O que será Brasília em 2060

Do Yahoo

Estudo revela perspectiva sombria para Brasília em 2060

Daqui a 50 anos, Brasília será a capital dos idosos, formará uma gigantesca área urbana com Goiânia, sofrerá altas taxas de desemprego e criminalidade e o tombamento será corrompido por soluções emergenciais para o transporte público. É o que aponta estudo preliminar de um grupo de pesquisadores brasileiros, caso persisita o atual modelo de desenvolvimento no Distrito Federal.

Brasília é a cidade com o maior PIB per capita do país. No entanto, a capital planejada também figura entre as 20 cidades do mundo com maior desigualdade social, segundo lista divulgada pela ONU (Organização das Nações Unidas). De acordo com os pesquisadores, o crescimento desordenado aumentaria as diferenças entre as classes sociais. Como consequência, as taxas de desemprego e os índices de criminalidade subiriam.

AtuAtualmente, a densidade de automóveis de Brasília – um milhão de veículos para três milhões de habitantes – já se equipara à da Grande São Paulo – 6 milhões para 18 milhões, respectivamente. De acordo com o estudo, a preservação das características originais do Plano Piloto será comprometida, pois alternativas para um transporte público eficiente obrigará alterações no tombamento. Uma possível restrição para a circulação de veículos na área central da cidade demandaria bolsões de estacionamento ou de um metrô elevado que modificariam a paisagem.

O Projeto BsB 100, que deve ser concluído até o fim do ano, usa dados e projeções de órgãos internacionais e nacionais, como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ) e CGEE (Centro de Gestão de Estudos Estratégicos). O objetivo é fornecer bases para a formulação de políticas públicas e desenvolvimento de um plano estratégico para cidade e seu entorno.

O coordenador do projeto, Tadao Takahashi, especialista em Planejamento Estratégico da PUC-Rio (Pontifica Universidade Católica do Rio de Janeiro) , elegeu seis áreas de alerta para a capital federal nas próximas cinco décadas: território, população, ciência e tecnologia, educação e juventude, economia, trabalho e emprego, governança e estilo de vida.

Com informações da Universidade de Brasília.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome