pelos seus comentários, chega-se à conclusão que o sr. não faz a menor ideia do seja boa literatura.

          • Vou me permitir…

            Realmente boa literatura é bom de se ler. Mas os tempos alteraram um pouco nosso modo de ver e ler. Leio o Machadão e adoro. Estive relendo Crime e Castigo e fiquei perplexo, mas não consigo passar de determinado ponto em Don Quixote. Ganhei de presente um livro do Balzac ( A pele de Onagro). Foi difícil e não foi, digamos, fácil. Invejo quem l~e obras de qualquer tempo com igual facilidade, mas nem sempr é possível ( e olha que gargalhei horrores lendo Voltaire).

  3. dei aula no eja – educação de

    dei aula no eja – educação de jovense adultos – e tive uma experiencia interessante.

    depois que o governo federal por meio do mec distribuiu  dezenas de títulos de livros sobre literatura – desde machado a bilac – foi possível incrementar os estudos de leitura desses grandes autores com a facilidade de ter o livro em mãos  a hora que quisesse

    e os alunos tb….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome