Aprendamos com Portugal: energias renováveis, redução de horas de trabalho, respeito aos animais e mais

 

 

Enviado por Almeida

 

Não é somente para a Espanha que os exemplos se aplicam, também servem para o nosso país, portanto…

 

Aprendamos de Portugal: energias renováveis, redução de horas de trabalho, respeito aos animais e muito mais.

 

Por Pepe Galindo

 

Portugal é um país vizinho, amigo e irmão da Espanha. Ambos os países compartilham mais do que a Península Ibérica; eles compartilham rios, história e até mesmo genes. Embora existam muitos cidadãos de ambos os países que veriam bem a  unificação, na Espanha há poucas notícias de Portugal, como se fosse um país distante. Não é estranho na era da globalização, porque recebemos mais notícias dos Estados Unidos do que da cidade em que vivemos.

No entanto, estão acontecendo coisas em Portugal que precisam ser visíveis. Alguns falam de milagre econômico, mas não é a economia o mais importante para nós. Reunimos aqui algumas das notícias sobre Portugal, destacando aquelas em que a diferença com a Espanha marca diferenças sérias.

  1. Baixa o desemprego: a taxa de desemprego do país cai para 8,5%, a menor desde 2008, enquanto na Espanha é de 16,7% (dados de outubro de 2017). Em parte, conseguiu triplicando num ano a criação de emprego turístico e reduzindo a jornada de trabalho.
  2. Jornada de 35 horas para os funcionários: também está previsto aplicar a toda a população, o que terá importantes vantagens para todos e será um passo decisivo para a sustentabilidade. Portugal não é um caso isolado, uma vez que, na Irlanda, os funcionários têm 34,7 horas de semana de trabalho e a média européia é de 38,45 horas.
  3. Recupera quatro feriados perdidos desde 2013: isso reduz um pouco a carga de trabalho de toda a sociedade.
  4. As pensões e os salários públicos aumentaram: Portugal retornou as pensões aos níveis anteriores à crise, assim como os salários dos funcionários públicos.
  5. Reduzir o déficit a mínimos desde 1974: Portugal reduziu os gastos e aumentou os rendimentos sem afetar a população mais vulnerável. A técnica é simples: reduziu os impostos para baixos rendimentos e os elevou para grandes empresas. Por sua vez, Espanha perde dinheiro público de forma escandalosa em operações que, embora legais, cheiram mais à corrupção do que a boa administração. Deve-se dizer que, apesar disso, Portugal tem uma dívida escandalosa (130% do PIB), maior mesmo que a da Espanha, que também é imensa, já que com a Rajoy ultrapassou 100% do  PIB.
  6. Portugal tem um saldo líquido no autoconsumo com energia solar: desde 2014, os usuários que dispõem de energia solar em suas casas usam a rede para verter o excesso de energia e recuperá-lo quando interessa. Isso torna a energia solar mais lucrativa e, portanto, mais pessoas interessadas em instalá-la (a zero custo para o país). A situação do autoconsumo na Espanha é muito diferente, mas mesmo assim, na Espanha, também é lucrativo.
  7. Portugal fomenta as renováveis: mais de 75% da energia portuguesa é renovável, uma transição feita em 40 anos. Em 2016, marcando um feito entre os países ricos, o país conseguiu operar quatro dias com renováveis. Neste ponto podemos destacar o seguinte:
  8. Portugal vai fechar todas as suas usinas de carvão: mais de vinte países comprometeram-se a deixar de usar o carvão para gerar eletricidade antes de 2030. Entre elas estão as principais economias e países poluentes como a França, Itália, Canadá e México. A Espanha está fora porque seu ministro, o Sr. Nadal, quer continuar queimando carvão a custa da saúde dos cidadãos. Portugal também renunciou à energia nuclear e tem eletricidade mais barata do que a Espanha.
  9. Portugal promove o carro elétrico: o país luso tem o triplo de quota da Espanha, apesar de ter muito menos poder aquisitivo, e as estações elétricas estão se tornando mais comuns. Embora o carro elétrico não seja sustentável, pelo menos ele reduz as emissões se se investe decididamente em renováveis.
  10. Portugal diminui a desigualdade e a pobreza:
    • Se atende-se a pobreza energética, há mais livros gratuitos nas escolas, grandes descontos no transporte público para jovens e melhoras para os desempregados.
    • O salário mínimo foi aumentado em 20%.
    • É proibido deixar a casa da família em penhor por dívidas fiscais ou com Segurança Social e o governo investe mais em habitação e serviços comunitários do que a Espanha.
    • Em Portugal, além disso, se reduzem os despejos.
  11. Portugal obriga os bancos a oferecer contas bancárias sem comissões: este tipo de contas básicas, sem comissões, também existem na França, por exemplo, e incluem todas as operações elementares (transferências nacionais, manutenção, caixas eletrônicos …). Longe dessas medidas, na Espanha o governo defende os interesses dos bancos.
  12. O lobo é uma espécie totalmente protegida em Portugal: por outro lado, na Espanha, a confusão de leis regionais faz que se proteja em umas zonas e se ataque em outras. Na Espanha, os lobos são caçados em Astúrias e são julgados aqueles que os defendem. Sem dúvida, a sociedade exige que se proteja o lobo antes que se extinga.
  13. Em Portugal os animais já não são “coisas”: não é apenas uma mera mudança de nome, mas tem implicações importantes que tornarão o país um lugar mais habitável para os animais.
  14. Menos corrupção do que na Espanha: a corrupção na Espanha oprime todos os cidadãos, tanto por causa do grande número, quanto pelas imensas quantidades que são manejadas. Portugal também tem corrupção, mas obtém uma posição melhor do que a Espanha no relatório anual da Transparência Internacional (PDF 2016).
  15. Política antidrogas eficaz que descriminaliza todo o consumo: apesar da oposição do resto do mundo que disse que o consumo dispararia e aumentaria a delinquência, em Portugal ocorreu o contrário. Por exemplo, o número de adictos em heroína foi reduzido e o número de óbitos por overdose é o mais baixo de toda Europa. Portugal enfatiza o tratamento dos adictos e a reintegração social, não na punição..
  16. Portugal fechou as portas às privatizações: isso mostra que o governo pretende fazer uma boa gestão, porque privatizar é reconhecer o próprio fracasso como gestor.

São as políticas de Portugal de esquerda? É hora de parar de classificar políticas como esquerda ou direita e começar a falar sobre políticas que defendem as pessoas e a natureza, ou as que defendem grandes empresas.

Em suma, Portugal está demonstrando que pode ser governado de outra forma, para outros interesses, em benefício de seu povo e, de fato, de toda a humanidade. Para a Espanha, Portugal é agora esse irmão que lidera o caminho com o exemplo dele.

Mais informação:

Fonte: https://blogsostenible.wordpress.com/2017/12/10/portugal-energias-renovables-reduccion-jornada-laboral-animalismo-coche-electrico/

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora