A Geórgia reconta os votos, e Joe Biden é confirmado como vencedor

Donald Trump se recusou a reconhecer os fatos e continua questionando os resultados em estados como a Geórgia e perseguindo recontagens ou atrasos na certificação

El País

Jornal GGN – O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, foi confirmado como o vencedor da Geórgia, depois que o estado realizou uma recontagem manual. O secretário de Estado da Geórgia, anunciou um total de 5.800 votos descontados, mas o fato se deu devido a erro humano e que não havia evidências de manipulação ou fraude generalizada.

Ele disse que esta foi a primeira auditoria do estado e que teve o poder de reafirmar que o novo sistema de votação por cédula de papel é seguro e reflete os resultados com precisão. Deu o crédito do sucesso ao trabalho árduo dos funcionários eleitorais municipais e locais que agiram com rapidez para concluir uma tarefa tão importante em tempo tão curto.

“O processo de recontagem simplesmente reafirmou o que já sabíamos: os eleitores da Geórgia escolheram Joe Biden para ser seu próximo presidente”, disse Jaclyn Rothenberg, porta-voz da campanha de Biden, em um e-mail para a Associated Press.

“Somos gratos aos funcionários eleitorais, voluntários e trabalhadores por trabalharem horas extras e em circunstâncias sem precedentes para completar esta recontagem, como a melhor forma de serviço público.”

Donald Trump se recusou a reconhecer os fatos e continua questionando os resultados em estados como a Geórgia e perseguindo recontagens ou atrasos na certificação, enquanto faz acusações selvagens e infundadas de fraude eleitoral. Antes do resultado anunciado da Geórgia, ele continuava vociferando.

Entretanto, a recontagem manual de cerca de 5 milhões de votos na Geórgia não foi resposta a qualquer problema suspeito com os resultados ou mesmo pedido do perdedor. A auditoria foi exigência de uma nova lei estadual, que seleciona a disputa a ser auditada e uma disputa presidencial faz mais sentido por sua importância e pela estreita margem que separa os candidatos.

Gabriel Sterling, o oficial que supervisionou a implementação do novo sistema de votação da Geórgia, disse antes que o resultado da recontagem fosse anunciado que cédulas anteriormente não contadas em quatro condados reduziriam a margem de vitória de Biden de cerca de 14.000 para cerca de 12.800.

O estado tem até sexta-feira para certificar os resultados certificados e apresentados pelos municípios. Assim que o Estado fizer isso, a campanha perdedora terá dois dias úteis para solicitar a recontagem se a margem ficar em 0,5%.

Essa recontagem seria feita usando scanners e seria paga pelos condados, disse Sterling.

A notícia veio quando Biden alcançou um recorde de 80 milhões de votos, com as cédulas ainda sendo contadas na Califórnia e em Nova York. A participação eleitoral nas eleições de 2020 foi a mais alta em mais de um século, de acordo com dados da Associated Press e do US Elections Project.

Com informações do The Guardian.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome