Em Barueri, 9 escolas estaduais serão fechadas e prefeitura assume

Da Rede Brasil Atual

 
Cidade vai incorporar à sua rede nove escolas que seriam fechadas. Os milhares de alunos do curso noturno serão transferidos para outras unidades
 
por Cida de Oliveira
 
São Paulo – A prefeitura de Barueri, na Região Metropolitana de São Paulo, vai incorporar à sua rede as nove escolas que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu fechar como parte de seu programa de “reorganização” da rede estadual de ensino. O acordo foi firmado semana passada em reunião com o secretário estadual da Educação, Herman Voorwald.

Segundo o secretário-adjunto da Educação de Barueri, Régis Luiz Lima de Souza, o município já compartilha com o estado esses prédios desde os anos 1990. “Durante o dia, nessas escolas, há oferta de ensino fundamental pela prefeitura, que é responsável também pelos professores e demais funcionários. O ensino noturno é mantido pelo estado”, diz.

Para os estudantes matriculados na rede municipal que frequentam essas escolas, não haverá mudanças. Porém, os 7.500 alunos do curso noturno serão transferidos para outras unidades, que serão anunciadas no próximo dia 14, em reunião com os pais que será convocada pelos diretores.

O futuro de mais de 500 professores e outros funcionários também é incerto. Marco Antônio Soares,coordenador da subsede do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) em Carapicuíba, que abrange Barueri, diz que a situação é trágica.

“Como o município é rico e investe mais recursos na educação, chegando a pagar salários mais altos, a população prefere que seus filhos estudem na escola municipal e não se vê afetada pela reestruturação, que vai atingir alunos que serão transferidos e vão estudar em classes ainda mais superlotadas”, diz. “Isso enfraquece a resistência ao projeto estadual em Barueri.”

Por outro lado, em Carapicuíba havia seis escolas na lista do secretário Herman. Será fechada uma, onde o programa de educação de jovens e adultos compartilhava o espaço com o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, para a oferta de cursos técnicos. “O prédio deverá sediar a Diretoria de Ensino de Carapicuíba, que atualmente ocupa uma outra escola que será liberada para o ensino. É um dos raros casos em que alunos serão beneficiados”, diz Marco Antônio.

Amanhã (6), às 10h, os professores vão protestar diante da Diretoria Estadual de Ensino de Itapevi, que abrange as escolas de Barueri.  Eles temem o futuro dos trabalhadores. Os contratados deverão ser demitidos e os concursados serão transferidos para outras escolas, até mesmo em outros municípios. Ou ficarão à disposição do estado.

“É uma movimentação que ainda não temos ideia de seu impacto. Como ficarão aqueles que acumulam aulas em escolas diferentes, em redes diferentes, para compor sua remuneração?”, questiona Marco Antônio.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora