Projeto de Moro não será prioridade de Bolsonaro

Mandatário irá deixar proposta de Moro de "banho-maria" para se dedicar à aprovação da Reforma da Previdência junto aos parlamentares

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN – Da mesma forma que decidiu entregar o projeto anticrime e a reforma da Previdência nesta semana ao Congresso Nacional, o presidente Jair Bolsonaro também considerou que a proposta do ministro Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública, é menos prioritária, e quer deixar de “banho-maria” enquanto as mudanças na aposentadoria não são aprovadas pelos parlamentares.

A informação pública é que o governo tem no topo de sua prioridade a conclusão da Reforma da Previdência, pressionada sobretudo pela equipe econômica comandada por Paulo Guedes, que acredita que com ela irá sinalizar “estabilidade” ao mercado, ainda que em meio à instabilidade política da crise que eclodiu no PSL.

E as sugestões polêmicas do ex-juiz Sérgio Moro devem enfrentar maior resistência no Congresso, principalmente após ministros do próprio Supremo Tribunal Federal (STF) sinalizarem para a possível inconstitucionalidade de trechos da medida. Com isso, as Comissões de Justiça do Legislativo podem barrar ou tentar modificar o texto original de Moro.

Tendo em vista isso e o fato de que Bolsonaro não pretende enfrentar maiores problemas logo no início de seu mandato, enquanto ainda busca solucionar a polêmica envolvendo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, o mandatário dará maior atenção à reforma da Previdência. Em “banho-maria”, assim descreveu a colunista Julia Duailibi, do G1.

Segundo ela, já se espera uma tramitação mais lenta do pacote anticrime de Moro do que a reforma da Previdência de Guedes. A meta do governo é aprovar, primeiro, a reforma, cujo texto será levado nesta quarta-feira (20) à Câmara dos Deputados. “Vamos segurar em um segundo plano”, teria dito um integrante da Casa Civil à jornalista.

Somente após o caso tramitar no Plenário da primeira Casa é que o governo deverá dar atenção às propostas de Moro junto aos parlamentares. O objetivo é concentrar as negociações, neste momento, nas mudanças da aposentadoria.

“A prioridade zero é a reforma da Previdência. Se aprovada a reforma, se Deus quiser, aí todo o esforço será para a aprovação (do projeto anticrime de Moro)”, já admitiu o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora