Apoiadores de Trump se recusam a aceitar derrota e marcam novos atos

Após a invasão no Congresso dos EUA, que deixou cinco mortos e centenas de presos, apoiadores de extrema-direita de Donald Trump marcaram novos protestos para o dia 20 de janeiro

Apoiadores de Donald Trump no Capitólio, nesta quarta-feira (06)

Jornal GGN – Após o episódio que deixou cinco mortos e levou à prisão de mais de 100 pessoas ligadas à invasão no Congresso dos EUA, apoiadores de extrema-direita de Donald Trump marcaram novos protestos para o dia 20 de janeiro, data em que Joe Biden tomará posse na Presidência dos Estados Unidos.

Sem aceitar a derrota de Trump, os apoiadores afirmam nas redes sociais que “nada irá nos parar: nem a polícia, nem o Exército”.

Outro grupo de manifestantes pró-Trump está se organizando para os atos ocorrerem antes da posse de Biden, no dia 17 de janeiro. No cartaz divulgado nas redes sociais, eles incitam a “vir armados” ao Capitólio e também em todos os capitólios estaduais:

O cartaz pedindo que os manifestantes "venham armados" para uma marcha no Capitólio em 17 de janeiro

Após a invasão do grupo no Capitólio, na semana passada, a avaliação é que os extremistas estão se sentindo “invencíveis”, segundo o ex-diretor do FBI, Frank Figliuzzi. E ainda se recusam a admitir a vitória do candidato democrata nas eleições norte-americanas.

No sábado (09), as autoridades do país anunciaram a prisão de 3 dos manifestantes que estiveram no grupo que invadiu o Congresso dos EUA. Eles foram indiciados no tribunal federal por violência.

Enquanto isso, Donald Trump teve suas redes sociais banidas permanentemente, pela disseminação da Fake News, discurso de ódio e tentativa de deslegitimar as eleições. Twitter, Facebook e Instagram impediram a conta do republicano.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora