UFF diz a governo Bolsonaro que terá consequências graves com corte

Estudantes da Universidade Federal Fluminense colocaram bandeira “Direito UFF Antifascista” na faculdade de Direito, em outubro de 2018 – Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Universidade Federal Fluminense (UFF), do Rio de Janeiro, foi uma das instituições de ensino superior atacadas pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, que anunciou um corte de 30% das verbas federais por motivos de “balbúrdia” e supostamente não fazer “a tarefa de casa”. “Se confirmada, esta medida produzirá consequências graves para o pleno funcionamento da Universidade”, disse a instituição, em nota oficial, neste 1º de maio.

Respondendo diretamente aos ataques do ministro de Jair Bolsonaro, a UFF disse que defende “com firmeza o princípio constitucional da livre manifestação do pensamento, com tolerância e respeito à diversidade e à pluralidade”.

Entenda aqui: MEC corta verba de universidades que fazem “bagunça”

Ainda, ao contrário do que alegou o ministro sobre não apresentar bons resultados em rankins de universidades, a UFF lembrou que “é atestada pela pontuação máxima (5) no conceito institucional de avaliação do MEC” e que detem “o maior número de alunos matriculados na graduação entre todas as universidades federais”. “Além disso, a UFF é a 16ª colocada no ranking RUF, entre quase 200 universidades”, continuou.

Leia, abaixo, a íntegra da nota da Universidade Federal Fluminense:

Nota oficial da UFF à comunidade sobre corte de verbas do orçamento

As Instituições Federais de Ensino Superior receberam pela imprensa a informação de que haveria novo bloqueio de verbas do orçamento discricionário de 2019. Os contingenciamentos não foram uniformes e três universidades sofreram mais: Universidade Federal Fluminense, Universidade de Brasília e Universidade Federal da Bahia. A UFF ainda não foi comunicada oficialmente da decisão do Ministério da Educação, mas foi constatado o bloqueio de 30% dos recursos disponíveis para manutenção das atividades, como bolsas e auxílios a estudantes, energia, água, luz, obras de manutenção, pagamento de serviços terceirizados de limpeza, segurança, entre outros. Se confirmada, esta medida produzirá consequências graves para o pleno funcionamento da Universidade.

A UFF é hoje uma das maiores, mais diversificadas e pujantes universidades do país, prezando pela excelência em todas as áreas do conhecimento. A qualidade da UFF é atestada pela pontuação máxima (5) no conceito institucional de avaliação do MEC e temos o maior número de alunos matriculados na graduação entre todas as universidades federais. Além disso, a UFF é a 16ª colocada no ranking RUF, entre quase 200 universidades.

Nossa universidade exerce com responsabilidade a proteção do patrimônio público e das pessoas, defendendo com firmeza o princípio constitucional da livre manifestação do pensamento, com tolerância e respeito à diversidade e à pluralidade.

Faremos todo o esforço institucional ao nosso alcance para demonstrar ao Ministério da Educação a necessidade de reversão dos cortes anunciados.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora