Atentado em Viena, na Áustria, faz várias vítimas

Nos últimos anos, a Áustria tem sido poupada do tipo de ataques em grande escala, vistos em Paris, Berlim e Londres.

Policiais fortemente armados estão do lado de fora da Ópera Estatal de Viena em meio a um ataque terrorista na capital austríaca. Fotografia: Michael Gruber / Getty Images

Jornal GGN – Um ataque supostamente terrorista em Viena, na Áustria, deixou mortes e feridos. Houve troca de tiros na noite de segunda, 2. O ataque aconteceu perto da sinagoga central, e as autoridades estão considerando um ataque terrorista.

A polícia de Viena, pelo Twitter, afirmou que havia vários suspeitos e seis locais diferentes envolvidos. Uma grande área do centro da capital austríaca foi isolada e um grande reforço policial foi montado.

“Tiros disparados no bairro de Inner City – há pessoas feridas. Mantenham-se afastados de todos os locais públicos ou transportes públicos”, disse a polícia no Twitter.

O líder da comunidade judaica Oskar Deutsch afirmou, também no Twitter, que não estava claro se a sinagoga de Viena e os escritórios adjacentes tinham sido o alvo do ataque, e que eles estavam fechados no momento.

Vídeos circularam nas redes sociais de um homem armado correndo por uma rua de paralelepípedos, atirando e gritando. A Reuters não pôde verificar imediatamente os vídeos.

A polícia de Viena pediu às pessoas que não compartilhassem vídeos e fotos nas redes sociais. “Isso coloca em risco as forças policiais e também a população civil”.

Nos últimos anos, a Áustria tem sido poupada do tipo de ataques em grande escala, vistos em Paris, Berlim e Londres.

Cinco pessoas morreram no ataque, incluindo dois civis e duas mulheres, e um atirador morto pela polícia. Quatorze pessoas, incluindo um policial, foram feridas por tiros e ataques de facadas, que começaram às 20h local. Sete vítimas foram estão em estado crítico.

A polícia disse não ter certeza de quantos agressores estavam nas ruas e várias pessoas foram presas.

O exército ocupou a capital para apoiar a polícia, enquanto uma busca generalizada continuava na manhã desta terça, 3.

As autoridades estão examinando mais de 20 mil vídeos enviados a eles pelo público para determinar quantos homens armados estavam envolvidos e o curso exato dos eventos.

O ministro do Interior, Karl Nehammer, disse à população que os assaltantes estavam fortemente armados e perigosos e pediu ao público que permanecesse em casa até a liberação pela polícia. Segundo Nehammer, várias unidades de forças especiais procuram os supostos terroristas por Viena, não se restringindo a uma área somente.

Os ataques começaram com rajadas de tiros e o número de mortos deve aumentar.

O agressor morto foi baleado pela polícia do lado de fora da Igreja de St Rupert, carregando um rifle de assalto, uma pistola e um facão. Seu corpo também foi encontrado com um colete de explosivos falso.

Os ataques ocorreram em seis locais perto de Seitenstettengasse, no coração da capital austríaca.

O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, descreveu os assaltos como “definitivamente” um ataque terrorista planejado “muito profissionalmente”. Kurz chamou os militares para as ruas de Viena. “Atualmente estamos passando por tempos difíceis em nossa república … Nossa polícia tomará medidas decisivas contra os perpetradores deste hediondo ataque terrorista”, disse Kurz.

Os primeiros relatórios sugeriram que a sinagoga Stadttempel nas proximidades poderia ter sido o alvo do ataque. Mas Oskar Deutsch, presidente da comunidade judaica de Viena, disse que a sinagoga em Seitenstettengasse foi fechada no momento do ataque. Ele disse ao jornal Kurier que “não estava claro” se era um alvo.

O ataque ocorreu na noite anterior, antes de um novo bloqueio por coronavírus entrar em vigor na cidade.

As escolas serão fechadas em Viena na terça-feira e o estado austríaco declarou três dias de luto.

A UE e outros líderes mundiais expressaram a sua solidariedade para com o povo austríaco.

Com informações da Reuters, Agência Brasil e The Guardian.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Letícia Baptista De Castro

- 2020-11-03 09:11:42

"Cinco pessoas morreram no ataque, incluindo dois civis e duas mulheres, e um atirador morto pela polícia". Na Áustria mulher ainda não é considerada cidadã civil?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador