“O negacionismo está vencendo”, diz presidente do Butantan

Em entrevista, Dimas Covas diz que aguarda insumos para entrega de mais doses da CoronaVac, e que nova vacina será resistente à variante brasileira

Jornal GGN – O aumento do número de casos e de mortes por covid-19 no Brasil são a prova que o negacionismo está vencendo a briga contra a ciência. A afirmação é do presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Em entrevista ao jornal O Globo, Covas ressalta a existência de muitos discursos, inclusive de autoridades afirmando que as pessoas não têm de ficar em casa. “Do ponto de vista das necessidades econômicas, isso é perfeito, só que isso é o jogo do vírus. Você leva as pessoas para a rua e aumenta a taxa de transmissão. Não pode haver duplo comando no controle de uma epidemia. (No Brasil,) nós temos o comando da ciência e o comando do negacionismo. E, neste momento, o negacionismo está vencendo”.

Dimas ressalta que os números são alarmantes. “Hoje o Brasil é campeão do mundo na epidemia, e isso significa uma vitória do negacionismo. Estamos perdendo a batalha. O vírus está ganhando, correndo de uma forma muito tranquila e com isso provocando muitos óbitos. A falta de um discurso unificado e de um entendimento correto do que é a epidemia é fatal”.

Ao comentar sobre as novas variantes da doença, Covas diz que a ButanVac – que aguarda autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para testes em humanos – será eficaz contra a variante amazonense, a P1, que é responsável pela maioria dos casos vistos em São Paulo. Sobre a produção da CoronaVac, o Butantan depende de mais insumos importados da China.

Leia Também

CoronaVac é eficaz contra variante de Manaus, mostra estudo

O “pária mundial” e o atraso nas vacinas do Brasil, por Bruno Beaklini

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora