No RJ, passagem de ônibus sobe para R$ 3,05

Por Vinicius Carioca

Passagem de ônibus vai para mais de R$ 3,05 em janeiro

Prefeito disse que haverá reajuste maior para instalação de ar-condicionado na frota toda

Por Christina Nascimento, Do Jornal O Dia

Rio –  Os passageiros de ônibus do município devem preparar o bolso. O prefeito Eduardo Paes anunciou ontem que o reajuste das passagens, que valerá a partir de 2 de janeiro, deve ser maior do que o dos outros anos — de 10%, em média. Uma das justificativas é que os empresários terão que colocar ar-condicionado e piso baixo em toda a frota de ‘quentões’.

Com isso, o investimento vai gerar sobrepeso no valor da tarifa, que deverá ficar superior a R$ 3,05. O último aumento, em janeiro passado, fez o valor saltar de R$ 2,50 para R$ 2,75.

Hoje, cerca de 10% da frota, de 8.700 carros, tem ar-refrigerado. A intenção é que a adaptação para os ‘geladões’ atinja 25% ao ano, progressivamente, até 2016. Paes afirmou que acabará com a tarifa diferenciada entre os ônibus comuns e os frescões, que custam de R$ 2,85 a R$ 5,40.

“Hoje, o ônibus com ar-condicionado, tirando o BRT, tem tarifa diferenciada, o que é patético. Quero todos os ônibus da cidade com ar-condicionado e piso baixo até 2016. Para isso você tem o investimento do Rio Ônibus. Temos que fazer contas. Já estou conversando com os quatro consórcios. E a gente vai anunciar, provavelmente até o fim deste ano, já que tem um reajuste acertado em janeiro, como está definido no contrato de licitação. Pode ser que tenha um aumento maior para ter este investimento”, disse o prefeito, acrescentando que manterá o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, no cargo.

O aumento é calculado em cima de fórmula que considera custos e insumos, como combustível, pneus, peças mecânicas e o dissídio dos rodoviários. O prefeito não descartou subsidiar o reajuste, se a tarifa ficar muito alta. “Ainda não tenho o equilíbrio da conta (da colocação de ar-condicionado), mas meu pessoal está estudando. Se ficar um aumento absurdo, terei que subsidiar, mas a princípio não precisa”, completou.

Município só vai parcelar multas se o departamento deixar de recolher taxa

A polêmica envolvendo a lei estadual que permite o parcelamento de multas no Detran ganhou ontem mais um capítulo. O prefeito disse que só autoriza que as infrações aplicadas pelo município sejam pagas em prestações, se o Detran deixar de recolher 50% do valor que é pago pelos motoristas. Segundo Paes, a decisão está nas mãos do presidente do órgão, Fernando Avelino.

“O Detran leva metade do que recebo de multa aqui (na prefeitura). Se o presidente do Detran (Fernando Avelino) liberar metade do valor que ele toma na boca do caixa, pode ser até que eu parcele. Só para dar informação da placa do veículo, eles cobram da prefeitura metade do valor de cada multa. Se ele parar de cobrar por este serviço, eu autorizo na hora (o parcelamento) e ainda reduzo à metade (o valor da multa). Está nas mãos dele. Dou desconto na multa e faço um monte de coisas. Depende do Detran”, afirmou Paes. O Detran-RJ não se pronunciou sobre o assunto.

Prefeitura vai proibir vans na Avenida BrasilElas terão de aceitar o bilhete único, circularão em horários restritos e serão barradas em corredores como a Presidente Vargas e a Rio Branco. Edital de licitação deve sair dia 15

POR CHRISTINA NASCIMENTO

Rio –  A prefeitura vai licitar de uma única vez o sistema de vans para todas as regiões dacidade, com exceção da Zona Oeste, onde já foi realizada a concorrência pública. A novidade é que o transporte alternativo terá horários para circular e não vai passar pelos grandes corredores, como as avenida Brasil, Rio Branco e Presidente Vargas. Os topiqueiros também serão obrigados a oferecer equipamento para o uso do Bilhete Único. O edital deverá sair até 15 de novembro.

“É um transporte complementar que tem que ter horário. Não é táxi, que a pessoa trabalha na hora que quer. No caso de van, não pode ser (assim). Se a gente está pegando uma área da cidade que não tem nenhum transporte, então ela (van) vai entrar onde tem espaço. Eu não exijo isso dos ônibus? Eles (topiqueiros) não querem ser formalizados? Não querem entrar na regra? A regra é essa: não pode circular a hora que quer pelo percurso que quiser”, antecipa o prefeito Eduardo Paes, com exclusividade para O DIA.

 Alessandro Costa / Agência O Dia
Na Avenida Brasil, em Bonsucesso, vans concorrem com ônibus e embarcam passageiros no meio da pista da via expressa, atrapalhando o trânsito | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

Hoje, há 450 contratos individuais assinados na Zona Oeste, referentes a 13 lotes licitados, e cerca de 5.500 vans no cadastro. “A gente tem um superproblema, que é o negócio das vans. É uma área sob intervenção do prefeito. Onde tem transporte, não precisa de van. O modelo é de licitação individual, de transporte complementar, alimentando os grandes troncos, os grandes modais. Não vai ter nenhuma van fazendo grandes corredores. Vai ter horário de circulação, noturno, diurno”, detalha.

Força-tarefa vai fiscalizar

De acordo com o prefeito, será montada força-tarefa para fiscalizar vans. O grupo terá integrantes do Ministério Público, da Justiça e da Secretaria Estadual de Segurança Pública. “Vamos organizar o sistema e acabar com eventuais delinquentes deste sistema”, completa o prefeito.

Em nove meses, 1.287 vans punidas

De janeiro a setembro, motoristas de 1.287 vans cadastradas na prefeitura foram punidos por irregularidades. A maioria estava sem documentação completa, com a vistoria vencida ou apresentou veículo em mau estado. As operações foram feitas pela Subsecretaria de Fiscalização da Secretaria de Transportes. No mesmo período, 451 vans, que circulavam sem autorização do município, foram paradas e levadas para depósito público.

Manifestantes serão excluídos

O prefeito ameaça tirar da licitação topiqueiros que participarem de carreatas. Manifestações serão filmadas, e o motorista identificado será excluído da concorrência. A fiscalização das vans será chefiada pelo ex-titular da Draco, delegado Claudio Ferraz, que atuou no combate às milícias.

“Se eu vir uma carreatazinha, vai ter fotografia e não participará da licitação. Minha sugestão é que não o faça”, ameaça o prefeito.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador