Afeganistão: Talibã não está cumprindo promessas sobre situação das mulheres, denuncia ONU

Ao assumirem o controle do Afeganistão, os talibãs prometeram que as mulheres não seriam privadas de seus direitos, como quando o grupo tomou o país, no final da década de 1990

Reprodução/Twitter

da RFI

O secretário-geral da ONU, António Guterres, criticou nesta quarta-feira (11) as promessas “não-cumpridas” do Talibã no Afeganistão. Ele contesta a situação das mulheres e meninas do país desde a tomada do poder pelo grupo extremista.

“Estou especialmente preocupado ao ver que as promessas feitas pelos talibãs às mulheres e meninas afegãs não estão sendo cumpridas”, disse Guterres. “Faço um apelo energético aos talibãs para que mantenham suas promessas às mulheres e meninas e cumpram suas obrigações em virtude dos direitos humanos internacionais e do direito humanitário. Não vamos abandonar esse assunto”, martelou o chefe de ONU, lembrando que esse tema é abordado diariamente.

Ao assumirem o controle do Afeganistão, os talibãs prometeram que as mulheres não seriam privadas de seus direitos, como quando o grupo tomou o país, no final da década de 1990. Na época, as afegãs não podiam trabalhar, estudar ou sair de casa sem serem acompanhadas por um homem da família. 

Oficialmente, os fundamentalistas negam querer retornar ao regime extremista dos anos 1990. Mas as autoridades aconselharam as mulheres a ficar em casa para sua própria segurança até que a segregação sob a interpretação restritiva da lei islâmica (Sharia) possa ser implementada.

Não proibimos nada às mulheres”, declarou na semana passada o mulá Noor Ahmad Saeed, um dos líderes talibãs. “Se não se sentem seguras ou não voltam ao trabalho, é problema delas”. PUBLICITÉ

Legitimidade internacional

A questão dos direitos humanos é um dos critérios para que os talibãs conquistem legitimidade junto à comunidade internacional. Quase dois meses após a tomada da capital Cabul, praticamente nenhum país reconheceu o novo regime. 

O grupo precisa estabelecer contato com o mundo exterior em razão de sua situação econômica. Os bens do Afeganistão estão congelados e as ajudas externas ao desenvolvimento, das quais o país é extremamente dependente, foram interrompidas.

Uma delegação do Talibã se reunirá com representantes da União Europeia (UE) nesta terça-feira (12) em Doha. Eles já haviam se encontrado com representantes do governo alemão e com um parlamentar britânico.

(Com informações da AFP) 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome