Após incêndios de refinarias por drones, Arábia Saudita reduz metade da produção de petróleo

De acordo com as autoridades, gerou um impacto de redução da metade da produção de petróleo, de 5 milhões de barris por dia, equivalente a 5% da produção diária mundial de petróleo bruto

Ataques de drones geraram incêndios à distância, pelo grupo Houthi do Iêmen, alinhado ao Irã, nas instalações de processamento de petróleo da empresa saudita Aramco, em Buqayq, Arábia Saudita, em 14 de setembro- Foto: Reprodução de vídeo nas redes sociais

Jornal GGN – Um ataque de drones, na Arábia Saudita, conseguiu incendiar duas grandes refinarias de petróleo, gerando um impacto de redução da metade da produção de petróleo. O grupo rebelde Houthi do Iêmen, alinhado ao Irã, assumiu a responsabilidade dos ataques.

O Ministério do Interior confirmou que não havia vítimas do incêndio, mas os danos desencadearam preocupação nas autoridades locais, justamente no momento em que a estatal petroleira Saudi Aramco estava prestes a fazer a maior oferta pública de ações do mundo.

O primeiro ataque ocorreu em Abqaiq, onde está a maior fábrica de processamento de petróleo da estatal Aramco, e logo após um segundo ataque ao campo de petróleo de Hkurais, nas proximidades.

A suspensão na produção de petróleo da Arábia Saudita, ocasionada pelos ataques, representou um perda de 5 milhões de barris por dia, o que é equivalente a 5% da produção diária mundial de petróleo bruto. De acordo com a BBC, um porta-voz do grupo Houthi afirmou ter utilizado 10 drones para os ataques.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora