Após reforma de R$ 20 mil, Temer volta ao Jaburu por “fantasmas”

 
Jornal GGN – O presidente do Brasil, Michel Temer, chegou a virar reportagem da revista norte-americana Time. O motivo? A sua justificativa para a mudança do Palácio do Planalto ao Jaburu por causa dos “fantasmas”.
 
A afirmação foi dada em entrevista original à Veja na última semana. “No mês passado, o presidente mudou-se com a família do Palácio do Jaburu, a residência do vice, para o Palácio da Alvorada. Ele conta que, a partir de então, não conseguiu mais dormir. Seriam fantasmas?, perguntou. A solução foi voltar ao Jaburu”, publicou o semanal.
 
Já a Time preferiu repercutir em tom de deboche: “O presidente do Brasil, Michel Temer, disse que vibrações ruins, ou possivelmente fantasmas, o expulsaram da residência oficial”. 
 
“Temer e sua mulher de 33 anos, Marcela, aparentemente encontraram o Palácio Alvorada – projetado pelo arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer – assustador. “Eu senti algo estranho lá, eu não era capaz de dormir desde a primeira noite.A energia não era boa”, completou a revista norte-americana, com a declaração do presidente.
 
A revista produziu até um vídeo com o enredo da história de fantasmas da família Temer, estampando uma foto do presidente com expressão de assustado:
 
 
Ao tomar conhecimento da declaração de Temer, a ex-presidente Dilma Rousseff ironizou: “morei lá e nunca teve nada disso não, nunca vi fantasma nenhum”.
 
O peemedebista se mudou de volta ao Jaburu, onde é a residência oficial do vice-presidente da República, no início de março. A mudança ocorreu logo após o site Poder360 noticiar que a família havia modificado por completo a decoração histórica do Alvorada, por simplesmente Marcela, a primeira-dama, não gostar de móveis vermelhos e Temer rejeitar sofás pretos.
 
O ex-curador dos palácios Claudio Soares Rocha havia criticado duramente as modificações feitas pelo então novo presidente, após o impeachment de Dilma Rousseff:
 
 
Além das mudanças estéticas para agradar o gosto de Michel e Marcela Temer, o casal ainda fez uma reforma de mais de R$ 20 mil no Palácio do Planalto, que incluiu a instalação de telas de segurança, sob a justificativa de garantir a segurança de Michelzinho, de sete anos.
 
Dilma, em sua resposta, também respondeu à medida de Temer: “Aliás, o meu neto ficou lá dos seis meses aos seis anos e também nunca caiu”.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora