Ipea endurece normas para divulgação de pesquisas

Em ofício, instituto sinaliza punição a quem não respeitar as regras; agora, estudos serão divulgados após ‘aprovação definitiva’

Carlos Von Doellinger, presidente do Ipea. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) endureceu as regras para publicação e divulgação de estudos – em ofício enviado a funcionários, o instituto afirma que “estudos e pesquisas são direito patrimonial do Ipea, a quem cabe definir o momento e a forma de divulgação”.

Assinado pelo presidente do Ipea, Carlos Von Doellinger, o documento afirma que estudos e pesquisas só podem ser divulgados após “aprovação definitiva”, e que desobedecer tais regras pode configurar “até infração disciplinar”.

O presidente da Associação dos Funcionários do Ipea, José Celso Pereira Cardoso Junior, afirma que os servidores do Ipea sempre tiveram a liberdade de confrontar questões, até mesmo durante o período da ditadura. “Estamos retrocedendo a um nível inacreditável. Isso é assédio institucional”, diz Cardoso Júnior.

Segundo o jornal O Globo, tal medida já causou algumas mudanças de postura entre os funcionários: os pesquisadores que sempre atenderam a imprensa pedem que a assessoria de imprensa seja informada antes da entrevista, enquanto a publicação de artigos e entrevistas têm considerado apenas as credenciais acadêmicas, com os estudiosos evitando citar a filiação profissional.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora