Uma operação estranha

Está cada vez mais confusa essa história da inspeção veicular em São Paulo.

Quem levou a concessão foi a empresa Controlar. Na Folha de hoje fica-se sabendo que é da holding CS, do notório Carlos Suarez, ex-sócio da OAS.

Não se sabe como foi a licitação nem qual foi a estrutura montada pela empresa para proceder à inspeção. Sabe-se apenas que o município de São Paulo tornou obrigatória a inspeção nos veículos novos – que teoricamente são os que menos produzem poluição.

Agora, a Folha informa que a CS venderá a Controlar para a CCR por R$ 121 milhões. O que é a Controlar? É uma empresa que tem uma concessão no município de São Paulo.

O que precisa ser esclarecido:

1. Qual o investimento que foi feito na Controlar, para essa inspeção?

2. A concessão conquistada por ela foi onerosa (ou seja, teve que pagar) ou foi de graça?

3. Quais os termos da licitação? Quem participou? Porque a Controlar foi vencedora?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora